INTERESSADOS EM JOGAR, ACESSEM: http://orkutando.online/comunidade.php?com=2717
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Quest - Arena

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Klaus
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 34
Data de inscrição : 23/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   08.04.15 21:23

Trébol havia adentrado um ambiente estranho, embora a máscara deixasse sua face afunilada, sua respiração fluía normalmente, entretanto, a dor em suas costas ainda mantinha-se frequente, perpétuo. De alguma forma, a consistência dos poderes de Trébol se atribuía com sua total mobilidade, entretanto, de alguma forma o mecanismo ali implantado impedia que ele sentisse fome ou sede, tornando-se um oponente perfeito para a batalha, porém, desde que adentrara aquele universo completamente diferente, o próprio homem havia acabado por socializar com uma criatura quase tão estranha quanto ele, mas ainda assim, as primeiras indagações de Trébol levaram ao pronto atendimento do ser, que respondeu-o de maneira rápida.


[ Aranha ]- Quero que me ajude a destruir o rei, precisa chegar ao final do labirinto e destruir a prisão de almas. O seu amigo Diamante está a caminho de lá. Ziniu vai guia-lo e ele já lhe deu a espada das almas. Aqui está a sua.


Trébol estendeu lentamente uma de suas mãos para pegar a espada, enquanto inclinava de maneira clara sua face para a direita olhando por alguns instantes a lâmina antes de abaixá-la, deixando ao lado de seu corpo enquanto erguia lentamente seu cetro de ouro, finamente confeccionado e adornado com três gemas avermelhadas, fazendo com que o grandalhão mucoso esboçasse um largo sorriso, entretanto, virando-se para a criatura em sequência. – Behehe..me diga uma coisa...se destruirmos o Rei, quem irá assumir o lugar dele? Aquela mulher? Disse Trébol apontando o cetro em direção a mulher para direcionar a criatura a sua frente sobre quem estava falando, entretanto, não tardou a falar novamente.- E como se destrói essa prisão de almas? Com golpes de espada? Behehehe... Um singelo sorriso brotou a face de Trébol enquanto em sua mente, um devaneio sobre a dupla Diamante e Trébol se formava a sua mente, verdadeiramente se os dois se unissem a capacidade dos poderes dos dois indivíduos seria um grande problema para aquela arena, mas ainda assim, Trébol mantinha o olhar fixo na criatura.


Trébol ansiava por uma resposta, entretanto, imediatamente após isto, as paredes começaram a assumir proporções enormes, fazendo com que Trébol erguesse a cabeça em conformidade com o crescimento das grossas paredes, ao qual viu-se em meio a um extenso corredor, direcionando-o a um único caminho ao qual percorrer. O homem então passou a lâmina para junto de seu cetro com o intuito de segurar ambos itens com uma das mãos enquanto Trébol lentamente visou passar sua mão esquerda por entre as grossas paredes, será que seus poderes afetariam aquela parede? – Behehehe...


[ Aranha ]- A espada interrompe a manipulação mental. Enfie-a em seus oponente e este será libertado. Quando terminar com este, pegue a bifurcação a direita. E siga em frente.


[ Trébol ]- Hey..me diga uma coisa Senhor aranha... Trébol erguia sua face para tentar localizar a criatura, entretanto, a mão sob a parede visava identificar se havia ruídos sonoros em segunda instância. – Se vocês tem o poder de ocultar alguns participantes, porquê não se ocultam e usam essa espada? Indagou Trébol inclinando brevemente sua cabeça para a direita enquanto o som de algo em atrito com algum local chamou sua atenção. – Deixa pra lá... Disse Trébol caminhando de maneira lenta e silenciosa por entre o corredor, passando hora ou outra suas mãos por entre aquelas paredes, até deparar-se com uma criatura horrenda.


[ Trébol ]- Hey..hey..você que é o oponente? Ahn? Você que vai lutar comigo? Indagou Trébol. Apesar de sua ingenuidade para com seus oponentes, sua irritabilidade era clara quando algo ou alguém não o respondia, mas ainda assim, o problema com o tempo em si costumeiramente deixava Trébol completamente irritadiço. – Esquece... Imediatamente, Trébol apoiou as costas na parede do lugar, de maneira pelo qual, utilizaria sua aderência para começar a “subir” nas mesmas.




Imediatamente, Trébol utilizaria seu ataque anterior, Beta Beta Chain, com o intuito de esticar seus braços formando elos mucosos indo em direção a criatura visando portanto golpeá-la com o cetro de ouro. A idéia de Trébol era simples, atacar a criatura na parte traseira com seu cetro, desta forma, visando fazer com que a criatura avançasse em sua direção, ao qual, segundo a breve análise de Trébol, não seria difícil a criatura começar a escalar as paredes com seus grandes braços, dando vasão o suficiente para Trébol tentasse atingi-la com a espada conferida pela aranha em outro momento. Caso o golpe desse errado, Trébol no momento da investida da criatura, deixaria seu corpo desprender-se, utilizando seu próprio corpo como prisão para atar o corpo da criatura junto ao seu, lhe garantindo mobilidade o suficiente para que ele executasse enfim a criatura e seguisse o caminho que lhe fora informado.  

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 21
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   09.04.15 18:09

Aconteceu tudo de forma rápida, ele não sabia muito bem o que fazer naquelas situações, nunca entrou numa luta para perder, sabia quando não entrar, naquele caso ele não tinha escolha e isso o deixava bastante irritado. Sua espada atravessou a parede de água mas o impacto foi absorvido, ele foi junto e sentiu um golpe forte contra a água, a tontura o deixou atordoado, sem muitos movimentos, sem velocidade, tudo que pode sentir foi água por todos os lados, invadindo seu corpo e o arrastando com uma força descomunal, sentia seus ouvidos doerem graças a pressão que aquilo provocava, seus olhos ardiam então não conseguia ver o que estava acontecendo, seu oxigênio não estava comprometido, já que respirava por um aparelho, aparentemente ele não tinha sido afetado, mas ele ainda estava atordoado. Tentou se concentrar, ainda estava agarrado a amaterasu, tentando pensar em alguma saída, nada nada parecia fazer sentindo dentro de um turbilhão de água. Virou-se e ficou a favor da correnteza, nadando de forma cautelosa, girava, ficava cada vez mais tonto, fez a única coisa que pode que foi tentar sair da água que o cercava.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   10.04.15 21:28

Luffy percebeu que acabou quebrando um pedaço daquilo aonde se agarrou, soltando água dali. Percebeu que todo o local estava se enchendo de água e logo começou a correr, procurando alguma saida. Levantava as mãos, gritando, não tendo para onde ir, até então, seu corpo parar aos poucos, estava ouvindo alguma coisa. O que era aquilo? Era um ótimo som e sua mente começava a sentir prazer com aquilo.

O que.. É isso..? Eu preciso.. Sair daqui..

Então, quando percebeu, sua mente estava totalmente controlada por aquela criatura. Andou em sua direção lentamente, com os olhos sonolentos. Era uma sensação boa e não falava nada, apenas andava em direção a ela. Aos poucos, ia chegando mais perto da água, até que algo veio em sua mente, era uma lembrança.

[ Zoro ] - Não se deixe levar pelas pessoas, idiota! Esse é somente o começo do Shin Sekai! Dê o máximo de si!

Então, quando percebeu o que realmente estava acontecendo, recobrando apenas um pouco de sua consciência, foi o suficiente para escapar. Abriu e fechou levemente os seus olhos com força e dele saiu uma energia azulada, chamada "haki do rei" e de seu corpo saiu uma aura espiritual que se manifestou no campo inteiro e, além de ter acordado totalmente a sua mente, o deixando energético novamente, atingiu aquela criatura e se ela tivesse mente fraca, era o bastante para desmaiá-la e se tivesse uma mente mais desumana, ficaria pelo menos atordoada.

Droga, não posso perder tempo aqui!



Falou e então, correu na direção da mesma com o punho fechado, porém, percebeu que se aproximou muito da água. Parou de correr e deu um pulo para trás, olhando para aquele ser, dependendo do jeito que ele estava, se estivesse desmaiado, iria apenas sair correndo, procurando uma saida. Se estivesse somente atordoada, olhava para ela, fazendo algumas perguntas.

Ei, garota sereia! De onde você veio? Onde eu estou? O que eu faço para sair daqui? Aaaaagh! Meus nakamas devem estar preocupados.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   12.04.15 18:00





Takigawa Haru Capítulo I //O1//O1.
❝So it was you who I expected all this time...❞
.
Tudo acontecia de maneira muito rápida adentro do labirinto, antes que Haru tivesse a chance de escapar aonde estava, seu corpo era novamente envolvido pela fumaça um pouco depois de começar a comer, por algum motivo a ferida em seu peito começava a queimar/arder, não era uma sensação muito diferente da que havia vivenciado alguns instantes atrás, mas havia algo diferente dessa vez, era como se a fumaça estivesse tentando esmaga-lo, ele sentia uma certa dificuldade para respirar, mesmo utilizando um aparelho para tal ato, seu coração batia cada veis mais rápido, era como se houvesse algo dilatando suas veis. A velocidade da movimentação do garoto ia diminuindo rapidamente, até o ponto do mesmo parar dentro da fumaça e se ajoelhar. Apesar de inegável má situação que estava, a natureza um tanto estranha do garoto não deixava-lhe perder seu sorriso por um segundo se quer. Ele colocava suas duas mãos no chão, mas havia alguma coisa saindo em torno de uma delas, era alguma coisa prateada que estava saindo para fora de sua roupa; no momento em que aquele objeto reluzente tocava o chão ao lado da palma de Haru ele disparava para frente, passando pela primeira curva daquela espécie de "corredor" e se enroscando em algo para poder puxar o corpo de Haru para fora. Embora puxado de maneira brusca para fora da fumaça, Haru rapidamente se recuperava em pleno pouso, ele levava sua mão até seu pescoço, o alisando e apertando um pouco, enquanto movia sua cabeça para os lados, como se estivesse se alongando, ele estava tentando ignorar aquela sensação de dor que sentia no peito.

                  


 
-
 
Haru - E quem disse que estou contente em lutar nessa droga de arena? Mas já que você quer tanto assim lutar... Que seja...
 
 

                  
 
O rosto de Haru ficava sério por alguns instante, perdendo aquela expressão amigável que o adolescente estava a exibir deis que entrara na arena, ele parecia exibir um olhar frio, como se estivesse calculando a situação, ao menos enquanto falava. Com sua destra ele puxava o objeto que usará para sair  de dentro da fumaça, era uma longa corrente de coloração prateada, embora não houvesse muita luz no local, ela parecia reluzir de alguma maneira, ele movimentava seu braço para frente e para trás, fazendo com que a corrente chacoalhasse para os lado, ele então erguia seu braço e o movia para baixo, fazendo com que a corrente subisse e descesse... Havia alguma coisa estranha com aquela corrente, do momento em que fora puxava e movida pelo garoto, seu brilho parecia ir aumentando vagarosamente, afinal, aquela era a arma de "contenção" de Haru, embora ele não soubesse muito bem quando usa-la, e embora não pudesse contar sempre com a habilidade de neutralizar os poderes inimigos, ele ainda podia contar com a habilidade de contenção para com o inimigo. Haru movimentava velozmente seu braço de um lado ao outro, fazendo com que a corrente tomasse um movimento giratória em uma velocidade absurda... Tão assustadora quanto a própria velocidade do garoto; como seu oponente era literalmente um monte de fumaça, ele iria fazer com que ela se dissipasse.
 
                  
 


 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Catarina Oshua
Omega Game Master
Omega Game Master
avatar

Mensagens : 442
Data de inscrição : 30/06/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   12.04.15 23:38

Diamante

Diamante não era do tipo que recusava um embate ou que sentia medo perante seu maior inimigo e assim sendo ele partiu para cima da criatura. A espada envolvida pelo estranho poder de Diamante foi usada de maneira fantástica. O golpe acertou em cheio a criatura e o que veio depois deixou Diamante um tanto surpresa. Assim que a espada atravessou o corpo da sua criatura, tudo ao redor se desfez, inclusive a criatura. Nada além de uma bifurcação. O dragão falou com Diamante.

- Em vista do que vai enfrentar, não seria justo dar-lhe mais que um desafio. Siga a bifurcação à direita. Boa sorte.


Diamante seguiu pelo caminho, um silêncio sepulcral lhe acompanhava. Ao adentrar um pouco mais na escuridão que se formava a sua frente começou a ouvir uma respiração ruidosa. Algo parecido com o sono de um gigante. O chão era firme e as paredes pareciam revelar brilhos suaves de quando em vez. Pareciam ser feitas de cristal. Os brilhos alternavam entre o rosa, azul e vermelho. Diamante andou devagar até deparar-se com uma enorme parede feita de cristal. O dragão falou mais uma vez com ele.

- Quando adentrares a câmara das almas, não mais poderei lhe ajudar. Existem outros dois que estão vindo em seu auxilio, pois quanto mais guerreiros, melhor. Você pode esperar por eles ou enfrentar a Senhora de Gama sozinho.

Uma silhueta feminina avolumou-se atrás da parede de cristal. Uma luz forte brilhou cima da mulher e Diamante pode vê-la com nitidez. Era uma bela mulher de cabelos brancos e ao redor desta vários discos circulavam.


Era parecia ter muita facilidade em ordenar estes discos. O dragão falou mais uma vez com Diamante.

- Quer saber algo antes de adentrar? Sei tudo sobre Gama, tudo mesmo.

Cabia a Diamante decidir se arriscaria entrar sozinho ou se aguardaria a chegada de Trébol e Halfaxa.

Trébol

O guerreiro visguento sabia fazer perguntas certas. Antes de encontrar seu oponente a criatura lhe respondeu prontamente.


- Não se pode usar seus poderes em si mesmo. Por isto ainda estamos aqui, somos parte de um todo e por isto não podemos, nós mesmo, destruir Gama. Os vencidos nos alimentam. Seus poderes são absorvidos por nós, fundem-se a nós e não podemos usar estes contra gama, pois as almas destes está presa com ela, e ela faz com a alma o que desejar, menos devolve-la para sua origem. Você ainda não é parte de Parched, não foi derrotado e não será. Este é o seu trunfo. Você poderá lutar por sua alma, para voltar para sua origem. Seu amigo Diamante já está na presença de Gama.


A criatura calou-se e Trébol seguiu seu caminho e ao deparar-se com seu oponente chegou a ser simpático, mas a simpatia durou pouco. Antes que a criatura enviasse sua enorme sonda para apossar-se da essência de Trébol, este agiu rápido e golpeou a criatura. A espada tocou o corpo da criatura e assim como o que aconteceu com Diamante, a criatura transmutou-se num beco escuro e mais a frente a bifurcação citada pela criatura Aranha. As paredes reluziam e Trébol podia ver a silhueta da mulher. Seu amigo Diamante estava parado rente a parede. Cabia a Trébol combinar algo com Diamante ou agir sozinho.

Nick

O guerreiro de fogo estava sem seus poderes e para recuperá-los precisava derrotar a guerreira à sua frente. Nick estava tentando livrar-se do turbilhão de água, mas esta não seria uma tarefa tão simples. Não havia como ele nadar contra a correnteza, porque quem a estava controlando era sua oponente, porém o “desanimo” aparente de Nick irritou a mulher. Ela girou as mãos e o corpo de Nick rodopiou caindo com força no chão. Pelo estalo o rapaz faturou uma ou talvez três costelas. A dor era intensa. A mulher o encarou e falou com frieza.

- Vou dar-lhe uma luta justa.





A mulher então adquiriu um aspecto diferente. Seu olhar é frio e ameaçador. Uma espada surge em sua mão. Ela se posiciona e encara Nick. A mulher avança para cima de Nick, seus golpes são medidos e certeiros. Era a vez do rapaz lutar para ter seus poderes de volta

Luffy

Por um curto período de tempo Luffy foi levado pela bela canção da sereia, porém o amigo que o socorrera lá em sua verdadeira realidade trouxe-lhe a razão. O rapaz chacoalhou a cabeça e voltou ao seu normal segundos antes de cair na água. A sereia observou aquilo, era paciente. Para a surpresa da criatura Luffy se dirige a ela. Um sorriso nada bonito é esboçado pela criatura.

- Eu vim de lugar nenhum, a pergunta seria de onde você veio. Você está na caverna rosa, minha morada. Existem duas forma de sair daqui por cima ou por baixo e tenho para mim que seus nakamas já se conformaram com a realidade, mortos só deixam saudades.

A sereia permaneceu ali olhando para Luffy. Se o rapaz reparasse faltava pouco para a água alcançar o lugar onde ele estava. A maior parte da caverna estava submersa. A pilastra que Luffy arrancou causou um desequilíbrio enorme no lugar. Se o rapaz observasse, haviam várias criaturas nadando na imensidão de água, sereias como a que olhava o rapaz com curiosidade. Se olhasse para o alto veria um pequeno buraco. Talvez ele fosse maior do que parecia. Uma luz fraca adentrava por ele. Ao redor pontas afiadas de cristais rosa.

Haru

O rapaz estava perdendo seu sarcasmo, pois as coisas não pareciam tão simples como ele imaginava. A mente humana é fraca e acredita em tudo que seus olhos dizem ser verdade. O garoto usou de uma corrente para dissipar a fumaça, mas já foi dito que nada dissiparia a mesma. Mesmo assim Haru tentou livrar-se do aperto e enfim mover-se. Não fora bem sucedido, porém sua mente o fez acreditar que sim. Seu opoente, a fumaça, decidiu deixar Haru sentir-se liberto, vitorioso. O rapaz seguiu por um corredor e então ouviu passos arrastados. Os passos foram ficando cada vez mais próximo e então a dor no peito de Haru aumentou intensamente. Era tão forte que as pernas do garoto tornaram-se pesadas, seu corpo parecia estar sofrendo uma enorme pressão e então Haru sentiu algo sair de sua boca, narinas, ouvidos. Faziam cócegas e então o rapaz olhou para o chão. Vermes, muitos vermes estavam dispostos pelo chão. O ferimento do peito do rapaz saia vermes gordos em tons vermelhos escuro e claro. Do ouvido, nariz, saiam muitos mais vermes. Quando Haru olhou para frente viu a criatura que lhe causava aquele desconforto. O gosto de podridão invadia a boca do rapaz e ele sentia que estava cheio de vermes por dentro. A criatura não fez nada além de ficar ali parada de frente para Haru.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgorkut.forumeiros.com
Nanbrimbor
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   13.04.15 18:59

Diamante havia usado a cabeça em seu primeiro ataque a criatura. Utilizando seus poderes, o homem havia deixado ambas espadas em um aspecto ondulado, moldável, desta maneira, confeccionando da seguinte forma, ambas as espadas iriam se entrelaçar formando a cabeça do que viria ser um grande touro e então, lançar-se de maneira perigosa em direção a criatura, ainda que as águas que circundavam não somente a criatura mas também compondo o corpo da mesma o assustasse, Diamante não poderia recuar, não era do seu gênero recuar. Diamante lançou-se em direção a criatura, visando desferir um potente golpe em seu corpo, ele não poderia errar de forma alguma, caso ao contrário ele estaria fadado a morte caso errasse ou a criatura o atacasse daquela forma. Diamante sentiu seus poderes atravessarem o corpo da criatura e um drástico sorriso pareceu incorrer em sua face, era como se ele fosse um fantasma ou então a criatura fosse algum aspecto de ilusão.



[ Diamante ]- O QUÊ?! Exclamou Diamante enquanto simplesmente seu golpe atravessara a criatura. Estranhamente tudo pareceu desaparecer ainda reforçando a ciência de Diamante de que aquilo parecia tratar-se de uma ilusão. O homem não controlou o impacto de sua lâmina atingindo o solo do corredor que havia se formado a sua frente graças a seu golpe, desta maneira, causando 3 buracos, um de cada chifre do que o homem havia criado e outro do focinho da criatura. Diamante não esperava por aquilo mas lentamente assumira uma postura ereta, retirando o item formado do solo e o empunhando em histe, olhando ao seu redor rapidamente. – Uma....ilusão? Indagou a si próprio tentando entender o que havia acontecido.



[ Diamante ]- Vou continuar. Rapidamente, a lâmina formada tornou-se ondulada uma nova vez e então, Diamante as separou, segurando cada uma com uma mão. – Lock. Um breve ruído propagou-se das lâminas que assumiram um aspecto ereto uma nova vez e então, Diamante seguira pelo caminho, em passos lentos e silenciosos, com a atenção redobrada desta vez, até deparar-se com uma bifurcação, exatamente como o Dragão havia falado. – Devo pegar a direita....certo? Indagou uma terceira vez a si próprio, mas antes que o homenzarrão pudesse dobrar a direita, a voz do dragão que outrora o ajudara, alcançara-o uma nova vez.



[ Dragão ]- Em vista do que vai enfrentar, não seria justo dar-lhe mais que um desafio. Siga a bifurcação à direita. Boa Sorte.



[ Diamante ]- Desafio? Fora você que dera este desafio? Indagou Diamante. Se fosse, qual era o intuito de testá-lo daquela forma? Seria algo relacionado a sua capacitação para seguir adiante? Diamante não saberia responder naquele momento, apenas seguindo pelo caminho que lhe fora indicado. Notando que pouco a pouco uma densa escuridão parecia se formar. Diamante suspirou de maneira breve estreitando seus olhos com o intuito de enxergar, mas sem sucesso, escutando uma respiração ruidosa em sequência fazendo com que o homem segurasse mais firmemente em ambas as lâminas. Gradativamente, um brilho surgira, semelhante a cristais, atraindo a atenção de Diamante conforme o homem notava as tonalidades variando entre rosa, azul e avermelhado. A expressão de Diamante era claro, parecia um ambiente mágico até deparar-se com uma parede feita exclusivamente de Cristal.



[ Dragão ]- Quando adentrares a câmara das almas, não poderei lhe ajudar. Existem outros dois que estão vindo em seu auxílio, pois quanto mais guerreiros, melhor. Você pode esperar por eles ou enfrentar a Senhora de Gama sozinho.



Assim que as palavras alcançaram Diamante, ele próprio notou uma forte luz emanar da parede, uma silhueta havia se formado e então, a nitidez o contemplou, o verdadeiro inimigo parecia ter se mostrado, atraindo e aguçando os instintos de Diamante, que manteve a atenção aos discos que a circundavam mas em sequência, a beleza da mulher, ao qual seu encanto fora apenas rompido pela voz do dragão uma nova vez.



[ Dragão ]- Quer saber algo antes de adentrar? Sei tudo sobre Gama, tudo mesmo.



Diamante estreitou seu olhar de maneira pelo qual, mantinha o olhar fixo na mulher, entretanto, logo o respondeu. – Então...tenho que arrebentar essa muralha de cristal...não é? Hehehehe....quero saber qual é o ponto fraco dela, como a mato da maneira mais rápido possível e.... Diamante pausou esboçando um largo sorriso.- Quero ter uma grande glória assim que a matar. Diamante, Campeão da Arena desta Terra! Exclamou enquanto erguia uma de suas mãos apontando sua lâmina em direção a parede.



Antes que Diamante pudesse avançar, notara a aproximação de Trébol, ao qual parecia ter obtido êxito em sua incursão. A expressão de Diamante tornou-se negra, quase vilânica enquanto ele próprio desviava o olhar para Trébol. – Trébol, temos que derrubar essa mulher rápido, mas primeiro temos que romper essa parede de cristal. Essa mulher é tipo aquele Rei que derrubamos, assim que vencermos ela, já voltamos pra casa. Doffy deve estar muito bravo conosco.






Diamante aguardaria a resposta de Trébol e logo indagaria. – Vamos agir em conjunto como naquela vez? Diamante sorriu enquanto desviava o olhar para o homem. A idéia de Diamante era que Trébol usasse seus poderes para arremessa-lo em direção a parede de cristal utilizando-se do poder CORRIDA GLAIVE novamente para romper a barreira e em sequência, caso obtivesse êxito em romper a barreira, em utilizar sua capa para proteger-se dos discos caso a mulher atirasse. Diamante embainharia seu sabre, desta forma a segurar com uma das mãos sua capa equiparadamente a um toureiro.



[ Diamante ]- Você que é a manda-chuva...Ahn? Porquê não vem pra cima. Está na hora do SHOW! Diamante vai brilhar agora! Diamante aguardaria a mulher o atacar com ambos discos e certamente assim que a mulher caísse em sua provocação, Diamante solidificaria sua capa no intuito de proteger-se. –Lock. TRÉBOL! Exclamou aguardando que seu amigo o ajudasse.



( Poder Referente a Capa de Diamante: Início 2:00 Término: 2:56 )




Caso o plano em defender-se dos ataques iniciais de Gama descem certo, Diamante tornar-se-ia fino e leve equiparadamente uma bandeira, não necessitaria de palavras para tornar seu corpo totalmente fino e maleável. Diamante visaria então partir em uma velocidade abrupta em direção da mulher, zigue-zagueando para não ser atingido pelos discos que eventualmente certamente seriam disparados pela mulher. – GRRRRR, prepare-se!






Imediatamente, Diamante assumiria seu aspecto humano, correndo em direção a Gama enquanto visaria realizar um novo ataque, desta vez, arremessando seu sabre em direção a Gama, visando atingi-la na região das pernas e então, Diamante retiraria um pequeno dispositivo atado a sua calça, um dispositivo amarelo semelhante uma caixinha finamente confeccionada. Diamante jogaria tal item para a sua frente. – LOCK! O pequeno dispositivo então, abria de maneira drástica e uma espécie de tecido enegrecido sairia do mesmo assumindo o aspecto de uma grande clava, de maneira pelo qual, Diamante visaria golpear Gama na região da cabeça com sua arma.



( Ataque de Diamante: Início: 00:30 Término: 00:42 )

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Klaus
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 34
Data de inscrição : 23/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   13.04.15 19:11

Trébol, pouco antes de enfrentar o oponente ao qual lhe cabia, havia feito inúmeras indagações perante a criatura que acreditava ser seu oponente em outro momento. A expressão do homem enquanto vagava por entre os corredores daquele labirinto eram claramente curiosas. Trébol não aparentava estar com medo ou então receoso com aquela situação, entretanto apenas sua curiosidade parecia estar cada vez mais aguçada diante daquela situação. Conforme suas perguntas haviam sido situadas, a criatura pareceu o responder de maneira rápida e implacável.


[ Aranha ]- Não se pode usar seus poderes em si mesmo. Por isto ainda estamos aqui, somos parte de um todo e por isto não podemos, nós mesmo, destruir Gama. Os vencidos nos alimentam. Seus poderes são absorvidos por nós, fundem-se a nós e não podemos usar estes contra gama, pois as almas destes está presa com ela, e ela faz com a alma o que desejar, menos devolve-la para sua origem. Você ainda não é parte de Parched, não foi derrotado e não será. Este é o seu trunfo. Você poderá lutar por sua alma, para voltar para sua origem. Seu amigo Diamante já está na presença de Gama.


[ Trébol ]- behehehe..vocês conseguem ser ainda mais estranhos do que a maneira de governar do Doffy...behehehe..mas ainda assim, vou ajudar vocês. Diamante está indo pra lá então...? Indagou Trébol, já tendo sua resposta proveniente da criatura. – Behehehe...se ele está aqui...não vamos ter problemas em acabar com todoooooos eles. Behehehehe


Mais Tarde


Trébol havia deparado-se com um poderoso oponente, ao menos, o instinto de Trébol era este, um oponente sorrateiro e aparentemente faminto. O homem viscoso tentou de alguma forma agir de forma rápida para finalizar seu oponente, visando cair em cima do mesmo e então, golpeá-lo de maneira rápida, rápida o suficiente para terminar aquela luta e então seguir para o lado de Diamante, ao qual certamente a combinação de ambos seria de cunho perigoso, entretanto, assim que a espada de Trébol atingiu a criatura, a mesma desapareceu. Trébol havia se transformado em um emaranhado viscoso, deixando apenas sua cabeça em forma palpável, tentando entender o que havia ocorrido com aquela situação.


[ Trébol ]- Hey..onde está? Hey...Hey...para onde você foi? Indagava Trébol enquanto tentava olhar de um lado a outro, procurando a criatura. Um estranho beco havia se formado a sua frente e então, Trébol decidira seguir pelo mesmo, virando a direita de maneira rápida assim que uma bifurcação se formara. Assim que Trébol seguira pela mesma, deparou-se com Diamante, que logo pareceu recebe-lo com a típica ambição por combates, ao qual Trébol em si não possuía mas esboçou um breve sorriso visto que lutaria ao lado do amigo uma nova vez.


[ Diamante ]- – Trébol, temos que derrubar essa mulher rápido, mas primeiro temos que romper essa parede de cristal. Essa mulher é tipo aquele Rei que derrubamos, assim que vencermos ela, já voltamos pra casa. Doffy deve estar muito bravo conosco.


[ Trébol ]- Behehehe...Doffy deve estar muito bravo conosco...mas esse é o único jeito mesmo Diamante?


[ Diamante]- . – Vamos agir em conjunto como naquela vez?


[ Trébol ]- Behehehe...vamos.. Trébol havia cruzado os braços, estreitando seus olhos por detrás da máscara que lhe cabia, mantendo a expressão bem sério enquanto notava a beleza que a mulher por detrás da parede de cristal lhe atraía, mas ainda assim, não deixando de assumir uma postura quase tão ameaçadora quanto Diamante.




Trébol visou aproximar-se lentamente da parede de cristal, passando uma de suas mãos de maneira rápida, será que conseguiriam romper aquela muralha? Imediatamente, Trébol deixou seu braço esquerdo assumir um aspecto viscoso e então, disse. – BETA BETA CHAIN! Urrou enquanto notava que Diamante já havia se preparado para um ataque. Logo que suas palavras evadiram-se de sua boca, Trébol visou atar seu braço ao corpo de Diamante que já parecia ter assumido uma postura distante da muralha de cristal. – Behehehe....BETA BETA!




Imediatamente, Trébol visou girar o corpo de Diamante por três vezes, ainda que o espaço fosse curto e então, direcionaria Diamante violentamente contra a muralha, somado a sua própria forma, o golpe de Trébol iria potencializar a força de Diamante contra a muralha de maneira abrupta. – METEORA!!!!!!!



( Trébol fez isto com Diamante )


Caso obtivesse êxito, Trébol soltaria Diamante e avançaria junto com o mesmo, afinal, dificilmente a provocação propagada por Diamante não lograria êxito.




Trébol aguardaria uma abertura proveniente aos ataques desferidos por Diamante, ao qual visaria encravar a espada ganha pela aranha em outro momento para derrubar Gama, visto que, Diamante não parecia utilizar-se da espada que lhe fora conferida.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   13.04.15 22:48

Halfaxa ouviu pacientemente a explicação da criatura que, segundo suas esperanças, não seria uma ameaça a partir de agora. Ficou incomodado, mas não perplexo. A vida de Halfaxa era pautada na resistência de um sistema corrupto e genocida, e ele sabia muito bem como se posicionar em relação a isso. Pelo menos em seu cotidiano. As vidas roubadas pela monarquia de Parched não diferenciavam muito daquelas consumidas para sustentar a opulenta elite de Bezed. Mais do que por empatia, mas por ideologia e fazendo jus à sua posição na Fortaleza Ilimitada, Halfaxa tomou sua decisão.

...Eu aceito. — disse o rapaz, com um olhar firme, após um longo suspiro e alguns segundos de silêncio. Novamente, pensara em sua família e ansiava pelo retorno, mas não de forma desesperada e melancólica. Uma estranha porém intensa esperança surgia. Ele não poderia mais ser vítima das situações, nem de si próprio, e esse momento, por mais desesperador que fosse, era a oportunidade ideal para que o rapaz provasse para si mesmo sua dignidade e capacidade. Um sorriso breve se formou em seu rosto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 21
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   15.04.15 2:51

Ao ser arremeçado, Nick se viu no chão sentindo seu corpo rolar com o impacto, ainda estava tonto mas podia distinguir que não estava mais dentro do turbilhão de água. Sua espada estava bem ao seu lado, segurava a msma enquanto fora jogado, tentou se levantar mas estava com dores em todo o corpo, especialmente na parte da costela, talvez tivesse quebrado alguma coisa, tentou ignorar a dor, ela podia ajudar em algum momento. Foi quando percebeu uma presença, vinha rápida e mortal. Com o reflexo que o sobrava sentiu o golpe da espada acertar a lamina negra de Amaterasu multiplas vezes, vindo de todos os lados sem piedade, Nick suportou todos os golpes com maestria apesar de sentir intesas dores e por fim segurou o ultimo golpe de forma transversal, esperou milesimos e contra-atacou. Usou da força restate para jogar a mulher para trás impulsionando sua espada contra a dela, já que ela tinha parado de encontro com sua espada. Aproveitou o impulso repentino para disparar um chute  e em sequencia um golpe com Amaterasu, um golpe de agulha onde a ponta da espada estava direcionada para o coração, pelo menos ele esperava que o coração da mulher ficasse no mesmo lugar do coração humano, se é que ela tivesse um.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   16.04.15 13:58

Luffy apenas ficou um pouco assustado com toda aquela água, o que iria acontecer logo em seguida? Ouviu o que as garotas disseram e logo após isso, olhou para cima e viu um pequeno buraco com uma fraca luz saindo dali. Olhou para aquela água e percebeu que não estava sozinho, tinha vários monstros alem daquela mulher ali.

Eu não estou morto! Eu vou voltar para os meus nakamas! Gomu Gomu no Fuusen!

Então, nesse instante, puxou o máximo de ar que consegui e em um instante, sua barriga cresceu muito até ficar parecendo um obeso. Então, Luffy fechou a boca, deixando todo o ar que respirou preso dentro de si.



Logo após isso, no mesmo instante, virou a sua cabeça para baixo e forçou a barriga para trás e, com um pequeno buraco de sua boca, soltou todo o ar que tinha dentro de uma maneira que saia um turbilhão de vento pequeno, como se fosse um jato. Imediatamente, Luffy começava a subir para o céu e logo em seguida, soltou tudo de vez que tinha em sua boca, se jogando com uma velocidade gigante para cima, esperando alcançar aquele buraco no qual viu. Olhou para baixo, dando tchau para a mulher e foi voando em direção ao buraco, esperando que tivesse uma oportunidade para sair.





Voltar ao Topo Ir em baixo
Catarina Oshua
Omega Game Master
Omega Game Master
avatar

Mensagens : 442
Data de inscrição : 30/06/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   19.04.15 11:51

Diamante/ Trébol


Antes de Diamante decidir o que fazer, este fez uma pergunta ao dragão e recebeu uma resposta imediata.

- Na sua realidade existe a palavra teatro, imagine que estou representando, tenho que manter o personagem.


Diamante entenderia a resposta do dragão? Não sei! O guerreiro seguiu adiante, mas como era esperto fez mais perguntas ao Dragão e novamente recebeu respostas imediatas.

- Você não tem que arrebentar a muralha de cristal. O ponto fraco de Gama é a cabeça, pois ela é um ser que tem o poder de manipular mente. Até agora tudo o que você enfrentou foi fruto de sua mente, por isto tudo aqui é feito de forma a abater o oponente. Os que chegam aqui não sabem disto e por isto mesmo são derrotados, nem mesmo telepatas poderosos conseguiram descobrir isto a tempo de recuperarem suas almas. A única vantagem que você, Trébol e Halfaxa têm é a espada, use-a com sabedoria.

Diamante ouviu as palavras, porém mesmo assim agiu de forma a derrubar a muralha, assim como Trébol . Quando ambos tocaram a mesma sentiram algo surpreendente. Sentiram na pele a sensação de estarem mergulhados em gel. Trébol jogou Diamante contra a parede, a ação foi eficiente, mas ao invés de quebrar a muralha, o corpo de ambos foi absolvido pelo gel. A mente de ambos esvaziou-se. Não se lembravam de quem eram ou onde estavam. Nada além do infinito vazio. O corpo de ambos estava deslizando pela viscosidade de Gama. Um infinto tempo passou até que ambos começaram a cair, cair de forma rápida. Abaixo deles apenas um mundo de água.


Água para todos os lados. Dava para sentir o ar salubre da água. Não tinham a que se agarrarem. Trébol abriu os olhos e a sua frente viu o belo rosto da mulher. Discos eram manipulados de forma rápida e em um deles o homem viu Haru, em outro Luffy e num terceiro Nick. Todos estavam fadados à morte. Uma áurea amarela os circundava. Trébol também viu o garoto que tentou ajudar anteriormente. Seu disco passou bem perto do homem, talvez ele pudesse ajudar.

Diamante também abriu os olhos, ao olhar para baixo apenas a água. Um pavor sem tamanho tomou conta de seu corpo. Ele via Trébol e quando forçou mais seus olhos percebeu os companheiros nos discos. Um pequeno disco azulado tocou o ombro de Diamante, toda sua identidade foi recuperada e as palavras do dragão ficaram claras para si. Diamante era o único que sabia o que fazer e como fazer. Estava na hora de destruírem Gama, pois ela era todo aquele gel no qual estavam mergulhados e cada golpe da espada causaria um efeito. Conseguiriam encontrar sua mente? Deveriam agir em conjunto, pois um golpe no lugar errado poria tudo a perder.

Halfaxa

Após a confirmação positiva de Halfaxa, o ser de lama enfiou a mão dentro de si, retirou dali uma espada e a entregou a Halfaxa.


- Dois dos que vieram com você já chegou até Gama, se você conseguir chegar até lá use a espada contra Gama, quantos mais golpes, mais chance de sucesso.


A criatura dissera apenas isto, Halfaxa não sabia quem era Gama e muito menos como chegar até ela. Devido a demora do rapaz em decidir-se, o tempo agora estava contra ele. Assim que a criatura se foi um corredor escuro mostrou-se à frente de Halfaxa. O rapaz andou devagar até ouvir gemidos de agonia. Não havia outro lugar para seguir além do corredor a sua frente. Após alguns passou Halfaxa deparou-se com um corpo coberto de larvas gordas. Elas reluziam no escuro. Os cabelos brancos da pessoa fez Halfaxa se lembrar do companheiro de cela. A voz do monstro de lama veio novamente à mente de Halfaxa.

- Não tem como salvá-lo, ele já pertence a Parched. Salve-se a si mesmo, salve sua realidade, ajude-nos a nos libertar.

As almas que pertenciam a Parched voltariam para seus donos, teriam o destino que mereciam conforme a crença de cada um, porém um resquício de vida era sinal que a alma ainda não pertencia a Parched. Halfaxa tinha em mãos a espada das almas, ela interrompia manipulações mentais, mas seria prudente usá-la em Haru que agora agonizava coberto de larvas?

Nick

Nick agiu com maestria, mas sua oponente não era tão fácil de ser derrotada. O que Nick não percebeu e nem teria como perceber é que sua oponente era ele mesmo e cada golpe que ele desferisse contra ela atingiria seu próprio corpo. Gama manipulava a mente dos oponentes de forma covarde. Assim que o rapaz atingiu o coração da mulher sentiu a pontada em seu próprio coração. A medida que a espada adentrava o coração da mulher, o coração de Nick também era golpeado. O corpo da mulher deslizou pela parede, mas desapareceu em seguida. O corpo de Nick tombou para frente, não havia sangue, mas a vida do rapaz estava prestes a despedir-se dele. Um som estranho encheu o lugar onde Nick estava caído. Ele ouviu o som de muito longe. O barulho lembrava plástico sendo rasgado. O rapaz, com extrema dificuldade, virou a cabeça de lado e o que viu lhe deixou confuso. Algo estava agarrado no que parecia ser um buraco e parecia gritar. Era como se um balão estivesse preso em um buraco. Nick também sentiu o chão abaixo de si rachar e seu corpo caiu em alta velocidade e mergulhou no que parecia ser um lago, a água era extremamente gelada. Nick sentiu os membros adormecerem, não lhe restava muito tempo de vida.

Luffy

Luffy era um rapaz arrogante e muito convencido de suas habilidades adquiridas após consumir a fruta que lhe concedeu poderes incríveis, porém, Luffy ainda era um humano e assim sendo possuía cérebro e tudo que possui cérebro pode ser manipulado, mesmo que se tenha uma força de vontade enorme. O rapaz debochou da seria que lhe observava, não deveria ter feito isto. Luffy subiu rapidamente para a saída, mas como dito anteriormente talvez ela fosse mais larga do que parecia, talvez não. A verdade é que não era tão larga e Luzzy ficou preso na borda, as pontas pontiagudas e afiadas dos cristais rasgaram o corpo de Luffy. Uma ventania forçou o corpo do rapaz pela pequena abertura e este ficou preso como um balão. Para completar A sereia saltou de onde estava. Ela lembrava um tubarão faminto. A boca da mulher bateu com força no teto da caverna, a mesma ruiu. Luffy despencou de onde estava diretamente para o lago frio lá embaixo. Partes de seu corpo estavam rasgadas e um de seus braços flutuava longe deste.  Luffy estava vivo, mas não ficaria por muito tempo, pois os seres que ali viviam estavam famintos.

Todos ai que ainda possuíam vida, estavam nas mãos de Thébol, Diamante e Halfaxa.







Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgorkut.forumeiros.com
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 21
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   19.04.15 23:26

A pontada que sentiu determinou o fim, não conseguia se mover nem enchergar nada, a dor era suportavel, ele nunca se importou. não tinha sangue e era difícil respirar, sua visão turva não o permitia saber o que acontecia, sentiu o vento e o impacto contra a água que de tão gelada o fez ficar completametne dormente, apartir dai não sentiu nada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Klaus
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 34
Data de inscrição : 23/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   22.04.15 14:31

Trébol havia lançado então seu parceiro contra a muralha de cristal ao qual parecia ser o único empecilho no caminho da dupla em chegarem a presença da grande vilã daquela arena, que parecia coordenar todo aquele horrendo espetáculo que havia se formado. Será que a realeza estaria acompanhando todo aquele feito? Trébol não saberia dizer, entretanto, assim que lançara Diamante contra a muralha, sentiu seu corpo ser tragado pela mesma. Em sua pele, uma estranha sensação de estarem mergulhados em algo parecido como gel, algo viscoso, chegando até mesmo a fazer com que Trébol acreditasse que seus poderes haviam se virado contra ele graças a longa e infundada história que cerca as Akuma no Mi.  A expressão de Trébol quando estava sendo tragado pelo gel era aterrorizante, ele não sabia o que fazer mas mesmo assim, seu corpo fora absorvido pelo gel.


[ Trébol ]- O que?! Indagou o homem antes de ter seu corpo imerso finalmente pela substância. De alguma forma, a mente do homem se esvaziou e seus objetivos lhe foram roubados, sua motivação em conjunto com os efeitos do gel fora zeradas e sua vontade se tornou nula. Trébol, graças àquilo, não recordava-se sequer de seu nome. Sua mente parecia ter entrado em um estado de paz e sua vontade havia sido reduzida a nenhuma importância. Uma série de indagações pareciam surgir a sua mente, entretanto, logo esvaindo-se graças aos efeitos daquela situação.


Pouco a pouco, Trébol sentiu a terrível sensação de seu corpo caindo, ele avistou um homem de grande altura também em mesma situação, entretanto, Trébol apenas movimentou-se a ponto de avistar qual seria o ponto final de sua queda e com isto, sua vida chegaria ao fim, entretanto, não conseguia se preocupar com isto, apenas avistando um mar infinito, algo que de certa maneira aguçou sua sensação de perigo, ele não podia atingir aquela água, mas não sabia exatamente o porquê. - O quê...eu vou...fazer? Indagou Trébol ainda em queda livre em direção ao mar infinito que se mostrava. O homem pôde então avistar diversos discos e com eles, os participantes que outrora avistava em combate, mas Trébol não recordou-se disso, apenas mantinha uma estranha sensação familiar do que havia ocorrido, entretanto, de alguma forma Trébol urrou. - Me ajudem!!!! A voz de Trébol parecia ecoar por todo o lugar, restava aguardar para ver se alguém ajudaria-o. Outro individuo também parecia manter-se em queda livre, entretanto, o homem pôde notar, ainda que ao longe, um disco tocar ao ombro de um homem e ele começar a movimentar-se desesperadamente, seria o disco um álibi para aquele tormento?


Trébol respirou de maneira profunda, o desespero crescente pouco a pouco parecia tomar conta de si, fora quando este finalmente decidira agir, Trébol tentou esticar uma de suas mãos e agarrar um disco, entretando, se tornando fisicamente impossível. - Eu...preciso...alcançar...um disco...rápido! A vontade de Trébol, pouco a pouco parecia retornar em uma forma desesperada de apegar-se a vida, estranhamente, o poder de sua fruta fora ativada, poder este que Trébol parecia desconhecer ao estado de memória que encontrava-se. Seu braço começou  a assumir um aspecto visco, indo violentamente em direção a um dos discos, para até então visar recordar-se de sua memória igualmente a Diamante. - Eu preciso alcançar! Urrou Trébol.


Caso Trébol alcançasse o disco, visando recuperar sua memória, imediatamente retiraria a espada que outrora lhe fora conferida, atrapalhando-se claramente na retirada da lâmina, seu cetro cairia, afastando-se de seu corpo rapidamente, entretanto, Trébol manteria a espada em riste, até que finalmente a lembrança das palavras da criatura que o ajudou-o momentos atrás chegasse a sua mente.


[ Aranha ]- Não se pode usar seus poderes em si mesmo. Por isto ainda estamos aqui, somos parte de um todo e por isto não podemos, nós mesmo, destruir Gama. Os vencidos nos alimentam. Seus poderes são absorvidos por nós, fundem-se a nós e não podemos usar estes contra gama, pois as almas destes está presa com ela, e ela faz com a alma o que desejar, menos devolve-la para sua origem. Você ainda não é parte de Parched, não foi derrotado e não será. Este é o seu trunfo. Você poderá lutar por sua alma, para voltar para sua origem. Seu amigo Diamante já está na presença de Gama.


Trébol suspirou de maneira profunda, seu olhar estreitou-se à Diamante e aos demais individuos que pareciam atados em disco, eles talvez já teriam se tornado parte de Parched. Trébol imediatamente colocou a espada a frente de si, segurando-a firmemente enquanto seu corpo parecia aproximar-se da imensidão aquática que estava a sua frente.  - Tudo aqui foi feito com intuito de nos matar, mas não vai conseguir! Behehe!!!!! Trébol enquanto ia de encontro a água, urrava com intuito de elevar seu próprio espírito, ele visaria chocar-se com a água e então, romper com aquela ilusão, isto é, se fosse na situação aparentemente igual a anterior contra um inimigo. Trébol visaria então romper com a ilusão e sair daquele poço de gel que havia envolto seu corpo. Não haveria como ele ter sido transportado por um mundo aquático tão fácilmente, sua perca de memória parecia recobrar a isto e finalmente, caso a ilusão fosse desfeita, Trébol poderia avistar Gama e toda a sua grandiosidade. Caso tudo o que Trébol planejara surtisse efeito e ele enfim avistasse a forma física de Gama, viraria-se em direção a gama, visando arremessar a espada em direção ao peito da mulher.- SINTA ISSO!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nanbrimbor
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   22.04.15 15:13

Diamante havia sido arremessado por Trébol, graças a parceria que ambos faziam adentro a família Donquixote em direção a muralha de cristal, por sorte, havia uma última pauta a ser enfrentada, o último inimigo havia se mostrado diante de uma equipe e logo a dupla decidira agir em conjunto. Trébol havia utilizado então os poderes de sua fruta para arremessar Diamante contra a muralha de cristal com o intuito de rompê-la para que finalmente pudessem alcançar aquela que parecia arquitetar e coordenar aqueles embates. Diamante concentrou uma grande força em seu braço para romper sem problemas a muralha, já podendo atingir sua oponente, entretanto, algo inesperado aconteceu. - O QUE?! TREBOL, RECUE!! Gritou Diamante enquanto sentia-se atravessando uma espécie de película, como se estivesse atravessando e inrrompendo para outra realidade, algo que nunca havia sentido.


O homem não sentira sua espada atravessar a grande muralha, muito menos sentira em suas mãos a firmeza de sua lâmina rompendo algo, sequer o ruído do metal da lâmina recebida chocando-se com uma superfície rígida. Diamante apenas percebera o que acontecera tarde demais para cessar sua investida, sentindo então uma espécie de gel, viscoso, tocar-lhe inicialmente suas mãos antes de envolvê-lo completamente. O homenzarrão fechou seus olhos com intuito de " afastar" mentalmente o que poderia acontecer consigo. " Droga, droga, droga, droga ". pensou o homem enquanto estranhamente sentiu sua mente esvair-se. Ele não conseguia mais pensar em nada, quiça lembrar-se de quem era ou dos poderes que possuía. Seu objetivo em estar ali havia sido esquecido e sua "adrenalina" em combater aquilo que parecia ser a campeã da arena havia sido deixado de lado, Diamante havia perdido toda e qualquer motivação, suspirando profundamente enquanto parecia de alguma forma " acomodar-se" áquela nova condição. - Onde estou? O que...estou fazendo aqui? Essas foram algumas indagações que passaram por Diamante enquanto ele próprio mantinha-se de olhos fechados, inerte, nulo.


A noção do tempo havia sido perdida por Diamante e não somente isto, seu espírito de batalha havia lhe sido tirado, igualmente uma motivação e um apego pela vida que ele não sabia descrever, fazendo até mesmo que ele balbuciasse algumas palavras enquanto começasse a sentir um ar salubre de água. - Porquê....eu existo...? Porquê estou aqui? Posteriormente, Diamante viu-se em queda livre em direção a uma imensidão aquática. Para onde o homem virasse sua fronte avistaria água, não havia sequer uma superfície sólida para agarrar-se, não havia sequer uma vontade ao qual apegar-se, qual era o sentido então de apegar-se a vida? Diamante permaneceu inerte apenas contemplando o que viria a ser a sua morte, sem preocupar-se com os efeitos disso. Sua tão amada vontade de lutar e de ser notado lhe havia sido tirada igualmente a ciência de quem era. Para quê resistir? Diamante esgueirou seu olhar para onde estava, avistando Trébol, um amigo agora esquecido, outros individuos pareciam presentes mas Diamante não preocupou-se em falar com os mesmos ou então pedir ajuda igualmente o que seu parceiro havia feito.


Um estranho estalo em sua mente pareceu acometer-se em seu ser que poderia ser descrito claramente como desespero, os olhos de Diamante percorreram uma segunda vez a região que se encontrava buscando algum apego agora pela vida, ele viu-se sem qualquer saída, apenas mantendo suas duas espadas em riste procurando algum apego. Não havia o que ser feito até um objeto tocar-lhe o ombro e finalmente a ciência retornar a Diamante, sua memória veio a si exatamente como seu objetivo e seu espírito de luta, acometido por um ódio de tamanha dimensão que fez o homem começar a ranger os dentes, enfurecido por ter sido pego em um truque tão barato. - Hehehe....belo truque. Diamante suspirou profundamente, indo de encontro as águas que era exatamente a tipificação de sua atual condição.


[ Dragão ]-- Você não tem que arrebentar a muralha de cristal. O ponto fraco de Gama é a cabeça, pois ela é um ser que tem o poder de manipular mente. Até agora tudo o que você enfrentou foi fruto de sua mente, por isto tudo aqui é feito de forma a abater o oponente. Os que chegam aqui não sabem disto e por isto mesmo são derrotados, nem mesmo telepatas poderosos conseguiram descobrir isto a tempo de recuperarem suas almas. A única vantagem que você, Trébol e Halfaxa têm é a espada, use-a com sabedoria.


Um largo sorriso pareceu brotar a face de Diamante. O homem colocou a espada a frente de seu corpo, preparando-se em queda livre para desferir então um ataque. A idéia de Diamante era simples, se acontecesse igualmente o que ocorrera consigo contra uma espécie de criatura aquática que havia sido colocada como seu oponente, ele atacaria a água e a ilusão seria desfeita. Segundo as palavras que havia escutado outrora pelo dragão, tudo aquilo ao qual estava ali havia sido criada para lhes matar, entretanto, como sabiam de suas fraquezas com tamanha precisão? Diamante sorriu, quem diria que o destino lhes pregaria uma peça tão engraçada? Diamante inflou ar para seus pulmões e então gritou.- TUDO ISSO È UMA ILUSÃO! ACORDEM! Urrou Diamante. - ELA BRINCA COM NOSSAS MENTES, NOS TIRA NOSSA MOTIVAÇÃO, NOS TIRA NOSSA VONTADE MAS AINDA ESTAMOS AQUI! RESISTAM!!!!!!


Enquanto propagava tais palavras, Diamante sentiu seu poder "escorrer" de seu corpo, indo de encontro ao artefato outrora que lhe fora conferido pelo dragão. A rigidez da lâmina se esvaiu e então Diamante visou desferir um corte a esmo pois originalmente estaria ele em uma espécie de invólucro gelatinoso, não havia necessidade, segundo ele, de atingir a água em si, tudo era um fruto da mente distorcida daquela mulher, daquela Gama. Diamante visou desferir inúmeros golpes a esmo com o intuito de romper a peça criada pela mente e então, direcionar-se as águas, caso a mesma não se dissipasse. -  VÌPERA GLAIVE!



Imediatamente, sua lâmina adquiriu um aspecto em zigue-zague, partindo em direção as águas neste segundo ataque. A desferição de Diamante consistiria em fazer a lâmina zigue-zaguear e atingir a água antes de seu corpo, logo, acreditava Diamante que a ilusão iria ser desfeita para até então ele visualizar enfim, Gama, sua inimiga. Caso obtivesse sucesso, enfim Diamante avistaria sua oponente e certamente Trébol haveria de atacá-la. - Trébol e quem estiver com sua consciência, a cabeça dela!!!!! Urrou Diamante enquanto erguia sua lâmina em direção aos " céus". - HALF MOOON! Violentamente, uma pressão de ar gerada pela lâmina iria em direção a Gama, visando atingi-la, entretanto, o verdadeiro intuito de Diamante era distrai-la. Habilmente, o homem então visou correr em direção a sua oponente ou o estado de truques em que ela se encontrasse desta vez, visando golpeá-la na região da cabeça utilizando sua lâmina em estado vípera glaive que assemelhava-se em um muito a uma víbora, visando atingi-la na cabeça. - EU SOU DIAMANTE! E AGORA VOCÊ VAI CAIR!



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   24.04.15 22:04

Inesperadamente, acabou ficando preso naquela borda e rasgou todo o seu corpo devido a isso. Sentiu algo batendo no teto e caiu dali de cima, indo direto para a água, percendo que perdeu o seu braço e caiu gritando. E quando bateu na água, tudo pareceu escurecer aos poucos para ele e, seu corpo pesando devido a água, ia diretamente para o fundo desta.

Este é o... Fim?... Desculpe... Zoro, Robin, Nami, Chopper, Sanji, Franky, Brook, Ussop...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   26.04.15 0:34





Takigawa Haru Capítulo I //O1//O1.
❝So it was you who I expected all this time...❞
.
Haru sairá por um momento da fumaça, que parecia não se importar, chegava a ser engraçado pensar dessa forma, a fumaça não se importa, aliais ela era apenas fumaça, então com o que ela se importava? Mas era engraçado, dessa vez por algum motivo a fumaça não havia o perseguido, ela se mantinha ali para quieta; Haru por sua vez começava a dar algumas risadas em tom baixo, que logo se transformavam em gargalhadas longas, não se sabia se aquelas risadas eram de agonia ou de dor, quando Haru finalmente conseguia abrir seus olhos, ele se deparava com uma cena horrível, vários vermes saindo para fora de sua boca, e embora não conseguisse ver, de seu peito também, era uma visão um tanto que horrível, ele sentia algo se esgueirando para fora de seus ouvidos, ele também sentia uma certa dificuldade em conseguir respirar, era porque também havia vermes saindo de seu nariz, o jovem ficava simplesmente paralisado, até porque ele não conseguia respirar direito, então não sabia muito bem o que fazer em seguida, ele só se perguntava o que diabos estava acontecendo, aquilo... Aquilo... Aquilo não podia ser real... Aquilo... Aquilo... Sim, aquilo não podia, não podia... Ser real...

 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Catarina Oshua
Omega Game Master
Omega Game Master
avatar

Mensagens : 442
Data de inscrição : 30/06/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   26.04.15 22:13



A vida é cheia de ironias, mas com certeza certas ironias entram pra história.

Diamante/ Trébol

Os dois amigos lutaram juntos com extrema precisão, de onde estavam os parchedianos sentiam que haviam feito a escolha certa. A violência e precisão dos golpes conjugados rendeu a quase vitória de Diamante e Trébol, porém nada pode ser fácil senão perde o sentido.

Quando Trébol atingiu o lugar que seria o coração de Gama a lâmina passou por um disco, um disco de alguém que a muitos anos estava preso com Gama. O poder deste ser era um dos mais poderosos ali e por isto mesmo o mais volátil de todos. Ao tocar o disco Trébol sente, ouve e enxerga a agonia de mais de mil almas. Foi algo tão forte que fez com que o guerreiro perdesse o sentido. Ele havia chamado Halfaxa, mas o rapaz realmente não estava preparado para o lugar onde foi, era imaturo e ineficiente e assim sendo Halfaxa não socorreu Trébol. A agonia apertava o coração de Trébol de tal forma que ele desejava a morte, porém ele não pereceria ali. O ser que foi “acordado” por Trébol segurou o homem pela cabeça e falou num sussurro.

- Tu és bravo e o mundo pertence aos bravos e corajosos.

O corpo de Trébol foi ficando cada menos sólido até chegar ao ponto que não existia mais ali. Alguns minutos se passaram, minutos estes que foram usados por Diamante para acertar a cabeça de Gama. O guerreiro acertou, porém o golpe não foi suficiente, mas Diamante não iria se render. Novamente ele golpeou e então o ser de poder infinito juntou-se a Diamante e falou em sua mente.

- Obrigado, vamos acabar definitivamente com isto.

O ser estava alinhado a alma de Diamante e então a espada novamente moveu-se e desta vez a cabeça de Gama foi separada de seu corpo. Diamante sentiu apenas um calor enorme, seu corpo parecia em chamas. De muito longe ele ouviu vários agradecimentos, sentiu uma alegria que nunca havia sentido. Sua missão havia sido concluída.

De volta ao lar

Dressrosa

Diamante acorda e pisca algumas vezes, olha ao redor e como sempre abre um largo sorriso. Ele nãos e lembrava exatamente do que houve, mas sabia que algo de muito importante foi executado com sua ajuda. Ee era o rei em uma arena alienígena e era o libertador de muitas almas.
Trébol demorou um pouco mais para voltar, mas quando voltou estava um tantinho desapontado, afinal sabia que nem todos haviam sobrevivido à arena. Quando perdeu o sentido e foi resgato pelo ser de grande poder, ele deparou-se com Halfaxa, mas ele não sabia que era Halfaxa. O que viu à sua frente foi um monstro que expelia vermes pela boca e andava parecendo um zumbi. Falaram em sua mente.

- Salve-se.

E foi isto que Trébol fez. Usando a espada que lhe foi conferida ele atacou o ser, mas assim que retirou a espada o ser se transmutou em Halfaxa> Trébol sorriu, pois havia libertado Halfaxa, porém na mente do rapaz ele havia sido gravemente ferido, mesmo sendo um portador de uma das espadas da alma. A mente de Halfaxa lhe enganou e então o rapaz manteve-se estirado no chão e se recusou a viver. Seu corpo em sua realidade não suportou e veio a falecer. Trébol foi levado de volta a sua realidade, estava livre.

O que na verdade ocorreu é que Trébol teve uma segunda chance, pois mostrou-se honrado e corajoso, não merecia perder sua vida.

Haru

O menino debochado foi mai forte e inteligente do que pensavam talvez se tivesse um ego menos inflado teria sido escolhido para portar a espada que erroneamente foi parar nas mãos de Halfaxa. Os vermes caminhavam pelo corpo de Haru, faziam cócegas em sua garganta , mas de alguma forma o rapaz sabia que aquilo não era real, sua mente fortaleceu-se e então Haru, também, foi devolvido a sua realidade. Ele despertou sem lembrar-se muito do que ocorreu, mas olhava desconfiado para seu peito e muitas vezes passou a mão pelo corpo para certifica-se eu não estava tomado de vermes.

Luffy

O rapaz de borracha entrou-se a sua realidade, deixou-se levar para o fundo do rio, porém seus últimos pensamentos o salvaram. O rapaz voltou para sua realidade, para seus companheiros. Na mente dele tudo fora apenas um pesadelo que demorou tempo demais para acabar.

Nick

De todos que estiveram na arena, Nick parece ter sido o que mais se chateou com o resultado de sua investida. Por não te tido a perspicácia de entender que tudo era uma manipulação, se deixou levar. Quando sentiu apontada no coração ele se entregou, em nenhum momento lutou por sua vida, talvez ele achasse que não valia, mesmo, a pena lutar por ela, porém regras são regras. Assim que atingiu o coração de sua oponente ela desfez-se à sua frente e assim Nick recuperou o direito de ter sua alma de volta. Em sua realidade ele sofreu uma arada cardíaca seria, porém foi trazido de volta após receber uma desfibrilação no peito. O rapaz voltou e olhou para sua companheira. Flashes do que viveu invadiram sua mente, porém agora ele estava de volta para sua vida e nada mais importava.

Epílogo

Muitas almas voltaram para seus donos, outras tantas foram para moradas que não sabemos onde fica. Parched não existe mais, oque existe agora é apenas uma força de grande imensurável que protege várias e aias galáxias. Ela talvez possa ser corrompida, pois Gama coexiste dentro dela, porém até segundo ordem o Universo está seguro.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgorkut.forumeiros.com
Catarina Oshua
Omega Game Master
Omega Game Master
avatar

Mensagens : 442
Data de inscrição : 30/06/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   19.06.16 14:00

http://i35.servimg.com/u/f35/18/91/59/81/maxres10.jpg
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgorkut.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Quest - Arena   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Quest - Arena
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
RPG JOGOS :: Geral :: QUESTS FINALIZADAS :: Quest - Arena-
Ir para: