INTERESSADOS EM JOGAR, ACESSEM: http://orkutando.online/comunidade.php?com=2717
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

  Quest - Prisão de Sangue

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Quest - Prisão de Sangue   05.08.14 20:23

1. Dia que a quest vai começar: Transferência de Quest


2. Número de Jogadores: 5 - Qualquer editora e inventados


3. Do que se trata a quest: Cárcere, Morte, Jogatina, Corrupção - Situação em que os players são raptados e encaminhados a uma prisão onde o tema é o mais básico, sobrevivência, unindo-se ou não, o objetivo é sobreviver, o maior prêmio de vocês, a vida, dos apostadores, montantes de dinheiro, divertimento com as mortes e combates. Há espaço na quest tanto para combatentes quanto para estrategistas, tudo será bem vindo. Vocês são recrutados involuntáriamente e encaminhados a uma prisão para sobreviver, nem todos estão ali naquele "jogo" por prazer, alguns estão desesperado e farão qualquer coisa para sobreviverem até mesmo....matar.

Prévia Introdução: Séculos de violência, corrupção e ceticismo semearam uma safra cruel ao redor do mundo. Grassam as guerras e o sangue dos inocentes é derramado, cada um portando seus ideais, sejam eles ruins ou não, quem julgará? A misericórdia e compaixão são pulverizados sob os calcanhares daqueles ousam julgar, quem está certo, quem está errado? A fé é pervertida pelas maquinações dos políticos, sacerdotes, criminosos e o poder executivo, todos possuem seu preço. Agora, a tempestade grassa entre o mundo real e o surreal e então os portões do inferno foram rompidos, os demônios internos de cada um se coloca a prova e o destino de alguns seres sobrenaturais estão em jogo....de qual lado você ficará adentro a esta prisão...qual será sua limitação?


┌■■■──────────────────────────────────
" Todos....repito...todos, possuímos dois lados, aquele que alimentamos mais, seja o bom ou o ruim, nos guiará perante todas nossas ações. As vezes, tememos que nosso lado negro se aflore mais e as pessoas não entendam, não entendam o que isso significa, mas é desse lado que eu gosto, é este que eu quero aflorar, e é este que eu, por todos os poderes investidos irei lhes fazer passar! "

┌■■■──────────────────────────────────

Segundo o que versa os péssimos rumores, muitos desacreditam, talvez seria uma espécie de brincadeira sem graça ou então, algo que sequer pertence a nossa realidade, talvez a surrealidade do lado negro de uma pessoa cause o temor, talvez a mente doentia de um cientista ou a mente corrompida de um policial cause temor, seja você bom ou então mal, por seus ideais você terá de pagar.

De tempos em tempos, uma espécie de "Jogo" é elencado, apostadores, jogatinas, a policia tornou-se corrupta, os politicos tornaram-se ainda mais corrompidos praticando o tão conhecido ato do "crime do colarinho branco", o surreal funde-se ao real e as criaturas sobrenaturais vagam pela noite, buscando atos de heroísmo segundo sua percepção ou atos vilânicos segundo seus ideais, mas quem poderia julgar o certo ou errado, trata-se apenas de dinheiro, de montantes enormes, de tempos em tempos um grupo de pessoas são selecionados e a grande aposta envolvendo enormes quantidades de valores, itens raros ou mesmo sobrenaturais grasnam por um único vencedor, mas qual seria o objetivo? O último membro que restar em pé.

O prêmio para esta jogatina surreal aos participantes? Sua vida. Aos apostadores? Uma vida rica e adorável, ausentando-se do fato de que eles se divertiriam nas mais diferenciadas mortes, arremessando seus participantes uns contra os outros ali para morrer, sem desconhecer sua situação, aliar-se ou afunilarem-se em um combate sangrento? Esta é uma escolha que apenas os participantes poderiam realizar.

Todos os participantes "voluntários" estão cuidando de seus afazeres, heróis estão salvando, lutando por uma justiça que para muitos neste regramento não vale de nada, os vilões estão cuidado de seus próprios ideais e seus ensejos mesquinhos, os neutros, sejam mercenários ou meramente egoístas estão cuidando de seus maravilhosos afazeres, cada um, cada participante voluntário cuidando de sua própria vida com suas dificuldades, possuindo vantagens ou desvantagens com relação ao seu cotidiano. Todos, em meio a seus afazeres são abordados por um estranho homem, com vestes demasiadamente elegantes, típicas de datas festivas sociais ou simplesmente ao gênero típico da Era Vitoriana, roupas sociais negras, sua pele é acinzentada revestindo totalmente a coloração do homem, sua postura é impecável, transpirando elegância em si, o homem direciona-se então a cada um de vocês, sejam em qualquer lugar ao qual estejam acometidos, reverencia-os de forma cordial e atenciosa, um leve sorriso brota em seus lábios enquanto o homem ajeita a cartola sob sua cabeça despreocupadamente.


{ ??? }- Saudações meu(inha) caro(a), estou aqui para convidar pessoalmente você a participar de um maravilhoso evento que ocorrerá amanhã na grandiosa Cidade Cícero, teremos muitas festividades....creio que se sentirá muito confortável se puder acompanhar. Teremos muitas atrações interessantes nessa festividade...

Um breve sorriso brotará na face do estranho homem que simplesmente, independente da resposta seja ela positiva ou negativa, surgirá, um sorriso que volta e meia tornar-se-á macabro, seus olhos cintilaram como dois globos reluzentes branqueados enquanto diversas borboletas púrpuras surgirão a sua volta, inúmeras borboletas púrpuras farfalhando suas asas ao redor do homem.


{ ??? }- Você é a principal atração...hahaha

No momento em que o homem proferir tais palavras, as púrpuras borboletas irão emitir uma espécie de energia de mesma coloração, a visão de todos os convocados tornar-se-á turva e finalmente, desmaio, apenas dando tempo de se olharem para o homem uma última vez antes de desacordarem, escutar então um " Seja bem-vindo. "

Horas Mais Tarde



Todos os convocados acordam em uma cela una, todos estão ao lado um do outro, as grades são extensas verticalmente possuindo poucas barras horizontais, a grande cela ao qual se encontram está impecável, cerca de 3 beliches acometem-se por todo o local, a péssima iluminação da cela é notável, visto que, a luz é fraca o constante som das goteiras do lugar podem chegar até mesmo a irritar, produzindo um ritmo quase que irritante por toda a cela, entretanto na mesma há cerca de 6 individuos contando com vocês [4], ou seja, mais dois individuos. O primeiro, um homem de aproximadamente 27 anos, barba por fazer, óculos fundo de garrafa e cabelos longos levemente enegrecidos, sua pele é alva e suas vestes lembram um pouco do período vitoriano, suspensórios e vestes sociais.




{ Nicholas Boltok }

O segundo individuo, um idoso, baixinho, portando roupas equiparadamente a uma farda militar, com óculos fundo de garrafas e olhos desalinhados, muito maiores do que sua face provavelmente comportaria, sua expressão é totalmente assustada em contraparte a sua expressão demasiadamente insana, o peso de sua idade recaí claramente pelo seu corpo com traços firmes de expressão adornando sua face, seus cabelos, de coloração acinzentada e de uma forma cheia, auxiliam na aparência velha e insana do homem.




{ ?? }

Vocês despertam com uma dor de cabeça terrível que ao decorrer de alguns minutos ameniza notavelmente, porém, vocês podem notar ao seu redor que quase tudo, com exceção dos colchões da beliche é feito de ferro, entretanto, aquele que tentar a fuga, imediatamente terá em seu corpo uma espécie de selo que cruzará todo o seu corpo cintilando em rubro em forma de X, causando imensa fadiga e então, assim que despertarem imediatamente podem notar o que esta se acometendo em sua situação, estão encarcerados, portando em seus corpos uma espécie de selo que impede de manifestarem seus poderes mas não de não usá-los. Conforme despertam, lamúrios, urros e o agressivo som de pancadas ecoam por todo o local e não somente nas celas em que se encontram. Assim que recobram sua consciência, o membro mais jovem se manifesta, esboçando um breve sorriso.

{ ??? }- Olá....como vão? Meu nome é Nicholas Boltok, cheguei aqui da mesma maneira que vocês, mas acordei já tem um tempo...vocês não tem noção de onde estão, não é mesmo? Já ouviram falar na Prisão de Sangue?

Um breve sorriso propaga-se na face do rapaz enquanto ele retira um maço de cigarros de suas vestes, elevando um dos mesmo até seus lábios e então, acendendo-o, deixando que a fumaça escape por dentre seus lábios lentamente.

{ Nicholas }- ....é um jogo, todos aqui estão para jogar mesmo que involuntáriamente..hehe...aquele velho ali já venceu 4, mas não é o favorito daqui...olha o que este lugar causou a ele, ele está perdendo a sanidade aos poucos, pobre velho...ha ha

{ ??? }- Cala a boca moleque...você não sabe de nada.

{ Nicholas }- Homem dificil...eu estou aqui já a alguns dias...vocês foram jogados aqui ontem...e não tentem usar muitos seus poderes, se não vão ficar tão cansados e irão desmaiar de novo...eu não tentaria sair daqui se fosse algum de vocês....eu consegui um pouco de informação com este homem aí e o que os outros concorrentes estão gritando pelos corredores, de qualquer forma...mas ele não gosta de falar muito, se quiser tentem algo com ele mas ele é complicado demais...eu apenas sei que é um jogo...as pessoas pagam pra ver as pessoas se matarem, acredita? Aqui é assim...ou você mata ou morre...se alia ou não, alguns gostam e são taxados de prediletos, como o vovô aí...

O homem então traga mais duas vezes seu cigarro, soltando a fumaça rapidamente.

{ Nicholas }-...apenas sei que haverá morte...muitas mortes...

{ ??? }- Mortes moleque?! Você não tem idéia do que é isso aqui!!! Você não tem! Essa droga de selo que colocaram na gente, restringem nossos poderes! Sabiam, eles restringem nossos poderes, nos deixam cansados, impedindo a nós de fazer qualquer coisa! Eu poderia sair daqui mas me convocaram de novo, não me deixam em paz, eles deviam me deixar em paz, eu nunca mais queria vir pra cá. Logo vai começar....os gritos...os choros...eu não quero mais nada disso! Eu nunca gostei daqui mas faço o que é preciso pra sobreviver, não quero nenhum grandalhão aqui me afundando nessas malditas grades! Isso aqui está longe de ser um jogo, é o fim de tudo!


{ Selo }

Nicholas suspira pesadamente enquanto inclina-se sentando sob o solo e encostando suas costas na parede do lugar. O estranho velho inclina-se próximo a grade, forçando sua cabeça contra as barras de ferro da mesma, tentando observar algo fora do lugar, mas a única coisa que conseguem ver são extensos corredores com muitas celas ao redor. O velho então suspira pesadamente olhando de maneira desconfiada todos vocês, até que um estranho sorriso brota dentre seus lábios e então, passa a se manifestar novamente.


{ Corredor }

{ ??? }- heheheh..por mais poderosos que vocês parecem ser, isso aqui não vale de nada...hahaha..Eu sei exatamente como funciona por aqui...bando de moleques...mas aqui é o inferno, sejam bem-vindos a ele..hahaa..todos terão que matar sabia? Todos vocês...sem exceção, se não matarem, serão mortos...ahahaha...posso dizer o que precisam saber MAS!

E então o velho levantou-se, esboçando um largo sorriso, colocando ambas as mãos em suas costas e caminhando em direção a cada um de vocês, dando uma volta ao redor de cada um, todos estão espalhados pelo chão, escolhendo levantar-se ou sentar-se e então parando por fim em um local para que todos possam encará-lo.

{ ??? }- Quero algo em troca de cada um de vocês...ahahhaa..incluindo de você, Nicholas ahahahha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   05.08.14 20:30

I n f o r m a ç õ e s

Podem tentar persuadir o velho homem que segundo Nicholas vencera quatro vezes a competição ou então esperar para ver o que vai acontecer. Narrem como foram abordados pelo estranho homem, o que estavam fazendo e como estão se sentindo por terem suas habilidades restringidas. Devo ressaltar que o selo que vocês possuem não impedem de usar seus poderes, entretanto, se usarem, ficarão exaustos, quanto mais forte for o poder mais rápido entrarão em fadiga. Aquele que possuir poder suficiente para arrebentar com as grades, fiquem a vontade, a escolha é de vocês. Sou apenas aquele que os guiará nesta Prisão de Sangue, porém, as atitudes são tão somente suas. Viver ou Morrer, Façam sua Escolha. Vocês não possuem armaduras ou equipamentos, podem estar trajando suas roupas normais a sua escolha, porém, inicialmente vocês não tem nada a não ser um selo que limita suas habilidades.

Prazo para os Jogadores Repostarem: 15/08/2014

*Obs: Os jogadores que não confirmarem presença na quest até a data acima estipulada, estarei abrindo para o ingresso de novos players.

**Obs: Podem modificar suas postagens se quiserem ou repostar apenas, ficam a critério de vocês, se quiserem fazer mais perguntas a qualquer um dos npc's ali, fiquem a vontade.


{ - Qualquer dúvida pessoal, utilizem o chat e está tudo certo hehehe Vamos lá! }
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   07.08.14 20:25


Era um típico fim de tarde no Central Park. Verão, sol, parque cheio, diversão. Nada melhor que isto. Minha noite tinha sido agitada, mas por sorte não machuquei nada. Dei-me aquele sábado quente de folga. Não levei nada de defesa comigo, apenas meu skate. Já havia andado bastante e parei para descansar e observar o espetáculo particular do astro rei. Há muito mão me dava um dia de folga e justo neste dia algo estranho tinha que acontecer.



Reparei na aproximação do homem, o crepúsculo já havia passado e a noite já tornava-se senhora do lugar. As roupas não condiziam coma época e muito menos a sua fala. De início não dei muita ideia, afinal estamos em Nova York e aqui anormalidade é normal, porém algo me fez ficar curiosa, nunca ouvi flar de uam cidade que se chamasse Cícero. Fico de pé e faço menção de afastar-me, porém algo inusitado acontece. Borboletas, sim borboletas púrpuras rodeiam aquele homem e seu sorriso torna-se macabro. Sinto o corpo esquisito, fraco, como se estivessem puxado a tampa do ralo e que estivesse descendo pelo cano. Antes de cair escuto as palavras dele.


“Seja bem vinda”


Com a voz fraca eu tento falar que aquilo era um equívoco, mas já era tarde demais.

Horas depois [..]


Acordo com um pingar ritmado e irritante. Abro cuidadosamente os olhos e ao fazer isto parece que meu cérebro foi bombardeado várias vezes. Aperto as têmporas e balanço devagar a cabeça, sinto a boca estranha. O lugar é mal iluminado, frio. Devagar a dor de cabeça cede e posso tentar ver onde estou. Conto cinco pessoas, analiso as rapidamente. Meu olhar recai com mais cuidado em cima de um homem mais velho, de olhos fora da orbita, uma espécie esquisita. Nem cogito buscar meu skate.


Um homem se apresenta e presto atenção em suas palavras e gestos, algo nele não me agradou. Aprendi desde cedo que quem fala demais, dá bom dia a cavalo. Para quem estava naquele lugar há apenas dois dias ele havia feito descobertas demais e estava muito à vontade, algo não me cheirava bem. Quando ele pergunta se sabíamos o que é “Prisão de Sangue” meneei a cabeça em negativa, mas não disse nada. Não fazia ideia do era mesmo. Ele parecia um arauto. O prazer com que descrevia as coisas ruins era pedante. Eis que o segundo homem começa a falar, este por sua vez não se apresenta e fala com firmeza, com pose. Observo e minhas suspeitas se confirmam após eles nos analisar. Sua risada é medonha e ele diz que quer algo de nós. Um dos que residiam no local comigo manifesta-se de forma estranha, seria ele algum revolucionário? O discurso era bem parecido. Espero ele se calar e pergunto ao homem de olhos estranhos.


— Estamos presos, o que podemos lhe oferecer? Lealdade? Seria isto? Quais são os seus poderes? Porque eu, não tenho nenhum!


Nunca tive medo da morte, mas nunca deixei de lutar. Já me estrepei bastante praticando meu hobby de justiceira. Aqueles caras tinham jeito de gostar de dinheiro, mas a forma insana de ambos denotava apreciarem algo mais e eu temia, um pouco, por este algo mais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   08.08.14 22:43

UUUUUUUUUUUUUUUUUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHSAOÇFBSAIFUSABNI

Bocejou Daisuke que andava pela floresta, com os braços jogados pra baixo e andando na maior preguiça. Mais um pôr do sol, o dia tinha acabado e Daisuke estava cansado, tinha participado de uma briga de rua, como um torneio e tinha perdido em segundo lugar e estava meio para baixo. Enquanto andava pela floresta, foi a sua árvore favorita e mais confortável para dormir durante a noite, portanto, no meio do caminho, encontrou um homem.

Huh?





( ??? ) - Saudações meu(inha) caro(a), estou aqui para convidar pessoalmente você a participar de um maravilhoso evento que ocorrerá amanhã na grandiosa Cidade Cícero, teremos muitas festividades....creio que se sentirá muito confortável se puder acompanhar. Teremos muitas atrações interessantes nessa festividade...
( Daisuke ) - Ha, eu quero! o/

Disse Daisuke, com um sorriso no rosto e logo depois viu aquele sorriso sarcástico do homem e várias borboletas ao redor dele e notou que ele não era uma pessoa qualquer.

O que você...?

Disse Daisuke e sentiu seus olhos pesarem, tentou andar um pouco para frente e acabou caindo no chão, desacordado.

Uh...

Quando acordou, estava em um lugar diferente, parecia ser uma cela. Era escuro o local, Daisuke via apenas grades e alguns pingos de água que caia no chão, o que deixava o local mais tenebroso e o mesmo se levantou e ficou de pé e agarrou as grades, balançou e começou a gritar.

EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII, ALGUÉEEEEEEEEEEEEEM? ONDE QUE EU TO??????? AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH!!

Disse Daisuke, querendo sair dali e batendo a cabeça nas grades, como se fosse um louco. De repente parou, encarou as grades um pouquinho, se virou e sentou no chão, cruzando os braços e a sua gola que era levantava cobria um pouco de sua boca.

Que chato. Será que faz tudo parte do que aquele cara disse?




Ficou com aquela cara de bunda, olhando para os que estavam ali naquela cela, até começar a ouvir um cara falar e explicar as coisas direito e ficou observando ele, com uma expressão mais séria e quando ele falou sobre a tal marca, Daisuke levantou a sua blusa e viu aquela marca, portanto, suspirou e continuou a ouvir o homem e permaneceu calado. Focou naquele velho que agora, começava a falar e apenas abaixava o rosto um pouco e ficava a observar o que ele dizia, com as costas encostadas nas grades.

O que você quer em troco? Lealdade? Quer que morremos para você sair vivo daqui? Vamos, desembucha.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   10.08.14 15:15

Era mais um dia como todos os outros em uma pequena cidade do Canadá. Stella saia todos os dias para sua rotineira vida escolar, e uma ânsia por um final de semana, queria treinar até cair no chão de tão cansada, no entanto, queria algo novo. Enquanto se arrumava para mais um dia de aula, Stella procurava algo, suas luvas, havia deixando-as em algum lugar. Sem mais, olhou por todos os cantos, mas nada, até que pensou em procurar sobre o guarda-roupa dando de cara com sua Katana, fazia muito tempo que não praticava, as aulas de boxes a tomavam de uma maneira incrível, e já que procurava fazer algo novo, por que não tentar? Ela nunca foi de andar com sua Katana, sempre achava desnecessário, ela suspirou com um pequeno sorriso quase imperceptível em seus lábios, estava de bom humor e quando pegou seu item bateu aquela vontade de voltar a treinar e as luvas que se encontravam dentro do guarda-roupa, e lá ficaram. Terminou de arrumar as suas coisas, fechou a mochila e pegou sua Katana. Deu um rápido tchau para seu primo e foi para os seus afazeres. Depois que as aulas acabaram, Stella foi com toda a velocidade para o clube de Kendô que ficavam poucos minuto de sua escola. Fazia tanto tempo que não ia, nem lembra a última vez que frequentou aquele local, parecia estar animada.
      Ao entrar no lugar era cumprimentada por seus companheiros, ela não era muito de conversar com as pessoas, mas se sentiu animada e acabou dando um breve aceno para os presentes. Eles a perguntavam por onde a garota andava, o que fazia, porque parou de praticar, ou até mesmo diziam que tinham ficado mais bonita, e Stella só assentia as vezes, bastante tímida. Logo tirou a bainha de sua Katana mostrando a lâmina que deixava a desejar, o seu item tinha pequenos detalhes de dragões, letras em japonês entre outros. A espada não mostrava nenhum sinal de ferrugem, a garota sempre a limpava quando podia. Stella se alongou algumas vezes, já era costume, pegou sua Katana e começou a praticar, como sempre queria chegar ao seu limite. E depois de algumas horas finalmente, a loira cai arfando, suada e ofegante, a franja teimavam em prender na sua testa, mas logo foram jogadas para trás. Após, despediu-se das pessoas que ainda estavam lá e foi para casa, já era tarde. Contudo, em suas andadas via um homem de estatura alta, que parecia estar vestido para um show de mágica, ou sei lá. E quando estava para passar direto, foi abordada por ele. Stella arqueava uma das sobrancelhas ouvindo com atenção as palavras do mesmo, ela parecia não se importar tanto com aquilo, queria ir para casa descansar. Não estava a fim de ver algum show de mágica há essa hora. - Não obri... - Estava passando direto quando ouvia uma risada que parecia ser do homem/mágico e quando virou, via borboletas, mas antes de fazer alguma coisa, desmaiava.
       Lentamente a garota abria seus olhos, sentindo uma forte dor de cabeça, talvez tenha sido a última a acordar naquele local, ela ouvia vozes, risadas, sem saber o que estava acontecendo Stella rapidamente se levantou olhando para os lados tentando entender a situação. Observou direito, se dando conta que estava atrás das grades. Em uma penitenciária? Mas por quê? Sua visão ainda estava embaçada, só ouvia um tal de Nicholas dizer algo sobre a prisão de sangue, que estavam lá involuntariamente, que não podiam sair, aquilo era um jogo e teria muitas mortes... Ainda assimilando o que acontecia, segurou a cela tentando olhar algo. - Onde eu estou? - Dizia de forma calma, nem parecia que estava tensa e com medo. Aquela era a pergunta que muitos faziam para si mesmos. Stella vestia roupas normais de uma adolescente, mas nada tão chamativo. Uma blusa preta com manga listrada, calça jeans azul e tênis all-star até o calcanhar, pequenos óculos, e cabelos bastante bagunçados, mas sem deixar de ter estilo.
Logo a garota começou a andar para um lado e para o outro, estava aflita, não sabia o que fazer naquela momento, até que se deu conta que não tinha mais sua mochila e muito menos sua Katana. Aonde diabos eles colocaram as minhas coisas? Pensava ela. E por conta desse nervosismo a dor de cabeça aumentava cada vez mais, Stella já sabia do que se tratava, ela sentou no chão, apoiou as costas naquela parede gelada. Mesmo com a dor continuava prestando atenção em quase que conseguia, pessoas falavam, outras se perguntavam o porquê de estarem ali, e um velho que parecia tagarelar algo importante.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   13.08.14 18:04

Kansas 13/06/2014
“Bar do Poeta”

Estava o ruivo, sentado de frente ao balcão, segurando um  copo de Whisk com gelo, aparentemente calmo, talvez perdido em pensamentos aleatórios, a mesma cara de emburrado de sempre, quando a garçonete pergunta:

“Garçonete” -  Mais uma Dose?

O ruivo percebe que era com ele, e sacode a cabeça de um lado para o outro como se tivesse acabado de acordar, e olha para a garota a sua frente.

“Yusuke” – Não, acho que já bebi o bastante por hoje.

Foi quando um bando de arruaceiros entraram pela porta do bar, pareciam ser caçadores pois um deles tinha uma besta nas costas, sentaram todos ao lado do ruivo, e todos pediram cerveja e uma rodada de churrasco, foi quando o que estava com a besta nas costas o único de pé, colocou a mão sobre o ombro de Yusuke.

“Caçador” – Você está no meu lugar, vamos, saia.

O ruivo, com uma voz de desprezo, o respondeu com rispidez.

“Yusuke” – Porque, não procura outro lugar pra sentar?

Nesse momento o caçador olhou com raiva para o ruivo e começou a apertar o ombro dele com as mãos, Yusuke então com uma velocidade incrível, colocou uma das mãos sobre o cotovelo do caçador e o arremessou para o balcão, com a queda do caçador sobre o balcão quebraria o balcão ao meio, então os outros 3 vieram para cima do ruivo, um deitou com a cotovelada que Yusuke deu sobre o queixo do mesmo, porém não esperava por uma garrafada que tomaria sobre a parte de trás da cabeça. A garçonete vendo a briga, pegou a garrava de Vodka e quebrou na cabeça do ruivo, o desmaindo.


“Lugar desconhecido” – Provavelmente: 14/06/2014

Acordava o ruivo com a vista um pouco escura, a cabeça doía, balançava de um lado para o outro estava.. Estava numa cela com outras estranhas pessoas ao seu redor, todas pareciam não saber oque estavam fazendo alí, assim como o próprio Yusuke. Coçou o seu cabelo em quanto se levantava e encostava na parede , observando o que todos diziam, depois de tudo, olhou para aquela grade que os prendia, não parecia ser nada demais, mas não iria arriscar ataca-la, então se sentou, e coçou os olhos esperando algum sinal, que alguma outra pessoa desse mais alguma informação, ou algo do tipo, até porque no momento estavam praticamente no escuro.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   16.08.14 11:58



É um sábado à noite, completamente agitado. Meu quarto fim de semana trabalhando na minha primeira casa noturna... estou adorando! O ambiente é quente nos dois sentidos, não importando o clima ou tempo. Afinal, minhas colegas literalmente rebolam para torrar seus clientes o máximo possível, e eu como novata só fico de olho em seus passos.

Sou alta, cerca de um metro e setenta e sutilmente amarela, mas não consigo me bronzear de maneira alguma. Meus cabelos são ondulados, longínquos e castanhos tal como meus olhos, e sou dotada de um busto normal e um quadril largo. Mas na Itália, é como se eu fosse mulata, de cabelo crespo, pequena, despeitada e bunduda demais. Chamo a atenção. Na verdade sou filha de latinos, mas nasci e morei aqui sempre. Tenho 20 anos, e eles 4... de mortos. Foram assassinados. Desde então tenho morado sozinha nessa casa. Tranquei o quarto deles e fingi que superei isso, mas isso é insuperável. Comecei a me distrair com várias coisas até então, e o que arranjei de melhor foi esse emprego em que estou agora. Tem uma atmosfera sensual e divertida, e utilizo minha lábia e minha dança para faturar mais e mais...

Para fazer isso, até mesmo em países de primeiro mundo, é melhor manter segredo sobre. Então eu uso um apelido quando visto roupas curtas e provocantes na frente de dezenas de pessoas. Sou Cibelle Anders fora da casa noturna e Chantal dentro dela.

Em meu expediente começo o entretenimento no palco, depois percorro as mesas e bajulo os alvos, e por fim recebo ou não uma ou outra proposta para fazer danças particulares. A cada fim de semana tenho feito mais dessas, o que me rende maior lucro.

Hoje não foi diferente, mas aconteceu algo novo e assustador não ali na boate, mas sim no meu caminho de volta para casa... simplesmente fui impedida de ir. Desci uma pequena escadaria e saí pela porta de trás da casa, virando a esquina em uma madrugada gélida. Vou dormir até dar a hora do jantar pelo visto... com um frio desses... pensei, dando um largo sorriso. Adorava dormir. Adorava tudo que eu fazia.

Uma colega minha que me dava umas dicas para aquele excêntrico emprego tinha me oferecido carona em sua moto, mas recusei. Sou teimosa... até mesmo para admitir que deveria ter pego carona... mas aquele homem me encontraria de qualquer jeito, eu tinha certeza. Uma espécie de chapeleiro maluco, ele estava encostado em um muro todo pichado com um sorriso sinistro em sua face. Deve ser uma pegadinha... ah, não. Eu ia mudar de calçada quando ele falou... e falou algo muito aquém do que minha maldade permitiu... quer dizer, eu tinha pensado em uma malícia ruim inicialmente, e depois boa. Festividades, atrações interessantes... algo a ver com meu trabalho? Ia perguntar sobre isso, mas entrei em pânico quando o chapeleiro ganhou um foco luminoso em seu olhar.

N-não!! Foi o que consegui dizer, enquanto recuava um passo e colocava os braços para frente, fechando os olhos com força e encolhendo o corpo e a cabeça para o lado. Eu era muito medrosa, realmente. O mais aterrorizante estava por vir ainda. Borboletas todas idênticas, monocromáticas, magicamente apareceram em torno daquele homem quando abri os olhos. Senti minhas pernas amolecerem e vi o chapeleiro crescer... quando percebi que senti meus joelhos violentamente feridos, entendi que tinha cedido. Olhei para os sapatos pretos de couro do homem se misturando com a noite e desabei no chão de vez, perdendo os sentidos. 'Seja bem-vindo.'?

Ao acordar, percebi que tinha sido a última. A primeira coisa que fiz foi pegar em meu cabelo espalhado pelo chão, imaginando que eu devia estar uma leoa. Franzi a testa e fechei meus olhos novamente quando senti uma pancada violenta na cabeça, mas tinha contundido ela bem antes. Somente depois tentei reconhecer o teto esverdeado para o qual olhava, e o som tão chato que chegava a ser totalmente fora de ritmo da goteira. Não dava para se acostumar com ele.

Borboletas...
                                                                                                                 
Percorri meu olhar para o lado, e vi pés de pessoas. Me sentei após a dor de cabeça amenizar, sentindo as alças finas do meu vestido deslizarem para meus braços.  Suei frio ao ver barras como as das celas na minha frente. Minha garganta arranhou, me vindo um desejo doido de gritar, mas tentei manter a calma. Ajudou quando percebi um bom número de pessoas comigo, que deviam estar tão assustadas quanto eu. E agora que eu estava totalmente alerta eu escutava um misto de choros, soluços e histeria ecoando de algum lugar não tão distante até aqui. Comecei a respirar pela boca, arfando. Meus olhos agitados, lacrimejando, meus ouvidos zunindo, a cabeça latejando, a goteira, as borboletas, o chapeleiro, o assassinato dos meus pais, o sorriso sinistro... ah, ah, ah... agh! Ataque de pânico. Estava tendo um ataque de pânico e começando a me transformar sem controle algum de mim mesma. Pele ficando verde, uma centelha dentro de mim crescendo junto de um instinto agressivo... meu coração quase explodindo sem eu escutar qualquer pausa entre suas batidas... ah... AAAAAAAAAAAAH! Toda minha força me abandonou no momento seguinte e eu estava ensopada de suor, o rosto salgado de lágrimas em abundância, não conseguia nem soluçar... olhei para minhas mãos e elas brilhavam depois de minha pele ter voltado ao normal. Todo meu corpo brilhava com um formato de linha o percorrendo, linha essa que se cruzava em um x em minha barriga. Eu podia ver mesmo através do meu vestido, única coisa a me proteger. Estava descalça, sem meu sobretudo, bolsa, jóias... era meu fim?

Totalmente esgotada, só conseguia me manter deitada. Fiquei em posição fetal, com medo e com frio, abraçando meus joelhos e escutando de um dos meus colegas de cela as regras do jogo... me concentrei em tentar ficar calma, mas sem força alguma eu não conseguiria ofender a ninguém por um tempo... não conseguiria. Já estava quase formulando minha primeira frase inteligível... ia perguntar como Nicholas Boltok conseguia ficar tão tranquilo como se já tivesse desistido de viver... mas o tal do vovô que venceu 4 vezes o repreendeu... pra mim ele era tão são quanto qualquer outra pessoa... era mais são a cada jogo que conseguia sobreviver, ironicamente. E queria dar dicas para todos nós, novatos, em troca de algo. Me sentei com todo o cuidado do mundo, erguendo o olhar para ele ao se aproximar de mim. Estava zonza ainda, e disse com a voz rouca... não tenho nada, a não ser que ainda consiga realmente confiar em alguém...          
Voltar ao Topo Ir em baixo
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   16.08.14 16:06

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   16.08.14 23:30

Cela n° 104 - Veruska- Daisuke-Stella-Guenael-Nicholas



Veruska inicialmente desperta propagando-se com uma pequena pontada em sua cabeça que logo começa a findar-se, a jovem garota não aparentava estar amendrontada ou algo do gênero, entretanto, parecia analisar muito bem a situação que a circundava conforme as palavras do velho saíam de sua boca de forma verdadeiramente estranha. Nicholas, o outro companheiro de cela que ali residia, havia oferecido algumas informações de fato importantes, causando desta forma uma súbita desconfiança na garota, será que era confiável? Veruska parecia questionar o velho, já que havia sido a primeira a manifestar-se. O mesmo permanecia em silêncio, com uma das mãos ocultando seus lábios até que uma súbita risada acometeu-se no velho homem enquanto a encarava de maneira atenta. Os orbes do velho pareciam girar consideravelmente.


[ ??? ]- O que eu quero...o que eu quero? AHAHAHAh Quero sobreviver, quero viver, quero sair dessa droga...ahahaha


Daisuke parecia ter despertado um pouco antes de Veruska, sua expressão era tediosa, porém, a atitude do garoto parecia demonstrar algo totalmente diferente. Com sucesso, Daisuke havia saltado sobre as grades que impediam a saída da cela, gritando considerávelmente, entretanto, a única resposta que fora capaz de ouvir fora um " Cale a boca moleque escandaloso", provavelmente de outra cela vizinha a deles, não havia sequer resposta, algum guarda, nada que pudesse ser levado em consideração a não ser o garoto avistar uma rede de corredores vazia. Nicholas, um dos presentes ali, desviou o olhar para o garoto, esboçando um breve sorriso enquanto meneava sua cabeça negativamente.


[ Nicholas ]- Não adianta, rapaz. Já tentei..


Fora a vez do velho então se manifestar.


[ ??? ]- Ahahhaha, isso, grite, atraía mais atenção ainda do que o necessário...não adianta gritar, não para fugir...mas apenas para matar AHAHHA


Em sequência, as palavras de Hoshi pareciam evadirem-se perigosamente de seus lábios se perfazendo com que o velho também o encarasse atentaente como se estivesse escondendo algo, Nicholas, por sua vez, apenas se manteve em silêncio.


[ ??? ]- Aahaha...talvez a lealdade...embora pessoas como você...esforçadas como parecem, gastam energia rápido demais...


Stella, a mais nova encarcerada naquele lugar, sentia uma forte dor de cabeça, entretanto, parecia entender ainda o que se perfazia naquele infame lugar, o raciocínio da garota, por mais que estivesse correto, entendia, possuía a ciência de que naquele lugar havia um jogo e isso traria mutas mortes, a todos ali, entretanto, a expressão da garota era perfeitamente calma, o medo, a situação tenebrosa ao qual se acometia naquela situação não parecia afetá-la, talvez, manter a calma naquela situação fosse o mais correto, a garota agia de forma correta ao questionar em que lugar estavam. Nicholas, fora o primeiro a desviar o olhar em direção a garota, esboçando um breve sorriso tentando de alguma forma, ser amigável.


[ Nicholas ]- Você está em uma prisão moça ao qual ocorrerá um jogo que acarretará em muitas mortes...todos nós fomos trazidos aqui involuntáriamente....muitos irão morrer...


A última a despertar naquele lugar, parecia ser Cibelle, a garota havia sido levada de forma involuntária assim como o resto de todos os que estavam naquela cela, entretanto, ao contrário da forma imprudente com o qual Hoshi Daisuke havia chamado a atenção, a forma calma como Veruska havia lidado com a situação, Stella ao qual havia permanecido calma mas que tornar-se-ia aflita com relação ao que havia ocorrido, Cibelle havia entrado em um claro estado de pânico tentando manifestar suas habilidades sobrenaturais mesmo com o selo pelo que o velho homem havia indicado para não utilizar, não naquele momento. A garota havia começado a se transformar, propagando-se na exteriorização de seu corpo uma estranha habilidade, mas ainda assim, suas habilidades começavam a manifestarem-se , entretanto, um selo avermelhado ao qual havia sido colocado em todos sobre uma maneira condicional começava a emanar um brilho avermelhado, cintilante conforme as habilidades da garota se manifestavam. O selo gradativamente começava a roubar sua energia, causando-lhe uma drástica fadiga conforme a garota tentava  manter seus poderes. As linhas do selo que cintilava pareciam percorrer todo o corpo da garota, tornando-se cada vez mais tenso, Cibelle poderia sentir o ar faltar-lhe, seu corpo tornava-se rigido e cansado e seus músculos pareciam pedir por descanso, porém, fora apenas a garota notar que aquilo estava lhe ocorrendo que o velho se manifestara.


[ ??? ]- Garota tola! Pare com isso! Quer morrer! Não adianta, muitos aqui tentam arrebentar as barras de ferro e aqueles que conseguem são acometidos por um fim verdadeiramente grotesco, pare com isso! Fique sem falar garota, quer morrer?! Já?! Isso é o que acontece a todos vocês que tentam usar suas habilidades sem pensar!


O velho imediatamente começou a andar em circulos, todos haviam lhe questionado sobre o que ele queria em troca, incluindo Nicholas, que parecia ajeitar os óculos perante sua face. O velho então, posicionou ambas mãos em suas costas conforme permanecia em silêncio, começando a caminhar em circulos encarando todos perante a cela. O estranho homem então suspirou pesadamente encarando todos ali.


[ ??? ]- Muito bem...o que eu quero é o que vocês tinham imaginado antes de qualquer coisa hihih...quero a lealdade de vocês. Eu proponho o seguinte...para tirar esse selo dos infernos de seus corpos...vocês terão que matar...não importa se é o mais forte ou o mais fraco heheheh...matou, uma parte do selo vai desaparecer...algumas pessoas tem 5 partes, outras pessoas tem 15 partes, vai de acordo com o poder de vocês ahahah...eu tenho 15 AHAHA, quando comecei aqui eram 5, depois 10, depois 12 e agora 15...eu odeio esse lugar, se vocês vencerem, vocês vão ser trazidos aqui de novo, será que fui claro?!


Vociferou o velho enquanto Nicholas parecia suspirar, como se estivesse entediado ou algo do tipo até que finalmente sua voz ocupou conta do lugar.


[ Nicholas ]- Se apenas um é o vencedor, o que faremos então, porquê devemos fornecer lealdade?


O velho desviou o olhar brevemente para Nicholas, sorrindo.


[ ??? ]- Querem ficar retornando aqui HAHA, assim como eu? Eu quero acabar com os organizadores, entende?! Não quero voltar mais aqui, eu não pude reagir quando um cara enorme com uma espada grande me nocauteou. Eu sei, eu tenho certeza que podemos vencer dessa vez, ou já podemos começar a matar uns aos outros aqui, e eu poderia começar por vocês AHAHAHAH Mas não, eu quero juntar a maior quantidade de aliados e matar aqueles que vão querer nos matar, afinal, eu venci 4 mas tem aqueles que venceram bem mais que eu e estão aqui somente para a diversão hehehehe, eu acho isso aqui o inferno...ahaha..estarão comigo?




Cela n° 105- Yusuke e demais membros



Yusuke havia despertado gradativamente, sua cabeça doía um pouco conforme o garoto parecia despertar de um duro baque, afinal, havia sido coagido involuntáriamente a comparecer naquele local através de uma abordagem qualquer, não pertinente a qualquer um dos organizadores do evento. Conforme o rapaz despertava e contemplava o que havia ao seu redor, poderia notar cerca de 5 individuos, mal-encarados e com uma expressão verdadeiramente psicótica em sua face, porém, o que mais poderia chamar a atenção do rapaz seria o porte de um dos homens, ao qual possuía um tipo físico magro, portando uma estranha arma em suas mãos, era o único membro armado da prisão, entretanto, não fora o primeiro a dirigir-se ao garoto.


[ Membro de Cárcere ]- Huhuh...carne nova...prepare-se garoto, você está em um jogo adorável..ahahaha e vai ser morto.


O membro pertinente a arma, o único armado naquela cela, virou-se para o cara, dizendo-lhe.


[ ??? ]- Cale a boca..logo o jogo vai começar...ahahaha



Conforme a conversa se prolongava, um estranho painel parece surgir de um mecanismo proveniente do teto, desta forma, se perfazendo com que fique visível a todos os integrantes pertinentes as celas, ao qual, uma voz se propaga imediatamente pelo painel, com algumas fotos propagadas equiparadamente a um cartas. Guenael tornar-se apreensivo, identificando-se imediatamente em uma das fotos mostradas no mesmo.


[ ??? ]-Dr-droga...vai começar..


[ ??? ]- Hehehe...finalmente o tempo de espera acabou.


TODOS



- Eis que os favoritos para vencer este adorável torneio ao qual vocês todos são as principais atrações estarão enumerados neste adorável painel que deve estar aparecendo para todos vocês:






- Na Oitava posição, Guenael Zidback, A Juventude Insana ao qual já vencera cerca de 4 vezes esta magnífica competição!


- Na Sétima posição, não menos aterrorizante está John Mc'smith, O Lobo, ao qual vencera este adorável torneio apenas 5 vezes!


- Na Sexta posição está Joana Louffer, A Serpente que vencera este torneio 8 vezes!


- Na Quinta posição temos Rubiero Marques, O Deus da Guerra, que vencera o torneio assustadoramente 10 vezes!


- Na Quarta posição temos Angelo Sweet, Sabre Duplo, que apesar da aparência jovial já vencera o torneio 11 vezes com suas assustadoras habilidades!


- Na Terceira posição está o conceituado e temível Victorius Lancaster, Alligator que vencera esta principal festividade 12 vezes seguidas! Repito! Seguidas!!!


- Na Segunda posição temos um psicótico assassino que participou de boa parte dos torneios, se não vencendo, sobrevivendo com suas táticas de assassinato, O Degolador Jack Manson!!!


- Em primeiro lugar no ranking de favoritos está a mais conceituada de todos os ilustres e magníficos membros desse Evento tão conhecido como Prisão de Sangue, seu nome é temido nessas celas como um pesadelo que propaga-se através dos portões do próprio inferno, mãe de Victorius Lancaster porém igualmente temida por vencer este torneio 20 vezes seguidas! Roxy Lancaster, A Deusa da Morte!


O estranho painel que surgira revela um homem de cabelos aloirados, portando uma rosa avermelhada entre os dedos, sua expressão demonstra a mais pura empolgação enquanto o homem parece vibrar como um apresentador eficaz enquanto simplesmente parecia tomar fôlego para dar continuidade as suas palavras.


- Muito bem pessoal! Aqui estarão algumas dicas e eu apenas direi isto uma vez, portanto, quem não escutar, sinto muito mas não irei repetir de forma alguma! HA HA HA Bem, vamos as regras desse adorável jogo.


1° Se não matarem, alguém matará você, então, por favor, para manter os indices desse torneio altissimos e excitantes, matem, matem da maneira mais cruel que quiserem, neste jogo quase tudo é permitido, menos sair das dependências do jogo é claro, caso ao contrário, irão morrer.


2°Caso queiram sair deste evento basta apenas erguer uma das mãos e pedir para sairem, não parece tão dificil né, no momento em que proferirem tal coisa, um dos organizadores irá imediatamente deslocar-se para sua localidade eliminando-os do jogo. ha ha...sugiro usarem com sabedoria AhAh aha


3° Tudo é permitido. Devo ressaltar a todos vocês que eventualmente algum apostador poderá enviar a vocês alguns presentes de acordo com suas necessidades e suas performances neste torneio..incluindo as armas que vocês devem ter deixado na recepção da prisão enquanto inconscientes, exceto os voluntários, afinal e alguns favoritos, estes já começam este festival em posse de suas armas.


4° Referente ao selo que estão utilizando, é algo muito simples, alguns de vocês possuem um poder muito especial e para isso os selos foram colocados em todos vocês, afinal, temos novos ingressantes neste mês HAa Ha Ha para que o selo seja removido meus caros amigos, basta matarem, quanto mais matarem mais poderão utilizar seus poderes sem restrições, portanto, sugiro aproveitarem as chances que possuem e matarem seus companheiros de cela ha Ha brincadeira, o evento logo começará meus amigos! Bem, creio que todas as informações foram passadas...ah..esqueci de mais uma coisa.


5° E ultima regra ou aviso meus caros participantes, eventualmente, algo tentará matá-los então não se preocupem, basta sobreviver e lembrem-se, tratem de nos fornecer muita diversão HA HA HA  


E uma última coisa, para critérios de início, cerca de 2 celas irão se juntar em cada início e então, poderão se divertir a vontade, espero que usem e abusem de suas capacidades neste primeiro e magnífico round! Estarei contando com vocês!!!!


Em questão de instantes, o painel que fornera as demais informações a todos os participantes voluntários ou não da Prisão de Sangue imediatamente começa  mostrar uma tipologia de cronômetro marcando cerca de 00:10:00 hrs, em contagem decrescente para a iniciação do torneio.


Cela n° 104 - Veruska- Daisuke-Stella-Guenael-Nicholas



Guenael, agora que fora revelado seu nome, para acometer-se em um estado de pânico inicial em decorrência das apresentações decorrentes, incluindo seu nome como favorito, o velho esboça uma reação verdadeiramente enojante, porém, olha de soslaio todos os presentes, esboçando um sorriso amarelo, ao qual suas linhas de expressão em decorrência a sua idade se tornam mais presentes e marcantes.


[ Guenael ]- Eu não sei vocês, mas eu não serei morto aqui, eu não irei cair aqui, apenas gostaria da ajuda de vocês para que todos possamos sobreviver, eu não aguento mais ser trazido para cá, os outros participantes são insanos, eles são ruins, os favoritos, todos eles eu já ouvi falar em algum momento eles são terríveis, a maioria entrou aqui voluntáriamente para treinarem suas habilidades mas eu não, eu fui trazido para cá da mesma forma que vocês, conseguem compreender isso! Conseguem entender o que é ser forçado a matar mesmo não querendo!!!!!


Vociferou o homem enquanto encarava atentamente as garotas que estariam na cela.


[ Guenael ]- Vocês precisam tomar cuidado, os monstros que estão aqui, eles gostam de garotinhas bonitas iguais a vocês, precisam tomar cuidado. Eu já disse o que proponho a todos vocês, vocês irão me ajudar?! Irão se ajudar?! Querem sobreviver?! Eu quero! No entanto, eu vou matar qualquer um que se colocar no meu caminho. Ele não informou, o homem do painel, o cara da rosa vermelha, ele não disse qual será o gênero dessa maldita competição...eles nos jogam em alguma região para sobreviver, criam monstros, climas, criam situações para nos matar mas conforme progredimos nessa competição eles nos dão..


[ Nicholas ]- Presentes, eles dão a nós o que precisamos velho, foi o que o cara do painel disse, pelo que eu acredito, conforme nós agirmos, presentes irão ser dados, mas eu acho que, se ficarmos juntos, quem sabe mais patrocinadores nos confiram armas, ou alguma coisa, afinal, velho, você já viu algum grupo sendo formado aqui?



[ Guenael ]- Nunca vi um, as outras vezes que me trouxeram aqui eu sempre tentei formar um grupo, mas as lutas começavam antes da competição se iniciar.


[ Nicholas ]- Entendo...e então...quais seus nomes...? Acha que há alguma possibilidade de ficarmos juntos?


Cela n° 105- Yusuke e demais membros



Os membros pertinentes a cela em que Yusuke pertencia começavam se ouriçar drásticamente, os membros encaravam-se uns aos outros de forma ameaçadora, alguns possuíam uma grande delineação física enquanto outros eram ainda magros, porém, com o tipo físico esguio. Todos os prisioneiros que estavam na cela do garoto encaravam-no de maneira atenta e silenciosa enquanto mantinham-se afastados uns dos outros, o painel que mostrava a cronometragem de 00:10:00hrs em contagem decrescente começava a diminuir seus números enquanto os membros da prisão pareciam tornarem-se apreensivos, desconfiados, ninguém havia imposto sequer uma inicial aliança para que sobrevivessem, os individuos presos na cela aparentavam ser mercenários ou algo do tipo, todos com suas vestes de gênero militar de colorações diferentes, outrora chamativas, outrora escuras. Yusuke estaria em sérios apuros assim que a competição tivesse início.


[ Membro de Cela 1 ]- Acho que vou começar com aquele ruivinho ali quando tudo se iniciar..ha ha...ele me parece do tipo que sangra muito bem...ahahaha..


[ Membro da Cela 2 ]- Ele não tem chance alguma em sobreviver, vou matá-lo sem pestanejar e depois vou matar você seu mercenário de merda, irei remover esse maldito celo e matar todos vocês.


[ Membro de Cela 3 ]- Eu quero ver é você tentar, seu rato!


[ Membro de Cela 4 ]- AHHAHA, vamos ver se você é bom mesmo, eu vou acabar com você no mesmo instante em que essa merda começar, depois vou matar esse ruivinho só pra remover meu selo, podem esperar, a primeira coisa que vou fazer quando começar é atravessar sua garganta ou começar a matar aquele idiota ali que está com pose de fodão...você venceu essa merda não é...Degolador ahaha, acha que só porquê está começando armado, poderá nos vencer é? AHAHAHAh


[ Membro de Cela 2 ]- Vou acabar com a tua raça, você só tem aparência de ruim, deve ser um bundão, idiota.


[ Jack Manson - O Degolador ]- Tsc...a primeira coisa que irei fazer quando isso se iniciar..hihi...é matar você cara e depois eu vou me esconder e ir matando todos vocês aos poucos...isso se não morrerem antes de me encontrar. Vocês não tem chances muito menos habilidade alguma de vencer, são lixo, nada mais do que isso. Quando eu começar a ver o sangue de vocês em minhas mãos, vou me divertir muito, vocês não passam de carne fresca para que meu selo seja rompido.


[ Membro de Cela 2 ]- Ora seu maldito, vou enfiar no seu pescoço esse negócio que você está nas mãos.


[ Jack Manson - O Degolador ]- Quero ver você tentar, moleque.


TODOS


Imediatamente quando o crônometro atinge 00:00:00hrs, cerca de 6 cilindros parecem surgir no teto da prisão em cada cela pertinente, maneira pelo qual uma sirene equiparada ao militarismo começa a soar. Em decorrência disto, os cilindros surgem com os respectivos nomes de cada um dos prisioneiros ao qual uma voz ecoa pelo painel que outrora havia sido utilizado como relógio decrescente, convidando todos os participantes a adentrarem o cilindro. Após fazerem isto, os cilindros imediatamente se fecham e vocês são conduzidos por uma rede de tubos imensa ao qual não leve mais do que 4 minutos para serem redirecionados a um cenário completamente diferente da prisão em que se encontravam.


Floresta da Prisão de Sangue



Todos vocês são redirecionados a um local extremamente vasto ao qual podem contemplar do local ao qual estão, uma tipologia de pedestal em que se encontram, cerca de 12 individuos com alguma distância, próximos um do outro estão Veruska, Daisuke, Stella, Guenael, Nicholas e Cibelle, em exatos 400 metros estão mais 6 membros da cela cuja numeração é 105, Yusuke, Jack Manson e mais 4 membros, um ao lado do outro, um crônometro surge em meio a área, ao qual cada um pode visualizá-lo sem problemas.



O local é uma extensa floresta com árvores esparsas e de vegetação rasteira com diversas tipologias de terreno, sejam íngremes ou não, outrora partes com relevos e uma vegetação rala, rasteira, encobrindo toda a região. As árvores embora vívidas, algumas oferecem pequenos frutos de colorações avermelhadas. Seja para qual direção olharem apenas poderão contemplar mais e mais árvores, sendo esta uma área claramente floresta. Um pequeno crônometro começa a marcar a numeração para ambos os lados de 00:00:10 secs, diminuindo lentamente sua numeração. Uma voz parece ecoar do painel.


- Dez


-Nove


-Oito


-Sete


-Seis


-Cinco


-Quatro


-Três


-Dois


-Um


- O Evento COMEÇA!


Os cilindros então que restringiam parte de seus movimentos são abertos conforme os vidros são recolhidos para dentro do solo, deixando-os livres.




Obs: Vocês estão em uma tipologia de insula, ou seja, podem seguir para qualquer direção que quiserem, procurar uma maneira de sair também do evento, enfim, podem fazer qualquer coisa.


Obs¹:  Todos os favoritos da imagem citada já iniciam o torneio com armas mas nada impede que vocês matem Guenael ou mesmo que roubem a arma de outro favorito.


Obs²: Conforme forem matando, patrocinadores irão ajudá-los de alguma forma. Sejam com seus itens originais ou com aparelhatos de cura e afins que irão ser utilizados mais a frente.


Obs³: Não se restrinjam em seus movimentos e em ficar em grupo, nada impede que sigam sozinhos, se for o caso posso muito bem narrar individualmente para todos vocês, Guenael está propondo uma união, podem seguir o que ele disse ou não, tudo é permitido.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   16.08.14 23:34

Prazo para os Players Atualizarem: 26/08/2014

Prazo para o Narrador Atualizar: 31/08/2014

Obs: As próximas atualizações serão menores, entretanto, ficou grande em decorrência de explicar a introdução dos jogos e a prisão em si. Espero que gostem.


Última edição por David D. Jones em 28.08.14 0:20, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   17.08.14 14:03

Daisuke estava tranquilo, na cela, observando o povo e notando aquela garota que a marca tinha feito efeito na mesma, outra garota que estava na cela e as pessoas em geral lá e ficava encarando todos, com cara de bundo e ouvindo aquele velho falar. Notou o telão que aparecia e tudo que falavam lá, porém, manteu-se calmo, portanto, mais sério agora e viu aqueles jogadores que eram considerados os "favoritos" e achou melhor tomar cuidado com eles, ouviu claramente as regras e por ser meio lerdo, demorou a entender algumas, mas quando entendeu, se ajeitou no chão e ficava olhando para todos eles, com os braços cruzados.

Hum...

E voltava sua atenção para o que Guenael agora falava. O garoto já não aguentava mais ouvir aquele velho falando, até que ouviu algo que o emocionou.

[ Guenael ]- Eu não sei vocês, mas eu não serei morto aqui, eu não irei cair aqui, apenas gostaria da ajuda de vocês para que todos possamos sobreviver, eu não aguento mais ser trazido para cá, os outros participantes são insanos, eles são ruins, os favoritos, todos eles eu já ouvi falar em algum momento eles são terríveis, a maioria entrou aqui voluntáriamente para treinarem suas habilidades mas eu não, eu fui trazido para cá da mesma forma que vocês, conseguem compreender isso! Conseguem entender o que é ser forçado a matar mesmo não querendo!!!!!

Logo, o mesmo podia ver que lágrimas escorriam dos olhos de Daisuke e o mesmo começava a bater palmas para o que ele disse.

Que triste isso, cara.... Emocionante...




Logo, Daisuke voltou ao seu normal e ouviu o que ele disse atentamente e quase dormia de tanto ouvir esse Guenael falar. "Ô saco!", pensou Daisuke, quase dormindo e impaciente, mas, ouviu o que Nicholas disse e olhou para ele.

Me chamo Daisuke. Hoshi Daisuke. E, me perdoe, mas não quero fazer parte desse grupo.

Disse Hoshi, esperando o tempo acabar e quando deu 0:00:00, o garoto viu os cilindros que surgiram e cada um deles com o nome de cada um e, Daisuke, então, entrou no que tinha o seu nome e ajeitou a sua luva, se preparando para entrar na arena. Seu coração tinha um pouco de medo daquilo, mas ele não queria demonstrar pra ninguém e tentar evitar conversar com os outros.

Hum..




E quando foi redirecionado ao tal local, olhou para o mesmo, era uma extensa floresta com plantações e grandes árvores e ouvia a contagem regressiva calmamente, com os braços cruzados e quando chegou no final, Daisuke disse consigo mesmo "... Dois... Um." e notou que o cilindro foi aberto, com os vidros voltando para o solo e Hoshi saiu correndo para trás gritando desesperadamente.

SEBO NAS CANELAAAAAAAAAAAAAAAAS.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   23.08.14 1:43

The Red Warrior – (Continuação)




O ruivo se viu cercado por um monte de gente feia, mas.. Ao mesmo tempo assustadores, ah, mas geralmente só tem a cara. Mesmo assim preferiu manter-se calado até um deles tentar ameaça-lo, olhou o mesmo de cima a baixo, com uma cara de que não havia muito gostado na hora teve vontade de ir pra cima do mesmo, mais.. Pensando bem, não era apenas o tal que queria ver o sangue de Yusuke, estranhamente a sela inteira parecia querer brigar com ele, então o que adiantaria ir pra cima do tal, e arranjar outra confusão onde talvez nem sairia vivo? E depois, ele teria que fazer de tudo mesmo, para que o restante não fica-se com vontade de o matar também, então conseguiu manter a calma. Até porque depois de que o cara do telão disse, teria que ser meio que... Calmo, até porque talvez conseguisse chamar a atenção de algum patrocinador para me ajudar, até porque, estava sem arma alguma, completamente vulnerável e com seus poderes limitados demais para poder enfrentar todos aqueles. Talvez uma aliança seria bom, mas, não naquele momento até porque, alí é um lugar onde seu irmão, vira seu pior inimigo.


O que? Já começou?

Foi quando a capsula abriu, estava para começar os jogos de sangue, a sorte estava lançada e o melhor sairia do campeonato, vivo, e empunhando a fama e glória como armas. Fora os milhões de pessoas que morreria nesses campos sangrentos, Yusuke respirava calmamente e ficava em seus pensamentos em quanto ouvia aquela chata contagem regressiva.

- 10.


O que faria? Com tanta gente tentando o matar, a chave seria correr... Mas, um dos 5 poderia ter algum poder de o derrubar, ou pular em suas costas, ou até mesmo correr mais que o próprio ruivo, foi quando olhou pra frente e viu um de seus parentes, seu sobrinho, Daisuke. Podia perceber o olhar de fúria que se criava sobre o Hoshi, ele estava enfurecido, sua família envolvida em um duelo de sangue, igual o próprio Ruivo? A não, era demais, foi quando teve lembrou de uma cena, que passou rapidamente pela sua cabeça.


Flashblack on
- 1990 – Colorado

“ The Hogoshas.”

(Hoshi Ichigo) – Yusuke, ela está gravida, ele vai nascer, finalmente cara.. Nossa família vai crescer... Era o que eu queria lembra? Um filho.. Vocês vão ser treinados juntos, muleque... Yooo!

Yusuke na época era novo devia ter seus 17 – 18 anos, seu cabelo era ruivo bem claro e aparentava ser aquele garotos de rua, mal vestido com a roupa um pouco rasgada, ele sorria com o instusiasmo de seu irmão mais velho.

- 2009. “Novo Mexico”

(Hoshi Ichigo) – Yusuke, você é um bom rapaz, e.. Daqui em diante eu sei de que talvez nossos caminhos não se cruzem, mais.. Mesmo assim, tome conta do meu filho, você sempre foi o irmão briguento, marrento e que mais fazia merda. Mas, por você fazer tanta merda, talvez um dia você o encontre em algum lugar, e nesse lugar eu lhe peso, tome conta dele.

(Hoshi Yusuke) – Te prometo, irmão. Se algum dia eu encontrar seu filho em algum tipo de perigo, eu darei minha própria vida se preciso, para o salvar. Juro.

Era uma despedida, e Yusuke estava com uma bolsa nas costas, acontece que Yusuke iria treinar na costa Sul do continente e as chances do mesmo voltar eram muito remotas. Os irmãos se despediram com um comprimento único dos Hoshi, que são de bater os braços, em forma de X.


FlashBlack off

“Campo de Batalha” – Blood Prison

O enfurecer de Yusuke era percebido, com seus cabelos ficando mais vermelhos. E então o mesmo começou a bufar, era claro eu estava muito nervoso e conforme mostra sua raça, Um Berseker, quando mais nervoso ele ficava, mais forte ficaria, mais no caso não se aplicaria, até porque a fúria de um Berseker vem pela batalha. Tinha passado vários segundos nesse tempo, a contagem já estava em 4. Yusuke observou todo o lugar e parecia preparar para correr. Mas se a turma do lado do mesmo estavam querendo mata-lo, o que diria que a turma de Daisuke não pode-se querer apenas sangue também, como saberia? Então o que fazer? Confiar, em seus extintos. Ele era um Berseker, então já se envolveu em muitas guerras, então assim que desse o numero 1 sairia correndo para frente e depois de correr uns 2 metros viraria a leste e correria até achar um lugar seguro.

- 3.




-2



-1



Yusuke saiu correndo desesperadamente os dois metros a frente, deu uma olhada para trás, e depois continuou correndo para leste. Sempre olhando para trás, porém logo que viu Daisuke correndo também, assobiou para o mesmo e fez um sinal com a mão para talvez o mesmo vir a junto de Yusuke, e logo após olhou para trás novamente para ver se nenhum dos assassino estava o perseguindo, mas talvez os assassinos fossem atrás do ruivo só depois de se matarem, até porque o único que talvez pensou em sair correndo foi ele, porque o resto tava muito preocupado em se matar, então ao sair correndo talvez os assassinos ficassem alí na linha de inicio mesmo guerreando em quando o ruivo corria.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   23.08.14 2:08

Jumper?


Escutando as palavras daquele velhote, Stella novamente ficava de pé com as mãos nas grades, se inclinava tentando olhar algo, mas o que via era um corredor que parecia não ter fim e ao lado ouvir vozes de pessoas. Não respondeu ao homem só olhava para o nada, pensativa, a garota tinha como se defender, e os que eram indefesos? O que irão fazer? Ela nunca tinha pensado em matar para sobreviver, era algo que nunca tinha passado por sua mente, não fazia sentido aquilo acontecer, nada fazia sentido naquele local. Suspirou fundo, neste exato momento Guenael disse algo realmente interessante, ir atrás dos organizadores para acabar logo com isso.


Stella pensou em dizer algo, mas foi interrompida por barulhos que ecoavam no corredor, antes estava um silêncio, mas no decorrer dos poucos minutos a pessoas iam despertando. Logo viu um grande painel surgir no teto, a loira direcionava seu olhar em direção ao mesmo, observando as imagens que estavam lá. Começou. Não achou que iriam mostrar a face os organizadores, deu para acreditar que não seria fácil encontrá-los. Memorizou bem o rosto desses psicopatas. Enquanto isso ouvia com precisão, não deixava de escutar nenhum detalhe sequer, e dava uma rápida olhada para Guenael, voltando a fitar o painel. Não acreditou que aquele velho com cara de Bocó estaria entre os oito melhores. Teria que tomar cuidado com este homem também. Stella olhava para os olhos que estavam confinados junto à ela, muitos estavam com uma expressão nada agradável, mas tinha um que era barulhento demais, não ficava quieto nem por um momento. Isso de alguma forma a irritava.

Após tudo aquilo terminar todos foram direcionados para uma espécie de cilindros que surgiam no teto do local, é não teve escolha e entrou neste cilindro. Nem deu tempo de piscar direito e já se encontrava em um floresta baste incomum, era um lugar escuro, ouvia o barulho de alguns pássaros que insistiam em fazer aquilo. Nessa altura qualquer coisa deixaria a loira irritada. Já que fora solta a jovem Stella já tinha mente o eu fazer, não iria se juntar com aquele velho, na verdade, não poderia confiar em ninguém daquele local, do mais forte até o mais fraco, a ser humano pode ser tornar uma criatura horrível por conta do medo. Stella tentava a todo custo manter a calma, mas era algo quase que impossível, sua dor de cabeça se manifestava de forma cruel.

Ela se aproximou do velho e disse baixo, mas de forma clara para que todos escutassem. - Recuso. Estava se tratando da aliança que Guanael propôs minutos atrás. - Não importa quem seja, você não é confiável. Se isso for alguma armadilha eu mesma irei atrás de você. Não estava brincando, Stella tinha poder o suficiente para este feito, porém, não sabia como fazê-lo adequadamente, sua irritação estava de tal forma que acabou não se contendo e disse aquilo. Stella não era o tipo de pessoa que fala o que pensa, é exatamente ao contrário, reservada, calada, quieta, gosta de ficar sozinha fazendo o que gosta. Um ser humano realmente muda da água para o vinho quando se trata de medo.  Estava desconfiada que essa aliança seja algo perigoso, era boa em deduzir, só que desta vez não tinha tanta certeza e por via das dúvidas melhor não confiar.  


Depois do menino barulhento sair correndo igual um demente, e o outro saiu igual um cego em tiroteio. Stella saiu logo depois nem dando oportunidade de escutar Guanael, não precisava de nenhum sorriso irônico ou respostas debochadas. Só tinha ficar atenta, a qualquer hora poderia encontrar alguém, era o ue menos queria naquele momento. A loira queria botar sua mente na linha, ainda não assimilou todos os acontecimentos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   23.08.14 19:26

As coisas que se seguiram foram interessantes e mais interessante foi a resposta do homem. O olhei com calma instintivamente revirei os olhos.

— Bom, quer sair desta droga e para isto precisa de....

Olhei para ele esperando uma resposta mais consistente, mas outros no lugar fizeram perguntas e o homem, prestativamente, respondeu a maioria delas. Comecei a apenas observar, prestar bastante atenção a todos foi quando notei uma das integrantes. A garota exibia uma habilidade interessante, mas parecia que aquilo lhe causava fadiga, ela não estava nada bem. O velho falou novamente, ele me assustava, mas aprendi que na guerra é melhor estar bem perto do inimigo e pelo que ele disse estávamos em uma guerra por nossas próprias vidas. Aproximei-me da garota e abaixei ficando na sua linha de visão.

— Respira fundo e tente não mais usar sua habilidade. O velhote é estranho, mas parece estar, mesmo, com boas intenções.

Mantive-me próxima a Cibelle e então uma tela surge do teto. Um homem segurando uma rosa vermelha nas mãos nos apresenta o tal torneio. Olho o painel e vejo ali o velhote e agora sabia seu nome, concluo que ele não mentia. Se aquilo era um torneio de matar e morrer e ele havia o vencido quarto vezes, ele não era um fracote. Olhei na direção do velho e movi o os lábios sem emitir nenhum som.

— Conte comigo.

Aprendi que estar sozinho lhe torna vulnerável, mesmo quando você está cercado por cobras. Aquele homem não me inspirava confiança, mas era o melhor que eu tinha no momento. Observei bem os “favoritos” e o numero cinco e avalie o numero de vezes que ele foi vencedor. Conclui que era uma boa estar entre o mínimo e quase máximo, pois o máximo, com certeza seria a última opção para se aliar ou tentar derrotar. O homem se cala e continuo a pensar. Falo baixo com Cibelle.

— Vou juntar-me ao Guenael, fará o mesmo? Se quisermos mesmo acabar com esta atrocidade precisamos nos juntar, mesmo que no escuro.

Antes que fossemos transportados para o local onde a verdadeira ação começaria, Guenael fala conosco, exclusivamente com as garotas. Olho para cada uma delas e meu olhar pousa em Guenael, falo por mim.

— Senhor, confesso que estou um tanto apreensiva, mas pode contar com minha lealdade. Não possuo poderes e pelos favoritos minhas chances são mínimas, porém não quero morrer aqui, tenho uma vida boa demais. Conte comigo.

Cumprimento-o a moda japonesa, mostrando respeito e lealdade.
Nos quatro minutos que duraram minha “viagem” mantive os olhos fechados, confesso  estava com medo. Não possuía poderes e isto era uma vantagem ali, pois eu não seria castigada por usá-los, mas por outro lado que chance eu teria sem armas? Sem acessórios? Sem um mapa? Não me restava muita coisa. Assim que os cilindros nos trouxe a liberdade busquei Guenael e aproximei-me dele. Disse baixo.

— Você conhece o número cinco? Acha que ele se aliaria a nos? Fiz alguns cálculos e acredito que seria um bom equilíbrio. Acha uma boa ideia?

Eu me sentia muito incomodada. Usava um short jeans, camiseta e jaqueta. Aquela roupa não era a ideal, mas não tinha opção. Olhou ao redor e pegou uma presilha de cabelo no bolso, pelo menos aquilo não havia tirado dela. Prendeu o cabelo num rabo de cavalo alto, ergueu as golas da jaqueta e certificou se seu tênis estava amarrado. Olhou para Gueanel, esperava que ele lhe dissesse alguma coisa, pois para ela, ele era o líder.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   25.08.14 22:44

Aos poucos eu consegui me acalmar, já que não tinha energia para mais nada além daquilo. Aos poucos, bem aos poucos, regulei minha respiração e sentei no chão, suada. Gueanel me deu uma bronca por eu ter quase me transformado, mas tinha sido meu instinto de sobrevivência me alertando. Eu não era burra, tinha entendido bem as regras e pagaria um preço alto se usasse meu poder levianamente. Não foi por querer... conhece o Incrível Hulk? Foi isso.

Eu tinha que me manter calma para não despertar a besta, que tinha sono leve para histeria. Eu sou normalmente bem calma, meu natural não é ficar desse jeito, mas haviam conseguido me chocar de verdade. Aquilo não fazia parte da minha realidade, por mais que eu fosse uma aberração. Minha vida era fácil, tranquila, e chovia dinheiro para mim. Por falar em dinheiro, hoje em dia qualquer problema tem essa mesma causa e solução. Se alguma vez eu fosse presa a história seria outra, mas eu teria escolhido esse caminho. Só que nessa situação eu era inocente como todo mundo, e minha liberdade só seria possível com o sacrifício de todos. Morremos por dentro se vencemos, ou continua havendo vida para viver depois de protagonizar uma chacina? Eu duvido... hã... Veruska Pepper se agachou ao meu lado, e com um tom ameno disse novamente o que o vencedor de quatro jogos havia me falado. Não tenho controle disso sempre que quero. Mordi o lábio, tentando reprimir soluços. Eu não posso fazer nada, nada sob pressão. Mas dessa vez eles jogaram tão baixo. Olhei para Veruska Papper. Parecia uma garota mundana como eu parecia ser, mas eu não era. Só que algo me dizia que nada mais tinha ela para esconder. Puro pré-conceito meu mesmo. Me levantei, sem descruzar meu olhar do de Veruska Pepper. Ela me perguntou se eu me juntaria a Guenael como ela. Balancei afirmativa e distraidamente minha cabeça, mas quando processei de fato o que foi dito, percebi meu corpo tenso. Soltei o ar dos pulmões e olhei para mim, o brilho sumindo do corpo devagar. Voltei a respirar... Ah... calma de novo. Estável. Olhei de novo para Veruska Pepper e devo ter feito uma cara estranha, pois não acreditava que alguém mundana como ela pudesse se adaptar tão facilmente para aquele pesadelo.

Em poucos momentos fui separada de Veruska Pepper, de Guenael, e me vi dentro de um cilindro viajando para o local onde seria minha sepultura mais cedo ou mais tarde. Nesse clímax da minha vida um monte de pensamentos assombrosos me invadiram.

Dez

Serei a Katniss dessa história?

Nove

Que segurança sufocante é essa que terei em um grupo que também joga 'resta 1'?

Dois

Eu só queria dançar pela última vez... sabendo que seria a última.

Um

Deus não existe............  

Banho de sangue.
Foi o que pensei quando minha cápsula se abriu. Eu corri, mas não de tudo como alguns integrantes que eram meus colegas de cela a pouco, mas sim para Veruska Pepper e Guenael. Eu pararia ao lado de quem encontrasse primeiro da minha aliança e daria cobertura. Seria leal a quem quisesse minha ajuda, e se tentassem algo contra mim... sinceramente não sabia se revidaria ou não... desistir da minha vida o quanto antes era tão tentador quanto o contrário. Situação impossível da mente humana julgar...
Voltar ao Topo Ir em baixo
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   28.08.14 0:18

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   30.08.14 22:08

Cela n° 104 - Veruska- Daisuke-Stella-Guenael-Nicholas



Daisuke


O garoto parecia ter sido o primeiro a referir-se perante Guenael, ao qual parecia realizar uma espécie de discurso para tentar unir os membros daquela cela, o homem certamente sabia o que costumava acontecer naqueles cárceres, as pessoas começavam a se matar para eliminar a concorrência, tentavam liberar seus selos antes mesmo de começar o que os organizadores chamavam de " jogo excitante". Guenael havia permanecido em silêncio, apenas notando a atitude verdadeiramente idiota do garoto, ao qual o velho simplesmente negou repetidas vezes antes da tensa explicação começar. " Caso perdido", pensou Guenael enquanto virava-se para Nicholas, encarando o homem de maneira atenta.


Nicholas, por sua vez, havia questionado o garoto, o homem aparentava estar calmo diante daquela terrível situação e não aparentava estar ansioso ou mesmo inquieto com aquela situação, o homem havia indagado Hoshi, logo obtendo uma resposta rápida por parte do garoto, porém, a única atitude do homem fora a de abaixar a cabeça em silêncio, desviando o olhar para o resto dos presentes, a primeira resposta a união do grupo havia sido conferida, negativamente.


Stella


A garota recém-chegada parecia pensar se forma racional pertinente a conduta humana, escutando atentamente as palavras que eram propagadas por Guenael diante daquela situação, essa a real intenção dos organizadores, impedir a união, semear a desordem e o caos, semear sangrentas batalhas e carnificinas, ao qual a garota, ainda que de uma forma indireta parecia ter caído em algum momento. Aproximando-se com sucesso do velho, a garota respondeu-lhe, inicialmente de uma forma sintética e clara ao qual posteriormente agiu com certa grosseira, se perfazendo com que Guenael esboçasse um breve sorriso, voltando sua face subitamente em direção  a garota antes que todo aquele conflito se desse inicio. - Interessante saber disso...muito interessante mesmo...entretanto, se recusas se unir a mim pequena garotinha, como poderá vir atrás de mim...? Ahahaha devo estar tratando com loucos também..ahahahah...se estiver longe como poderá saber que isto foi uma armadilha, por acaso você não regula bem da cabeça ou apenas quer parecer boa com palavras na frente de todos ahahahah mas que seja sua resposta, a escolha é sua...ahaha Guenael virou-se uma vez mais, buscando alguma resposta por parte dos outros membros da cela.


Nicholas por um lado, entendia claramente a atitude da garota, o rapaz apenas esboçou um breve sorriso, mas não do comentário de Guenael, mas sim, do comentário da própria garota com relação ao velho, afinal, havia alguma chance em confiar em um completo estranho? Nicholas suspirou pesadamente virando-se para Guenael. - Eu estou dentro, velho, entretanto, essa garota não está nem um pouco errada, como confiar em uma pessoa que já venceu o torneio quatro vezes? Aliás....quantas traições você não deve ter feito?


Guenael suspirou, negando repetidas vezes com a cabeça, procurando com os olhos alguma resposta em positivo a não ser a propagada por Nicholas.


Veruska


A terceira a questionar Guenael, ao qual a havia respondido com certo " pronto-atendimento", o velho em si buscava união, ir contra as doutrinas que eram pregadas naquela prisão, talvez uma união viesse bem a calhar, talvez as pessoas quisessem sobreviver de alguma forma e colocar aquele sistema abaixo, o que de fato deveriam fazer, para onde deveriam seguir assim que toda aquela confusão se iniciasse? - Procuro lealdade, precisamos nos unir, garota, você não faz idéia do inferno que virá, eu nunca traí ninguém, sempre tentei derrubar o sistema dos infames organizadores heheh..mas eles parecem estar completamente preparados para isso, eles não são bobos caso ao contrário, como eles conseguiriam manter detidos tantos seres com poderes aqui? hehehe


Guenael permanecia atento, assim como Nicholas, acompanhando a garota demonstrar alguma preocupação com um companheiro de cela que outrora apenas Guenael parecia ter se preocupado, entretanto, apesar da quantidade de negativos que recebera dos membros daquela cela, Guenael esboçou um breve sorriso assim que notara que Veruska havia concordado em unir-se a eles, visto que, até o momento, apenas Nicholas e ela haviam concordado em juntar-se a ele. - Pois bem, vamos dar um jeito de sobreviver neste lugar, o primeiro passo que temos que realizar é não enfrentá-los agora, deixe-os se matarem, vamos apenas nos estabelecer em algum lugar, seja lá qual o tipo de lugar e qual tipo de evento será, se puder fugir de algo, fuja, não precisa fazer frente a eles a menos que esteja favorável.


Cibelle

Guenael, assim que havia socorrido a garota, ou ao menos, tentado alertá-la sobre o que a utilização dos poderes causaria a garota, recebera uma resposta um tanto quanto desconcertante para si, se perfazendo com que um grande sorriso brotasse nos lábios do velho enquanto ele próprio encarava a garota.- Apenas tente se controlar ao menos um pouco, esses selos variam de acordo com nossos poderes....se me lembro bem são 5 selos, 5 mortes e seus poderes estarão completamente liberados...


Momentos mais tarde, Guenael e Nicholas apenas acompanhavam com os olhos a conversa entre Cibelle e Veruska, ao qual pareciam se ajudar se perfazendo com que Nicholas pensasse momentaneamente que ainda que fosse uma prisão, as mulheres pareciam ser mais unidas que os homens de alguma forma, mas ainda assim, Guenael apenas notara a expressão da garota em assentir afirmativamente com a cabeça que se juntaria ao grupo, finalmente estavam fazendo algum progresso à união naquela cela. Por sorte, Cibelle também havia se juntado ao grupo.


Cela n° 105- Yusuke e demais membros



Yusuke


Um membro afastado ao qual já havia sido em muito hostilizado na cela ao qual se encontrara, talvez, não seria a melhor escolha proveniente do rapaz, entretanto, mesmo assim o rapaz mantinha a calma com êxito, o jogo logo estaria para começar e talvez a maneira não inquieta com o qual o garoto parecia se comportar realmente poderia atrair a atenção de algum patrocinador, entretanto, dependeria dos feitos do garoto. Os outros integrantes da cela ainda mantinham-se a hostilizar o garoto mas não parecia que alguma união ali havia se formado, muito pelo contrário, era o clássico " novato", o último a chegar, entretanto, talvez não menos poderoso do que os membros daquela cela. O evento estaria para começar...

Início da Blood Prison


Após a contagem atingir o timelimit 0, os vidros dos respectivos cilindros se recolheram rapidamente deixando os 12 participantes daquele lugar livres, entretanto, o primeiro deles a se manifestar, fora Jack Manson, ao qual havia saltado para fora do cilindro ao qual se encontrava. O segundo em favorito portava uma espécie de Chakrans em uma de suas mãos, demonstrando uma expressão verdadeiramente assustadora diante daquele embate, ao qual por vezes poderia ser considerada doentia.


[ Jack ]- VOU MATAR TODOS VOCÊS!!


Imediatamente, Jack subdividiu sua chakrans em 3, arremessando imediatamente duas delas na direção de dois membros que estavam na própria cela, atingindo-os em cheio em meio as suas faces. - EU SOU O SEGUNDO FAVORITO! Logo, Manson literalmente vôou em direção ao terceiro membro, transpassando-lhe a chakran em seu pescoço.  



[ Membro de Cela 1 ]- N-não..por..por favor...nã-não faça isso.


Não houve sequer tempo para mais lamentações, Jack virou-se bruscamente, livrando-se do terceiro homem já morto.




Daisuke/Yusuke


Daisuke assim como Yusuke conseguiram com êxito correr do cilindro ao qual se encontravam, Daisuke habilmente havia se evadido do mesmo, entretanto, não agindo de forma discreta, entretanto, Yusuke, ao qual mantinha-se outrora aparentemente nervoso, deixando seus cabelos cintilarem em um tom mais rubro do qual já portava, havia também conseguido evadir-se do cilindro que se encontrava enquanto Manson parecia ter uma súbita crise, atacando os próprios integrantes de cela, matando cerca de 3 deles com uma grande velocidade. Caso Daisuke decidisse seguir Yusuke para leste, não tardariam em encontrar, a vários e vários metros adiante uma espécie de lago ao qual possuem árvores naturalmente mais grossas do que o comum naquela região, com raízes grossas e bem cravadas ao solo. O mesmo possui uma vegetação rala e rasteira porém, não encobrindo a totalidade da região. No lago em si, há diversos peixes, água potável e as raízes provenientes das árvores podem fornecer um ótimo esconderijo a dupla, ninguém os seguiriam, ao menos, até aquele momento.



Obs: Podem usar esse turno para juntarem alguns recursos, árvores, galhos, peixes, água potável, se são rasteadores, podem utilizar o cenário ao seu bel prazer.
Após se estabelecerem o local ou então desejarem seguir em frente, irão se deparar com uma dupla, os encarando atentamente. O primeiro, mais robusto, esboça um largo sorriso encarando a dupla.


[ Membro 1 ]- Saudações...somos dois co-organizadores, não há qualquer necessidade de saberem nossos nomes entretanto...fujões...temos olhos em todos os lugares e iremos matá-los, entretanto, como nas regras do jogo, poderemos estipular a vocês duas armas a escolha de vocês e caso nos derrotem, irão garantir a si mesmos 2 selos a menos num total de 5, pelo visto, irão querer fugir novamente? AHahaha



Stella


Com êxito, a garota havia conseguido fugir daquele lugar inicial ao qual pareciam provir como um banho de sangue inicial, a garota poderia contemplar a ação de Jack Manson, o favorito numero 2 em matar seus 3 companheiros de cela e permanecer deleitando-se com tamanha atrocidade. A garota seguira em uma direção relativamente  paralela a Hoshi e Yusuke, porém, não em mesmo sentido.


Caso a garota continuasse a seguir pelo local ao qual estaria comportando-se, se depararia com um cenário denso, com árvores grossas com inúmeros galhos esparsos uns dos outros, um lago com água potável, peixes, árvores frutíferas circundando a região e um silêncio totalmente incômodo, até mesmo o som proveniente dos peixes ao qual momento ou outro seguiam a superfície poderiam ser escutados.



Ao longe, a garota poderia avistar um fino filete de fumaça escapar acima de um grosso galho de árvore, um homem portando um estranho chapéu, barba por fazer, um extenso sobretudo de coloração bege, igualmente botas de couro de coloração marrom, calças grudadas ao corpo ademais um grosso cinto também de couro portando diversas balas no decorrer do mesmo desviava o olhar atentamente para a garota, mantendo o cigarro dentre os lábios, observando a mesma de maneira atenta e silenciosa.



Obs: Um ótimo lugar para se esconder ou mesmo para alimentar-se ou recolher algumas provisões, utilize essa postagem para se organizar e pensar no que sua personagem deve fazer e como fazer, já que está sozinha. Um estranho homem a observa, o que fazer?



Veruska/Cibelle/Guenael/Nicholas


A dupla de garotas havia adentrado aqueles cilindros e sido redirecionadas a um lugar completamente diferente do ambiente escuro e tenebroso ao qual pareciam se encontrar, entretanto, assim que o cilindro fora aberto, o primeiro e mais rápido a agir parecia ser Jack Manson, ao qual verdadeiramente parecia estar um pouco exausto por ter utilizado parte de sua habilidade em lançar-se contra um terceiro oponente, ao qual o assassino parecia ter levitado rapidamente em direção ao homem, enquanto Jack parecia ceifar cerca de duas vidas e encaminhar-se a terceira, Veruska havia se aproximado do velho ao qual havia permanecido em silêncio por alguns instantes enquanto desviava o olhar entre Nicholas, Cibelle e Veruska.


[ Guenael ]- Vamos fugir, eventuamente esse louco virá atrás de nós, depois buscaremos mais aliados, garota, vamos dar um jeito de escapar desse louco, ou podemos enfrentá-lo, o que acha?


[ Nicholas ]- Não é uma má idéia, esse cara não deve ser tão forte assim, aliás, ele está armado, a menos que...


Nicholas imediatamente correra em direção aos corpos derrubados por Manson, ao qual havia direcionado-se ao terceiro membro que tentava escapar do mesmo. Com extrema habilidade, Nicholas saltou para cima de um dos corpos, retirando uma das chakrans subdivididas do corpo do primeiro homem e em sequência, do corpo do segundo, jogando-os em direção das garotas, visto que, segundo as regras os favoritos já iniciavam armados. Enquanto isso, Nicholas levantou-se rapidamente afastando-se enquanto encarava de maneira atenta, Jack virar-se para eles.


[ Jack ]- Vocês serão meus próximos lanches? Faltam apenas dois....e poderei matá-los usando meu poder....acham que estão no mesmo nível que eu? Ahaha Podem tentar me enfrentar, vamos, vamos, ou devo ir atrás de outros e deixar um grupinho lindo como vocês viverem? Ahahah Ou devo matá-los agora...eu vi uma garota bem linda correr naquele direção...hehehe...o que acha..matar,  não matar....oh...eu vi você no telão..Juventude, não é? AHAHAHA...devemos matar vocês agora ou vamos fazer um adorável 4 X 1 ?



Guenael parecia mais apreensivo que Nicholas, será que seria uma boa idéia ir contra o favorito número 2 que já havia de fato matado cerca de 3 individuos que aparentemente não possuíam poderes ou mesmo que não esperavam um ataque tão súbito daquela forma?

TODOS


Obs: Podem explorar o local como quiserem que terá interações, utilizem o cenário a seu bel prazer, explorem-no, tentem se aliar ou livrarem-se sozinhos da prisão de sangue.
Obs¹: Poderiam por favor especificarem na postagem de vocês o que gostariam de ganhar de cada patrocinador?
Obs²: Cuidado, nem todos os membros que podem encontrar são de fato inimigos.
I N F O R M A Ç Õ E S

Caso possuam quaisquer dúvidas, queiram realizar elogios ou alguma sugestão, por favor utilizem o chat referente ao tópico da quest.


Prazo para os Jogadores Postarem: 10/09/2014
Prazo para que o Narrador Atualize: 13/09/2014

Obs¹: Peço desculpas pelo prazo extendido, será o primeiro em decorrência para não "bater" em prazo com a Ruínas do Tempo, caso ao contrário ficará pesado para atualizar duas quests em um prazo pequeno.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   31.08.14 21:19

Ao deixar aquela espécie de cápsula, elevador ou sei lá mais o que, aguardei a contagem regressiva e corri na direção dos meus aliados. Jack Manson, o segundo maior favorito, infelizmente visou atacar o meu grupo e Nicholas também, mas antes disso o mesmo se adiantou em pegar dois dos chakrans fincados nas cabeças daqueles que provavelmente foram os primeiros a perder o jogo e arremessá-los para mim e Veruska. Peguei o meu bem rápido, sentindo o cheiro de sangue e achando tudo muito asqueroso. Eu estava em boa forma física, com muita força nas pernas e principalmente nos braços, para poder fazer um ataque preciso. Daqui ele não passa, senhores. Se o matarmos teremos uma chance bem maior de conseguirmos mais aliados. Por mais que estejamos no início, a melhor hora será agora...

Olhei bem para Jack Manson. Ele nos subestimava e estava de mãos nuas, se eu não me engano. Experiência ele podia ter de sobra em assassinatos, mas agir como um valentão não me faria temê-lo. Quatro contra um... o que ele poderia fazer?

Eu suspirei, enquanto me lembrava do que talvez tenha inspirado esse jogo. Os tais jogos vorazes. Se fosse tudo igual, até mesmo com os patrocinadores e seus presentes, eu gostaria de ter pelo menos algo para calçar e uma espada. Estranho ou não, eu sempre tive certo talento para manejá-las.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   05.09.14 11:30

Meu instinto estava certo, Guenael mostrou-se um bom líder, mas não confiava completamente nele. Olhei de soslaio, talvez participar daquela batalha tantas vezes tinha afetado sua mente. Andamos por um tempo até nos depararmos com nosso primeiro adversário e tipo era um adversário poderoso, ocupava o segundo lugar, que sorte a nossa!

Nicholas age rapidamente e nos presenteia com chakrans, pego a minha, mas antes limpo o sangue no chão. Olho ao redor, sentia-me como uma gazela rodeada por leoas famintas, quem seria o leão ali? Quem se alimentava de todas aquelas vidas? Toda aquele violência? Não era hora para filosofia barata, afinal tínhamos uma decisão a tomar. Em toda minha vida, aprendi que os mais sábios sobrevivem ou são os últimos a cair e eu queria ser a última acair, na verdade preferia manter-me de pé. Olhei para Guenael, ele era o meu líder e a expressão deste não era das mais favoráveis, ele não parecia tão à vontade. Segurando a arma que me foi dada dei passos para trás, devagar e falei, enquanto  me afastava do olhar de Jack.

— Guenael sou fiel a você, mas algo me diz que enfrentar este cara é assinar meu óbito. Eu não vou lutar com ele, lutem se quiserem.

Com uma pirueta saltei para trás e corri para perto da árvore mais próxima, usando manobras de parkour saltei para cima de uma delas e pulei usando a força dos braços. Esperava que os dmais entendessem minha evasiva, minha vida valia mais do que qualquer cosia ali e Guenael tinha armas, Nicholas tinha armas e Cibelle, talvez, teria até formas de sobreviver a ataques diretos, eu não, sou apenas uma humana, dona de academia, praticante de esportes radicais, espiã e mercenária nas horas vagas, estou bem demais pra ser motivo de festinha para desconhecidos. Subi até o mais alto que pude da árvore e então soltei o ar. Suspirei e falei alto.

— Patrocinadores se quiserem me presentear com roupas adequadas, um cantil, bússola e um binóculo, agradeço!


Meu coração dava pinotes e tentei olhar na direção onde deixei Guenael, Nicholas e Cibelle, será que entenderia o que fiz? Não os abandonei e nem pretendo, mas quando se quer sobreviver e quebrar um sistema é preciso não se colocar em risco e eu estava fazendo exatamente isto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   06.09.14 22:14

Saiu correndo no maior desespero, portanto, no meio do caminho, deu um sorriso consigo mesmo e continuou correndo, até que olhou para o lado e viu Yusuke. Cara, o Yusuke? Daisuke nunca imaginaria que ele estaria aqui, seu tio, portanto, considerava mais como um irmão, por tantas coisas que já passaram juntas.

Yusuke? É você?

Disse, com um sorriso no rosto e correu em sua direção, já querendo fazer time com o mesmo.

FLASHBACK

( Hoshi Yusuke ) - É assim que se contra-ataca um soco...
( Hoshi Daisuke ) - Woah... Demais!!

Disse Daisuke, sorrindo para Yusuke, ainda criança e logo, estralava os dedos, com um sorriso em seu rosto.
( Hoshi Daisuke ) - Vamos de novo?
( Hoshi Yusuke ) - Óbvio! Haha!

E Daisuke saiu correndo em sua direção, gritando, para continuar o treinamento de lutas corpo a corpo.

FLASHBACK OFF


Hoshi continuou correndo em sua direção, aumentando sua velocidade para alcança-lo e quando já estava do seu lado, continuou correndo, com um sorriso no rosto, olhando para Yusuke.

Cara, você parece tão nervoso! Tá com medinho, é? HAHAH! Isso aqui vai ser demais!

Disse então, Daisuke e depois de um tempo correndo com Yusuke, chegou a um lugar e parou, encostando-se em uma árvore, distante de todos e logo olhava para Yusuke e andava em sua direção e mostrava antebraço para Yusuke, para dar o sinal de cumprimento dos Hoshi, um "X" com os braços e após ter feito isso, se afastava do mesmo.

Quanto tempo, lek! Como chegou até aqui? Enquanto vai falando, deixa que eu pego algumas coisas aqui para podermos passar a noite nesse local!



Disse, com o dedão apontando para seu peito, exibido como sempre e então, foi para trás de uma árvore, que deixava um espaço entre ela e uma rocha que tampava ali, deixando um lugar bem seguro para dormir e Daisuke apalpava um pouco o local, deixando ele bem arrumado e logo olhava para aquele lago, vendo que tinha alguns peixes ali.

Pega alguns gravetos para fazermos uma fogueira, mano, vou pegar os peixes! Aí fica tudo preparado para termos o que comer e onde passar a noite, fechou?!

Disse Daisuke e logo tirou sua camiseta e jogou no chão e deu um pulo de ponta naquele lato, dando um grito.

Yahooooo!!

E pulou dentro do lago, prendendo sua respiração e os peixes corriam para os lados por causa do mesmo e ele nadava calmamente, observando um peixe e quando um deu brecha, Daisuke avançou com tudo sobre ele e o mordeu e o outro que estava perto, Daisuke pegou com a mão e continuou no lago, até pegar 4 peixes, demorando um tempo de 32 segundos dentro do lado e deu um pulo pra fora, deixando os peixes no chão, que ficavam se contorcendo e Daisuke respirava meio ofegante.

Uhhh..

Então, saiu da água e se secou um pouco e vestiu a sua camiseta e pegou os peixes, mostrando eles para Yusuke, sorrindo, orgulhoso e então se espreguiçava, e então, ia deixando os peixes mortos ali no gramado do lado e quando ia colocar o ultimo, ouviu uma voz atrás do mesmo.

[ Membro 1 ]- Saudações...somos dois co-organizadores, não há qualquer necessidade de saberem nossos nomes entretanto...fujões...temos olhos em todos os lugares e iremos matá-los, entretanto, como nas regras do jogo, poderemos estipular a vocês duas armas a escolha de vocês e caso nos derrotem, irão garantir a si mesmos 2 selos a menos num total de 5, pelo visto, irão querer fugir novamente? AHahaha

( Daisuke ) - Lá vem merda...

Disse Daisuke, coçando os cabelos e olhando para eles, olho a olho e então, em uma movimento rápido, tacou o peixe cara do organizador e fez sinal com a mão para ele vir pra cima, provocando.

Vem, vem! Lhe sentarei a mão, rapaz! To com o olho no seu zói.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   10.09.14 0:19

Estava com um dor de cabeça terrível aquilo a atormentava muito, já que acabara de presenciar a primeira morte desse estranho jogo doentio. Parecia estar cada vez mais instável, torcia para não encontrar alguém naquele momento. Queria se juntar a algum grupo mais não encontrou confiança em ninguém daquele lugar, o medo era algo que a deixava cada vez mais impaciente, sempre foi uma pessoa pacifica e invisível na sociedade, pensou no porque fora escolhida para isto. Praticamente tudo surgia em sua mente, seu corpo estava em uma adrenalina só, Stella era tão medrosa que poderia fazer qualquer coisa naquele momento, mas não queria usar aquilo... O estranho dom que a perturbava durante quase toda a sua vida, era aterrorizante. Não sabia em qual direção ou para onde ia, o silêncio estava dominando a única coisa que escutara era o barulho das folhas batendo umas nas outras por conta do vento que surgia. Logo foi parando de correr e foi andando com passos longos e apressados, observando tudo ao redor, atenta no que via, qualquer ruído era de se preocupar. Stella estava tão paranoica que até seus próprios passos por vezes a assustava fazendo-a olhar para os lados. A loira ajeitou suas mangas de forma que não a atrapalhasse, ela suava frio, sentia seu corpo esquentar, e arfava.

Ao chegar em um local um tanto estranho que lembrava um pântano, mas não era tão escuro. Possuía uma grande variedade de árvores interessantes, algumas tinha uma aparência grotesca, mas nada tão preocupante. A água estava tão azul e cristalina, parecia ser potável, era o que precisava naquele momento, uma boa golada de água. Stella se sentiu confortável naquele lugar, estava tão quieto, apesar de ser mais preocupante, a garota queria esquecer por alguns minutos. Ela deu uma volta, indo em direção a uma árvore de maçãs(?) que viu logo quando chegou. Nem precisou subir ou ficar na ponta dos pés, a árvore era farta, apenas esticou o braço, pegando a fruta que escolhera. Suspirou indo em direção a margem, percebeu que estava relaxando demais, não poderia abaixar a guarda, a qualquer momento alguém apareceria e ela teria que estar preparada. Nessas horas queria estar com sua katana...  

Sentou na beira jogando para o lado o resto da maçã. Não estava muito perto da água, precisaria se apoiar em algum galho/raiz preso ao chão, e o fez. Stella queria pelo menos tocar na água e tirara aquele suor de seu rosto. Ela fez sem dificuldade, segurava firme e com a outra mão pousava sobre a água e logo molhando seu rosto, ainda não tinha nem ideia que alguém a observava, o local parecia tão silencioso, mas isso acabou mudando quando sentiu um forte cheio de cigarro. A loira olhou para os lados não tendo sucesso, olhou para cima fitando a figura de um homem de estatura mediana que usava um chapéu. Como não o viu? Stella tomou um susto tão grande que largou o galho e foi de encontro com a água, voltando logo para a superfície, apenas não contava que perderia os óculos... Droga... Resmungou para si mesma olhando o homem. Antes de percebê-lo estava tão vulnerável, não possuía uma das suas melhores expressões. Já que só era ela, pensara no que fazer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   10.09.14 1:35

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   11.09.14 21:56

ESTOU ATRAZADO MEU DEUS”

Ao perceber que seu sobrinho havia o reconhecido, percorreu o caminho com ele, sempre olhando ao redor para ver se não havia ninguém, foi quando parara naquele pequeno lugar onde poderiam se preparar, comida, agua, etc.. E logo lembrou o movimento de toque dos Hshi, era um tanto nostálgico aquela cena, Yusuke se lembrava de sua infância e adolescência inteira com aquilo, e principalmente de seu irmão mais velho o qual é pai desse garoto que agora estava o comprimentando.. Daisuke. O ruivo sorrindo bateu o antebraço no de Daisuke formando o comprimento “X” Yusuke olhou ao lado, e como iriam ascender uma fogueira, procurou uma pedra meio grande, uma que desse certinho o tamanho da palma de sua mão. Achou uma e a apanhou, deixou ela sobre uma pedra maior que batia na cintura do ruivo, deixou então a pedra menor em cima da maior e começou a olhar em voltas para achar gravetos.


“The round one FIGHT! “

Foi quando se deparou com os co-proprietário, Que estavam ali, Daisuke como sempre começou a briga sem nem antes pensar em estratégia ou coisa do tipo, e o pior com um peixe, mas tudo bem era o estilo dele, cabeça oca. Então Yusuke sendo um pouco mais pensativo pegou a pedra que iria utilizar para fazer a fogueira e tacou a pedra na cabeça do segundo co-administrador (No caso seria o que não tinha tomado a “peixada” na cara) Mas a pedra seria uma distração para o que viria atrás, Yusuke deixou uma das mãos a altura da cintura com a palma aberta, em quanto passava a outra a frente do rosto também aperta e fechava os olhos puxando ar, ao soltar o ar soltava também um “Grito de Guerra”

- ROAAAH

E ao abrir os olhos, os olhos verdes estavam mais brilhante, seu cabelo estava mais cintilante, ele parecia sorrir por entrar em luta. Era como se ele não espera-se a hora, logico não seria tão burro a ponto de confrontar em um campo de batalha que seria repleto de sangue.. Mas agora 2 a 2, seria maravilhoso, era como se ele tivesse liberado um demônio interior.

- Hehehe, tá na hora de derramar um pouquinho de sangue.

Não assumiria a dianteira da luta, esperaria o oponente atacar. Mais claramente podia perceber que o sangue do Berseker já fervia em suas veias, era claro que o que ele queria era sentir o sangue do oponente pingar no chão e ouvir gritos de lamentasões e desculpa vinda daquele dois adversário. Além de ter a chance de chamar a atenção dos patrocinadores para mandarem-lhe a arma que tanto queria as adaga com corrente (Desculpa não me recordo o nome da arma, e minha net tá muito ruim pra mim pesquisar.. Mas seria estilo a arma de Kratos. )

Assim esperaria que aqueles dois viessem atacar os Hoshi para finalmente entrar em ação.


(perdão a demora, é que minha net ficou muito ruim de uma hora pra outra.. Peso que releve...Entenderei se não aceitar o post, ignore os erros, porfavor. )
Voltar ao Topo Ir em baixo
David D. Jones
Omega Game Master Design
Omega Game Master Design
avatar

Mensagens : 417
Data de inscrição : 02/07/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   12.09.14 23:22

TODOS 

A situação parecia se tornar cada vez mais tensa em decorrência a iniciação daqueles jogos para o grupo, dois membros haviam fugido, um deles fora Hoshi, que havia fugido imediatamente aos primeiros 3 massacres que o número 2 em favoritismo. A cada passo que aqueles jogos involutários haviam começado, a situação se tornava mais tensa, igualmente sujeito a massacres, pois para a sobrevivência, muitos poderiam propagar-se com total violêncio, ninguém gostaria de perder sua vida para o entretenimento daqueles conhecidos como organizadores e seus patrocinadores, mas haviam aqueles que estavam lá por mero prazer de matar,  apenas para treinar suas técnicas e causar sofrimento nos demais participantes, pois muitos deles não sabiam sequer o que estava ocorrendo naquele lugar. O horário já atingia por volta das 17:00hrs, estava escurecendo, o céu tornara-se nublado e a penumbra iria recobrir toda aquela imensa arena. Os massacres haviam dado inicio e não somente onde se encontravam  os favoritos mas também ao grupo que estamos acompanhando: Veruska, Guenael, Yusuke, Hoshi, Cibelle, Stella e Nicholas. 


Uma espécie de apresentador macabro havia ditado as regras naquele lugar, apresentando os favoritos, citando acerca de alguns regramentos e o que havia se iniciado em uma prisão através da coação de um estranho homem, havia se tornado em um jogo de sobrevivência ao qual até mesmo parentes haviam sido coagidos a participar, assim como outros tantos voluntários para esses jogos, afinal, o entretenimento dos horrores que aconteciam com as pessoas são refrescos nos olhos daqueles que apenas assistem, entretanto, quando os papéis são invertidos, a situação não parece tão legal agora. 


O frio em toda aquela insula começava a se prostrar, a noite começava a tomar conta do lugar e as pessoas pareciam continuar a querer sobreviver, diversos combates se distribuíam pela ilha assim como muitos já pareciam somar suas pontuações, a situação tornava-se densa, ainda mais para um pequeno grupo que havia deparado-se com o número 2, Jack Manson, O Degolador, assassino e recrutado para participar da prisão de sangue como voluntário.  Em segunda instância, estava Stella, que havia deparado-se com um estranho homem, vulgarmente conhecido como O Lobo, John Mc’smith, o número 7 em meio aos favoritos naquele lugar. Não muito longe dali, os fugitivos, Yusuke e Hoshi, ao qual pareciam se entenderem melhor do que em grupo, haviam se juntado, sendo interceptados posteriormente por 2 co-organizadores. 



Veruska/ Cibelle/ Guenael/ Nicholas





A arma que Jack Manson possuía, conhecida como Chakrans, era tripla, ao qual o assassino havia utilizado de duas delas para arremessar contra seus oponentes, ao qual Nicholas habilmente havia conseguido as retirar dos corpos inertes de dois participantes e conferidos as mesmas em direção de Cibelle e Veruska, recuando posteriormente a isto, entretanto, havia uma terceira sob posse do homem que parecia olhar, friamente cada membro que estava a sua frente, sua intenção era clara, matar, vencer, treinar. 


A primeira a manifestar-se perante aquela situação fora Cibelle, ao qual julgava que a quantidade talvez seria melhor que a qualidade, entretanto, estaria  a garota certa, Jack parecia ter uma paciência verdadeiramente assustadora, apenas permanecendo a encarar a garota enquanto a mesma dissera sobre a quantidade, era desta forma que ele conseguia êxito em suas incursões assassinas, mas talvez o grupo tivesse uma chance contra o estranho assassino. 


Guenael havia virado de soslaio para Cibelle, ao qual imediatamente voltou seu olhar em direção a Jack, que permanecia agora com um sádico sorriso dentre os lábios, o velho suspirou enquanto tornou a olhar para Nicholas. 


[ Guenael ]- Droga...nos depararmos logo com o segundo favorito numa hora dessas...logo no inicio..ele vai nos caçar...com certeza, quando ele coloca os olhos em alguém, pelo que eu ouvi dele, ele caça até encontrar. Droga..droga droga...




[ Nicholas ]- Fique calmo, velho, podemos dar um jeito nisso. 



A segunda a manifestar-se fora Veruska, ao qual havia de alguma forma jurado lealdade ao velho, que esboçou um breve sorriso logo em sequência, entretanto, a garota parecia ter agido logo após, com êxito, afastando-se do grupo, enquanto Jack Manson apenas acompanhou com os olhos a garota se deslocar para afastar-se do grupo, proferindo em voz alta. 

[ Jack ]- Que garotinha adorável...AHAHAHHAHAHAH, jura lealdade a um grupo de assassinos e foge..AHAHHA, adoro covardes..o cheiro de medo...me impregna totalmente...é muito..excitante...ei ei...por qual de vocês eu devo começar? Hein...matar o velho...o cabeludo...a garotinha da quantidade ou a fujona?AHahhaa...se fugirem irem caçar cada um de vocês..AHAHHA Aliás...porquê devo ficar falando tanto? Vamos aos jogos! 




[ Guenael ]- Lá vem ele. 


Proferiu o velho com uma estranha seriedade, seus olhos estreitaram-se gradativamente enquanto notava Jack começar a inclinar-se, Nicholas também havia assumido uma postura defensiva, inclinando-se brevemente, colocando uma das mãos a frente do corpo de maneira espalmada enquanto com a outra, posicionava fechada próximo a cintura, encarando-o atentamente. 


[ Nicholas ]- Pode vir, idiota, mostre o que você tem de bom, quero ver se você é realmente o número dois, vamos, vem pra cima! 


Gritou Nicholas enquanto Jack lançou-se para a frente velozmente indo de encontro inicialmente a Nicholas, ao qual o havia provocado. Assim que o homem aproximou-se de Nicholas, subitamente, como em uma absurda velocidade, ao qual seu corpo parecia levitar consideravelmente, mudara a direção, partindo em direção a Cibelle, com uma de suas armas a frente do corpo, a idéia de Jack era mirar na altura do pescoço da garota, desta forma, visando matá-la imediatamente.  Nicholas, por sua vez, havia recuado dois passos, preparando-se para evitar o golpe de Jack que subitamente não acontecera, Guenael por sua vez, havia urrado. 


[ Guenael ]- Garota, cuidado! 


Guenael lançou-se em direção a Jack, visando colocar seu corpo na “linha de corrida” do assassino, ao qual o mesmo,notando a ação de Guenael, inclinou-se e saltou, enquanto violentamente, mudou a trajetória de sua arma, visando arremessá-la para onde estaria Veruska, enquanto rapidamente o homem visava agora desferir um soco na cara de Cibelle. 


[ Jack ]- Vamos, mostre a quantidade!!!! Urrou Jack. 


Stella





Stella havia de fato, distanciado-se do grupo inicial Veruska/Cibelle/Nicholas/Guenael, entretanto havia deparado-se com uma macieira, sem problemas suprindo-se de uma das várias que haviam na árvore, era vasta e farta assim como o resto da vegetação do lugar, entretanto, alguém observava a garota a vários momentos, de longe, ao qual,  azaravelmente, Stella havia mergulhado, perdendo seus óculos, sua visão estaria turva? Estaria enxergando quem estava próximo? A expressão que a garota fazia com relação aquela situação era tensa, o homem que permanecia apoiado em um grosso galho, com um cigarro dentre os lábios, ergueu uma das mãos, o retirando lentamente da boca, deixando que a fumaça escapasse lentamente. 


[ O Lobo ]- Ora ora...o que temos aqui. 





O homem lentamente virou-se em direção a garota, colocando uma vez mais o cigarro dentre seus lábios e então saltando de encontro ao solo. Estranhamente, seu corpo não sofrera impacto algum em decorrência a altura que estava da vegetação rasteira e vívida do lugar. O homem visou aproximar-se lentamente da garota, esboçando um breve sorriso enquanto mantinha o cigarro fixo dentre os lábios.


[ O Lobo ]- Tsc...pensei que fosse a número um, entretanto, não passa de uma novata aqui....que pena. 



O homem então começou a aproximar-se da garota, será que ela o enxergaria com precisão? John esboçou um breve sorriso, encarando a garota atentamente, entretanto, após aproximar-se da mesma, visou simplesmente passar por ela, como se ignorasse qualquer atitude agressiva que poderia tomar contra ele. John adentrou o vasto lago que ali havia e sem delongas, saíra do mesmo com os óculos da garota em uma das mãos, ainda sorrindo. 


[ O Lobo ]- Perder os óculos num lugar como esse....francamente...você não me parece uma assassina. 


Disse o homem em um tom sério enquanto lentamente estendia os óculos em direção a garota e com a outra mão então posicionou-a atrás de suas costas, retirando um revólver calibre 38 apontando em direção a garota. 


[ O Lobo ]- Tenho algumas perguntas...garota. Quero saber seu nome, seu poder e se quer sobreviver. 


Imediatamente o homem posicionou uma das mãos na parte traseira do revólver, acionando-o produzindo um pequeno “ Tic” conforme  o bujão da arma parecia rodar. 


[ O Lobo ]- Vamos..responda. 



Sua expressão era séria, Stella e O Lobo teriam alguns minutos para conversar, até que um estranho após o diálogo se acometeria pela região que Stella e O Lobo estariam. 


[ O Lobo ]- Parece que os jogos irão começar bem mais cedo. Como está apenas você aqui garota? Matou todos os membros de sua equipe? 




Indagou O Lobo enquanto permanecia em silêncio, o estardalhaço que havia  se propagado havia sido absurdo, enquanto o homem lentamente desviava seu olhar para observar a região. Não demorou muito, mas antes que a garota pudesse questionar o homem sobre alguma coisa,  a superfície do solo parecia rachar-se notavelmente, ao qual, mais de meia dúzia de braços pareciam propagar-se do solo. Imediatamente, vários braços pareciam apoiar-se violentamente no solo ali e começarem a se erguer, eram diversos indivíduos, seus corpos eram pútridos e alguns pareciam ter várias feridas na decorrência de seus corpos, seus olhos eram inexpressivos,  assemelhavam-se como se a muito tempo suas vidas tivessem deixado seus corpos.  Era uma verdadeira horda de zumbis que havia surgido.


[ O Lobo ]- Maravilha.





Se não bastasse aquela situação, um estranho barulho parecia ter se acometido novamente, porém, era mais suave do que o estardalhaço anterior. Algo parecia brilhar e chamar a atenção de Stella, parecia uma espécie de pequeno paraquedas atado a uma katana japonesa, o paraquedas ia em direção a uma árvore próxima, enroscando-se nos galhos de uma árvore. A frente da mesma, 2 zumbis mantinham-se próximo a mesma, o que fazer? 


Obs: Stella, parabéns, parece que sua atitude de fugir e perder os óculos bem a frente do numero 7 em favorito lhe rendeu algum presente. 


Yusuke/ Hoshi 





Hoshi havia conseguido com êxito, instalar-se brevemente na região que havia encontrado após fugir com seu parceiro, Yusuke. O garoto havia mergulhado em busca de alguns peixes bem como Yusuke com êxito havia tentado criar uma fogueira, ambos pareciam se dar muito bem em dupla, talvez fosse a escolha correta deixar os demais companheiros como isca para Jack Manson enquanto a dupla fugia. Não demorou muito para que dois indivíduos se colassem a frente da dupla, ao qual imediatamente as palavras o primeiro a agir fora Hoshi, que havia recusado totalmente a proposta propagado pelos co-organizadores, que lhes haviam fornecido armas. 


Agindo sem pensar, Hoshi havia pego um dos peixes capturados e direcionado a um dos co-organizadores, uma garota que permanecia com um singelo sorriso no rosto, com êxito, o garoto arremessou o peixe em direção a garota, ao qual, habilmente a garota apenas inclinou sua cabeça para a direita de maneira com que o peixe passasse diretamente.


[ Co-Organizadora ]- Nossa...acho que recrutaram palhaços ao invés de pessoas capazes...
O segundo a agir, de maneira hábil fora Yusuke, ao qual havia pego uma pedra, arremessando em direção a outro co-organizador que violentamente, sacudiu a imensa lança, fazendo a mesma rebater a pedra violentamente. O homem permanecia em silêncio, esboçando um breve sorriso enquanto notava a atitude de ambos.


Yusuke havia começado a manifestar sua habilidade Berserker, ao qual sentia-se levemente ofegante, mas ainda assim, conseguiria manter parte daquilo por um tempo fixo, porém, poderia utilizá-lo daquela forma.

[Co-Organizador ]- Oh....esse cara não parece estar de brincadeira....ahahaha..bem, desta forma, teremos que lidar com eles. 
Não demorou muito para que a arma solicitada pelo Yusuke chegasse, uma adaga com correntes ( depois veja o nome ), apenas uma delas, que chegara rapidamente através de um paraquedas pequeno, que emitia um singelo som, atraindo a atenção do garoto.  Logo que Yusuke se acomete-se de sua arma, ambos os organizadores partiriam em direção a dupla.

O primeiro, mais alto e mais forte, visaria desferir um golpe com lança na altura do peito do garoto Berserker enquanto a garota, utilizaria as costas do grandalhão como base para saltar e então visar desferir 4 socos simultâneos na cara de Hoshi. 



[ Co-Organizadora ]- Fracotes! 

Os 4 socos inicais da garota acertariam Hoshi, o mandando para trás, seria o momento para contra-atacar, já o gigante, desferiria um golpe certeiro na altura do peito do homem, será que conseguiriam vencer? 


Obs: Yusuke, parabéns, conseguiu sua arma. Hoshi, como você não especificou qual arma gostaria de ter, ficou ser arma. 


I N F O R M A Ç Õ E S

Obs: Yusuke, mais um atraso na atualização e estará fora. 

Obs: Stella, você atrasou mas me informou o motivo do atraso na postagem anteriormente, portanto, está okay.

Divirtam-se. 

Prazo para os Jogadores: 22/09/2014
Prazo para o Narrador: 25/09/2014
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   13.09.14 1:14

Daisuke sorriu, vendo que a mesma foi boa em desviar de seu peixe e deu um sorriso e entrou em sua pose de luta. Não queria armas, gostava de apenas lutar em mano a mano e, caso seus selos fossem libertos, o mesmo já poderia materializar sua pequena espada sem sentir tanta fadiga, pensava, então já estaria beleza e o mesmo colocou uma perna na frente e a outra dobrada, e uma mão, com o punho cerrado, colocou na frente a outra, atrás dela e esperou o golpe.

Yusuke.... Vamos lá. Como nos tempos antigos, brother!

Disse, sorrindo e esperando o primeiro movimento e, estando fixado naquela garota, viu que a mesma usaria aquele grandalhão de apoio para o seu golpe, no qual pulou na direção da Daisuke e Daisuke, sorrindo, por amar lutar mano a mano, já formou todo o seu golpe em sua cabeça e, quando ela desferia os 2 primeiros golpes, Daisuke, rapidamente, segurou os pulsos da garota e puxou em direção a Hoshi e, no mesmo instante, deu um impulso forte com o seu pé e bateu com força a testa na testa da garota, dando uma cabeçada na mesma e, por ser muito cabeça dura, não levaria muita dor, mas foi um impacto forte o bastante para deixar a garota tonta por alguns segundos e, imediatamente, como a garota estava no ar por ter saltado, Daisuke, ainda segurando suas mãos, para ela não fazer nada, caso conseguisse, o que seria pouco provável por causa da tontura que sentiria, Hoshi puxava as mãos dela para baixo e dava um salto, batendo os dois joelhos na cintura dela e acompanhando o seu movimento no ar, deixando os dois retos no ar e de cabeça para baixo, ainda que por um só segundo e, aproveitando esse tempo, o lutador colocou os pés na barriga da organizadora e deu um chute forte, tacando ela no lago que tinha ali, soltando as suas mãos e caia com as mãos apoiadas no chão e dava um impulso para frente, voltando a ficar de pé e olhando para trás com um rosto sério agora, caso todo esse combo acertasse a mesma.

Hum...

Disse Daisuke, esperando sentir um pouco de fadiga, caso o selo que ele tem fizesse efeito.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Quest - Prisão de Sangue   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Quest - Prisão de Sangue
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 4Ir à página : 1, 2, 3, 4  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
RPG JOGOS :: Geral :: QUESTS FINALIZADAS :: | Quest | Prisão de Sangue-
Ir para: