INTERESSADOS EM JOGAR, ACESSEM: http://orkutando.online/comunidade.php?com=2717
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   25.02.16 23:37



~~~~~~~~~~~~~~~~ Atualização em Progresso ~~~~~~~~~~~~~~~~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   27.02.16 18:18

As reações foram rápidas, mesmo pra velocidade de invocação da deusa Izanami, ainda sobre efeito dos poderes da entidade genesi. Enquanto isso os integrantes da missão tiveram de se juntar para não serem pegos pela horda de almas que havia surgido. Thalia odiava escrever em Enoquiano mas era a unica forma que ela conhecia de os tirar dali, escrevia no chão úmido as runas do alfabeto angelical. Enquanto isso Nenna foi rápida em se desvencilhar da criatura que tocou em sua perna, ela ainda pode sentir o contato na pele mas não ouve corrosão como em sua roupa, rapidamente a mutante atirou no inimigo e pulou para trás, ficando agora próximo a Thalia e a Lilith, Nenna usava de sua habilidade com armas e a manipulação da sorte para não desperdiçar nem uma bala, todas foram certeiras e aos poucos ela foi abrindo caminho, até certou um tiro em Izanami, na altura do rosto, a deusa virou com o impacto mas voltou ao seu estado estático. Nanbrimbor ficou um pouco surpreso com as ações de Izanami mas não tinha tempo para protestar uma vez que estava mais afastado de todos, usou de sua lamina para executar uma manobra sobre o corpo de uma das criaturas, por isso quase perdeu o equilíbrio na queda pois a estrutura corporal da criatura era bem mole, a parte das costas de sua armadura foi derretendo aos poucos, assim como aconteceu com Nenna, Nanbrimbor não parou, depois de ganhar mais espaço entre os inimigos, puxou seu arco e algumas flechas e atirou na direção de seus amigos, não para certa-los, e sim par impedir um golpe que vinha pelas costas de Nenna, Thalia e Lilith, as três flechas foram certeiras. Basco puxou sua cimitarra brilhante e saiu abrindo caminho entre as criaturas, sua espada dançava de forma magistral, decepando todas as almas que vinham em sua frente, nas costas uma quase tocou sua nuca mas graças ao seu dom mutante, a criatura apenas passa direito sobre seu corpo feito de nevoa, o local começou a ficar ainda mais denso visivelmente, os outros companheiros ainda conseguiam ver a lamina brilhante decepando os inimigos.

- Thalia, sugiro rapidez nessa conjuração...não sei por quanto tempo posso manter isso, visto que as criaturas não param de surgir! -

- Quase lá! -

Um pouco antes disso, Lilith protegia Thalia com Nenna, ela pode notar que Thalia já tinha acabado com as escrituras e agora ela desenhava pequenos pentagramas em volta do circulo maior, os pentagramas iam acendendo e apagando enquanto algo vermelho saia dos dedos de Thalia. Lilith voltou a encarar os inimigos quando um veio do teto daquele buraco, mas, usando uma de suas rochas a menina sentiu o poder telecinético no corpo e empurrou o inimigo de volta para cima, esmagando ele e mais alguns na área de ataque, Lilith decidi pegar sua arma na mochila mas enquanto puxava o equipamento uma das invocações pulou bem em sua direção, Lilith puxou a arma com a maior velocidade que pode mas o que a salvou foi a flecha de Nanbrimbor que dilacerou o rosto da criatura antes que ela chegasse a tocar a Vault Hunter. Lilith não ficou parada, agora usando sua arma Boss Bekah descarregou o pente nos inimigo que via pela frente, o som ecoava por todo o lugar, e graças a arma da garota os inimigos foram diminuindo ainda mais rápido, a competição entre ela e Nenna estava acirradíssima. Quando a Nevoa de Basco inundou o local, a Vault Hunter viu a oportunidade de um ataque certeiro, recarregou sua arma e saiu atirando na direção dos inimigos que restavam dentro do nevoeiro de laminas que Basco havia criado, em um movimento rápido a garota lança uma granada que quicou e explodiu na cara de Izanami, a deusa ficou completamente petrificada, mais estática que antes.



Basco pode voltar a sua forma física quando notou que as invocações haviam parado, a nevoa sumiu e eles perceberam que nada mais restava no local, a não ser a forma cristalizada de Izanami. Thalia levantou cambaleando e tocou na nuca de Nenna com o dedo indicador, tocou no braço de Lilith, no ombro de Basco e no braço esquerdo de Nanbrimdor, lugares que estavam desprotegidos, todos sentiram uma pequena queimação e logo em seguida o que parecia ser uma tatuagem se formou no lugar tocado. - Proteção contra demônios, se alguém cair no inferno isso impede que vocês sejam possuídos. - Izanami se moveu, todos perceberam, o cristal começou a quebrar, alguns fios de cabelo já começavam a sair, ela tinha recuperado sua força total. - Pouco tempo... não importa onde caiam, tentem descobrir algo, vou encontrar vocês assim que conseguir... ou não. - O cristal se quebrou e Izanami deixou que as mechas partissem em direção aos seus inimigos, mas Thalia tocou a marca no chão, um clarão surgiu e deixou todos cegos.  


< Selo Enoquiano // Proteção contra possessão >

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   27.02.16 18:18

Nanbrimbor


Nanbrimbor sentiu a cabeça doer, ainda estava tonto da viagem que havia feito. Quando abrisse os olhos poderia contemplar um lugar bem diferente do que estava antes, era um tipo de vale, algumas montanhas ao fundo e completamente cercado por nevoa, claramente ele podia ver que a vegetação estava morta e que um pequeno rio dividia aquele lugar. O local não fedia a enxofre e nem um de seus companheiros estava por perto. Se Nanbrimbor se afastasse da margem do pequeno rio iria perceber uma trilha. Então, um barulho, um som de um sino tocando, Nanbrimbor nota que um ser corcunda surgiu na trilha, carregava consigo um cajado e estava completamente coberto por vestimentas negras, apenas seus olhos, ou melhor, apenas as orbs vazias podiam ser vistas.




Basco

O frio incomodava, quando basco abriu os olhos notou que não estava mais no local, sentia frio, não sentia cheio de enxofre e estava completamente sozinho. O som da canoa se movendo na água ficou evidente, tudo ao redor de basco era pura e simplesmente água, ele não conseguia ver nada alem pois estava escuro demais, não existia lua no céu, não existia céu, não dava pra distinguir nem uma direção, apenas o som da água e o frio da noite. Ele estava mesmo no inferno? Passou algumas horas, basco não soube dizer quantas, mas ele finalmente pode ver uma luz, vinha de outro barco que se aproximava em sua direção. Nele uma mulher vestida de branco estava sentada, na ponta de sua canoa um tipo de vela estava acesa e trazia luz para o lugar. - Olá viajante. O que deseja no rio Tuoni? Visitar um parente? Amigo? -



Nenna


A mutante vomitou, sua perna doía e ela claramente estava com febre, sentia o corpo mole e a visão turva. Sentiu algo puxar seu corpo, mas não tinha força para fazer muita coisa, Nenna desmaiou novamente. Na segunda tentativa de acordar a moça pode se sentir sendo carregada, andavam devagar por um tipo de masmorra, o cheio de enxofre incomodava bastante, a perna de Nenna ardia como nunca, onde o monstro do yomi havia tocado uma marca negra foi tomando conta, já tinha consumido quase sua perna inteira. - Vai com calma, você foi amaldiçoada, vou tentar tirar essa maldição, só descanse por enquanto. - A voz também não lhe era familiar, porem era claramente feminina, será que era uma pessoa digna de confiança?




Lilith

A Vault Hunter acordou no meio a uma construção de pedras, as construções eram bem estreitas porem altas, muros grandes e pouco espaçados, ela podia ouvir alguns gritos e passos. O estranho daquele lugar era o simbolo na parede, um delta. Lilith foi recobrando os sentidos aos poucos, seus sentidos aguçados logo estariam em alerta pois o cheiro de sangue invadiu suas narinas, ela pode ouvir bem ao lado da parede que estava apoiada o som de algo sendo dilacerado, algo como se carne estivesse sendo rasgada, mas não gritos, era como se algo estivesse se alimentando. Então, o som parou, o silêncio voltou. Ela podia andar um pouco para descobrir o que fazer mas tudo que encontrava era curvas e mais curvas, as vezes ela acaba em becos sem saída, voltava e encontrava mais curvas e divisões. Meia hora de caminhada foi o bastante para ela encontrar algo estranho, um ser monstruoso, era grande, estava curvado e comia algo, o mesmo som que Lilith tinha escutado antes. O ser parou de comer, olhou para trás de relance, sua forma ficou evidente na hora, era um minotauro. O monstro não pestanejou e partiu pra cima de Vault Hunter.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   27.02.16 18:22

~~~~~~~~~~~~~ Informações Extras


Fala ai, desculpa a demora pra atualizar, pretendia ter feito isso ontem mas cheguei muito cansado em casa! Razz

Quero deixar meus parabéns a todos, as discrições foram bem fodas, foi legal compilar tudo no post!

Agora vocês tem um grande problema! Como proceder quando se está sozinho no inferno?

Espero que gostem da atualização, nosso próximo encontro acontece até o dia 12/03 lembrando que se postarem antes a narração também vem antes!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Basco Khassan
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 408
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 39
Localização : Beirut - Libano

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   29.02.16 14:51

Thalia, sugiro rapidez nessa conjuração...não sei por quanto tempo posso manter isso, visto que as criaturas não param de surgir!


Cada um de nós soube lidar com as criaturas com maestria, pegando até mesmo Izanami de surpresa! Suas criaturas foram derrotadas e as poucas restantes desapareceram quando a senhora deste submundo ficou petrificada, graças a uma granada, tipo, congelante. Não sabíamos por quanto tempo ela permaneceria naquele estado, visto que o congelamento começou a trincar, mas pelo menos conseguimos um tempinho para recuperar as forças e respirar, reunidos novamente. Thalia passa por cada um de nós. Ela parecia calma até por demais, visto toda a ação que ocorreu minutos antes. Um a um, a garota nos toca com suas mãos delicadas e em segundos uma espécie de tatuagem surge onde ela tocou. No meu caso, o meu ombro foi tatuado. Thalia dizia a todos nós:



"Proteção contra demônios, se alguém cair no inferno isso impede que vocês sejam possuídos. Pouco tempo... não importa onde caiam, tentem descobrir algo, vou encontrar vocês assim que conseguir... ou não."


Um selo enoquiano, para onde raios você vai n...


Thalia tocou no selo antes que eu pudesse terminar a frase...


Meu corpo balançava de maneira suave. Abri os olhos, mas não conseguia enxergar absolutamente nada. Uma grande escuridão como uma noite sem luar ou um quarto sem janelas me envolvia. O silêncio era quase palpável e apenas quebrado pelo balançar da canoa em que me encontrava. Sentei no meio do pequeno barquinho de madeira. Algumas partes pareciam viscosas, mas não tinham cheiro algum. Com um encantamento simples fiz minha cimitarra brilhar em um tom azul turquesa, mas de nada adiantou. Ao erguer a El-Nour ela iluminava apenas alguns metros em todas as direções. A água era tão negra quanto o ambiente ao meu redor. Depois de um tempo, pensei em chamar por socorro...tentar saber se eu era o único naquele lugar, mas suspeitei que isso poderia trazer ouvidos não tão amistosos. Com certeza não estava mais no submundo de Izanami, mas também desconhecia aquele lugar até que...

Um ponto de luz ao longe? Obrigado Allah!


O minúsculo ponto de luz crescia e vinha em minha direção, atraída possivelmente pela luz azulada da El-Nour. Logo uma silhueta se formou. Era um outro barco, mas bem mais iluminado do que o meu. Nele, uma jovem mulher de branco era iluminada pela vela de grande luz. Sua beleza era comparada a sua palidez. Sua canoa tocou de leve a minha embarcação e me pus de pé a olhar para a menina. Por alguns segundos ficamos em silêncio tentando descobrir que era um ao outro.



- Olá viajante. O que deseja no rio Tuoni? Visitar um parente? Amigo? –


Tuoni? Rio Tuoni? O nome não me era estranho. Lembrava de Illyana mencionar esse rio nas aulas que tínhamos sobre os submundos, mas não conseguia me lembrar a qual pertencia. Isso era o que dava ficar desenhando na mesa! Tinha que ter cautela, pois qualquer palavra ou movimento em falso poderia ser entendido como uma atitude hostil (já chegava o que tinha acontecido com Izanami). Bom...ela parecia ser uma barqueira, como aqueles da mitologia grega responsáveis por levar as almas dos mortos. Bom, eu estava vivo e não tinha intenção alguma de morrer para seguir viagem, então...

Olá, cara barqueira, meu nome é Basco. Vim à procura de uma mulher que foi trazida viva para o submundo. Seu nome é Thor e é conhecida como a deusa asgardiana do Trovão. Não desejo permanecer em seu reino ou causar-lhe infortúnios. Sabes algo sobre Thor? Poderia ajudar-me a encontrá-la e a pergunta que não se cala....isso terá um custo não terá?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nanbrimbor
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   02.03.16 16:12

Nanbrimbor inclinou-se brevemente enquanto retirava uma de suas adagas de lâmina  relativamente extensa de suas vestes, cujo lembrava-se mais como uma cimitarra quanto uma adaga. Impulsionando seu corpo perante a arma, o homem visou estocar fundo em uma das criaturas próximas e então, no momento em que esta se inclinasse graças a força empregada, Nanbrimbor utilizar-se-ia das costas da criatura como apoio para executar um giro sob a mesma pouco antes de retirar sua adaga das entranhas da vitima, no entanto, assim que executara o giro por cima da criatura, sentira que quase ambos pudessem cair visto que a estutura da criatura era mais frágil do que o homem pensara fazendo com que o mesmo caísse em solo, rolando de maneira rápida pouco antes de reaver o equilibrio, entretanto, sentira algo em suas costas, algo como se fosse um “vácuo”, uma lacuna em sua armadura que havia se formado. Não havia tempo para conferir o que havia ocorrido, o mercenário então retirou seu arco e atirou algumas flechas nas criaturas, por sorte, acertando em cheio as mesmas. “ Acertei..” pensou ele, vibrando em seu interior mas ainda assim mantendo a expressão séria como de costume.


Nanbrimbor esgueirou seu olhar em direção aos membros do grupo, até então tudo parecia “normal”, isto é, os membros estavam dando conta do recado, ao menos, naquele momento. Nanbrimbor tentou recuar seu arco até suas costas mas notou que parte da armadura havia sido corroída por uma das criaturas visto que era ali que situava-se uma pequena peça que amparava seu arco, fazendo com que o homem esboçasse uma reação em desagrado mas ainda assim, decidindo avançar com o arco em mãos e uma adaga na outra.  Como as criaturas não aparentavam ser muito resistentes, o arco deveria servir como aparo aos ataques com mãos nuas enquanto a adaga com sorte finalizaria o serviço.  Enquanto Nanbrimbor tentava diminuir a quantidade de inimigos ao qual parecia de certo interminável, o soar de uma granada explodindo chegou a sua ciência fazendo com que o assassino instintivamente se abaixasse e virasse sua face na direção da explosão. Contemplou Izanami por alguns instantes, a deusa parecia inerte, estática e um tímido sorriso surgiu a face do homem que virou-se para Lilith assentindo afirmativamente com sua fronte como quem quisesse dizer “ bom trabalho “.


Logo em sequência, Nanbrimbor ainda com o arco em sua mão e a adaga na outra sentira seu braço esquerdo ser tocado e virou-se rápidamente, quase chegando a estocar Thalia que pronunciou em seguida.

[ Thalia ]- Proteção contra demônios, se alguém cair no infenro isso impede que vocês sejam possuídos.

“ Mas o que...” pensou Nanbrimbor antes de escutar “trincos” provindos da prisão provisória da deusa. Ele esgueirou seu olhar em direção a mesma e suspirou pesadamente. - Ela vai ficar muito brava se sair dali.... Disse ele quase que em um resmungo.

[ Thalia ]- Pouco tempo..não importa onde caiam, tentem descobrir algo, vou encontrar vocês assim que conseguir...ou não.

“ De que lado essa garota está? “ pensou Nanbrimbor pouco antes de um clarão tomar conta do lugar. Sua visão turvou-se e ele já não podia saber de mais nada.



Mais Tarde



Um lapso em sua memória, dor. Um lampejo. Nanbrimbor abrira seus olhos de maneira rápida, quase que instintivamente. Ele estava de pé, na mesma posição ao qual havia sido pego pelo intenso clarão. Ele segurava firmemente a adaga em suas mãos e seu arco, no entanto, quase instintivamente ele balançou a esmo a lâmina, perdendo o equilibrio e caindo no solo após titubear alguns passos. Por sorte a pequena queda foi amortecida por um grande punhado de folhas secas. “ Hein..” pensou ele apoiando uma das mãos após soltar seu arco. Ele havia sido teletransportado para outra região do inferno? Nanbrimbor chacoalhou sua fronte com intuito de que a tontura passasse e ainda que isto funcionasse a gradativa sensação de mal estar parecia diminuir. Ele reaveu seu equilibrio  e então tentou dedilhar suas costas para ver o dano que a criatura havia causado notando uma grande deterioração na armadura em suas coisas.


[ Nanbrimbor ]- Droga.. Disse ele em tom baixo retomando o arco que havia deixado no solo e o transpassando em seu corpo, deixando a haste de madeira em suas costas exatamente na altura que a armadura havia sido corroída pela criatura. Seus olhos buscaram seus companheiros mas o que ele pôde notar era uma extensa vegetação sem vida, várias árvores secas e sem nutrição alguma, sendo que pelo qual pôde ver ao longe um rio cruzando por todo o lugar ainda que pequeno, aparentando dividir o lugar. - Thalia..para onde nos enviou?




Nanbrimbor decidiu caminhar em linha reta logo após embainhar sua adaga. Seus passos eram curtos e incertos, observando com cautela o lugar. Um soar de sino ecoara atraindo sua atenção e então o homem decidira seguir para o lugar de onde o som proviera, ao menos, tentaria. Não demorou muito para que ele pudesse observar ao longe uma silhueta corcunda também na trilha pelo qual ele percorria. Vestes negras fora o primeira coisa que ele avistara, no entanto, ao aproximar-se, observou que a criatura  possuía orbes vazias fazendo com que Nanbrimbro cessasse seus passos imediatamente, deslizando suavemente a mão para  o resguarde de suas lâminas.




[ Nanbrimbor ]- O-olá.. Disse com certo receio. - Poderia me informar em que parte do...inferno eu estou? Acho que Izanami me pregou uma boa peça dessa vez. Disse ele esboçando um breve sorriso tentando ser amigável. - Ahn..será que poderia me ajudar com algumas informações? Eu estou procurando a Ha-chan.. Disse ele em tom relativamente triste. - A Ha-chan está com uma aquisição nova em sua coleção que precisa de cuidados imediatamente mas eu sempre que venho aqui fico perdido... Disse ele em tom relativamente jocoso mas logo esboçando um breve sorriso enquanto aguardava a resposta do homem. Ele não poderia referir-se que estava a procura de Thor, afinal, não sabia quantos amigos a sequestradora possuía então nada melhor do que fingir ser um deles.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lil The Firehawk

avatar

Mensagens : 14
Data de inscrição : 29/01/2016
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   06.03.16 9:40

A Vault Hunter esboça seu sorriso ao ver que o elemento gelo em sua crio-granada havia surtido efeito na tal deusa. Retribuindo o sorriso de Namb  com outro leve sorriso e um lento fechar de olhos. Sentindo algo quente em seu braço a Siren via o toque de Thalia, aquela que sempre se mostrava idêntica a sua falecida amiga Angel, Lil se anima ao vê-la decidida e com a certeza em suas ações. Após ouvir todas as palavras estratégicas e cuidadosas que Thalia dera para equipe. O "CRICK" do gelo quebrando  soava baixo mas parecia com o som de uma granada, Lilith se vira e aponta a seu fuzil de assalto Boss Bekah para a estatua criogênica, que desvencilhava cabelos mortais e foi no mesmo insta-te que o clarão a atinge como um golpe.
 
Ela se pega pensando em falar com Basco, perguntar onde ele aprendeu aqueles poderes de ocultação, se lembra de checar quem ganhou na disputa de tiro ao alvo com Neena, e, queria muito elogiar o estilo de luta de Namb. Mas, o que não saia da cabeça dela era a atual situação da equipe e daquela que subiu bravamente em seu conceito desde a primeira vista...O desespero toma conta de Lilith. "A equipe". Ela se levanta desesperada apontando sua Bekah para todos os lados. A caçadora se pune severamente por ter acabado de se pegar em um sonho, em estar desacordada no meio de uma luta séria, mas ela se alivia por perceber que havia sido teleportada e que aqueles nada mais eram que os efeitos colaterais de sua desmaterialização interdimensional. Aquilo a aliviou, por instantes.Lil se levanta, ela observa o vazio e a arquitetura daquele lugar, ouvindo um ruido que a preocupava, ali parecia haver feras que a caçadora certamente desconhecia. "Então essa é a sensação de estar no inferno, assustador". Pensava para si mesma e como uma Vault Hunter ela poe-se a fazer que faz de melhor; caçar. Antes de tudo se ajoelha e retorna a sua Boss Bekah para sua backpack pegando uma arma mais apropriada para aquela situação. Ela retira uma calibre 12, mais uma de suas 4 armas, pensando: se a deusa fosse a morte, ela ganharia mais uma arma lendária como os inimigos derrotados em seu universo. O que a deixa preocupada, pois ela estava só e queria muito saber como estava cada um dos integrantes daquela equipe que se mostrou ser unida durante a dura batalha anterior, a mulher se lembra das palavras de Thalia, resta agora vasculhar a área e procurar por informações. Lilith então segue com a sua escopeta.



Caminhando e explorando os arredores a ruiva  não encontrava nada, parava para uma breve analise de sua exploração. - Merda, dessa maneira terei que resetar nesta área. - Um grunhido assustador era ouvido, Lil rapidamente se coloca em posição de tiro e avista um grande minotauro que a olha de relance, ele quem provocava o tal ruido em seu banquete.

_Minha nossa, esse ai sim deve dar muito XP.

A fera corre em direção de Lilith. A mesma corre de encontro e deslisa entre as pernas do grandalhão, usado a lamina de sua Conference call para ferir a perna da criatura. O que certamente a levaria ao solo. Lilith se levanta e  com a velocidade e força aumentada, concedida por ativar seu estado Phasewalk, ela salta sobre as costas do minotauro e aponta a escopeta para a nuca do ser meio homem meio touro.

_Vamos lá fodão, não me faça estourar seus miolos, use seu lado humano e comesse a abrir o bico. O que vai ser, vai cooperar? 

A atiradora estava certa do que fazer, qualquer movimento em falso e ela atira, naquele momento ela torce para aquele minotauro ser mais humano do que touro, se não, aquilo tudo era em vão e ela estouraria a cabeça daquele monstro antes dele tentar feri-la.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Neena
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 230
Data de inscrição : 30/06/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   12.03.16 21:22


Ao que parecia, a sorte havia abandonado Neena, pois sua perna não estava nada bem, mas isto não era o que deixava Neena incomodada e sim a fraqueza que sentia. O corpo movimentava devagar, estava sendo carregada e a perna lhe incomodava bastante. Como de praxe Neena fez as perguntas mais óbvias.

— E porque você quer me ajudar? Ainda estou no inferno? Sabe dos outros que vieram comigo? Se por acaso eu conseguir me livrar desta maldição, poderei andar novamente? Ah, sou Neena Thurman e você, quem é?

Neena era uma mercenária e já havia passado por situações complicadas, situações nas quais não tinha saída, até as coisas mudarem a seu favor. Não confiava em ninguém e nem fazia questão que confiassem nela, estava preparada para tudo, afinal estava no inferno e topou dar um beijo no capeta.

— Para onde esta me levando? Obrigada pela gentileza de me carregar, fico lhe devendo uma.

Neena estava apreensiva, mas não tinha medo de morrer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   13.03.16 13:56

~~~~~~~~ Atualização em progresso ~~~~~~~~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   21.03.16 19:21

Nambridor


A tentativa de iniciar uma conversa foi frustrada. Nanbrimdor chamou a atenção do velho sem olhos, mas esse não o respondeu, apenas ficou parado, encarando o homem com seus olhos vazios e sem vida. Então o mesmo abriu a boca, soltando alguns ruídos impossíveis de entender, ele também não tinha língua. Nanbrimdor percebeu uma forte ventania que veio do nada, junto dela um cheiro forte de enxofre e  uma estranha sensação de desconforto. - Cuidado, humano, chamar um deus grego usando sufixos japoneses pode ser um sinal de desrespeito, ainda mais quando se trata de um homem que deseja roubar.  - Uma mulher trajando vestimentas comuns surgiu, seus cabelos eram negros puros, assim como os olhos, era possível ver os chifres brotando de sua cabeça, pequenos porem evidentes, a calda era longa e se movimentava velozmente. - Onde está seu comboio? Se possível, gostaria de saber onde está minha filha.. Aquela voz faz sempre um grande alvoroço quando é usada. Essa deve ser a primeira vez que Thalia resolve me visitar....

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   21.03.16 19:29

Lilith


Lilith deu de cara com um monstro gigante, ele percebeu logo a presença da Vault Hunter e virou desembestado para tentar pega-la, porem, a moça era mais rápida e habilidosa. Usou de sua arma para rasgar a virilha do monstro, quando decidiu passar por entre as pernas do mesmo que corria em sua direção, sangue começou a jorrar em jatos. Lilith não parou, usou de sua habilidade para ganhar velocidade e força, ainda empunhando sua arma ela usa de sua habilidade e pula em direção as costas do monstro enfraquecido, ele sente os pês da moça em suas costas e reage de maneira imediata, Lilith escorrega com o dedo no gatilho e graças a isso atirou na parede, destruindo um pedaço, o monstro gritou, sua perna ainda sangrava de forma anormal, a coloração de sua pele foi mudando aos poucos, ele cambaleava e tentava se levantar.  

Lilith não estava machucada, mesmo com a queda repentina. A sua frente o monstro jazia no chão, sobre uma poça de sangue negro, a parede que ela havia destruído começou a se regenerar de forma acelerada, alem de regenerar a parece também foi perdendo sua coloração, podia-se ver o outro lado, mas isso logo passou, o monstro morto havia sumido e uma passagem surgiu na parede que antes eram um beco sem saída, ela conseguia ver uma saída, que era uma descida para a margem de um rio corrente, o rio era negro e cheirava a algo podre, além disso ela podia perceber a estrutura do lugar onde estava, um tipo de caverna gigante e escura com a água corrente levando para dois lados, uma subida contra a água e a descida, que acompanhava o trajetória do rio.

Quem é você? - Veio a voz das costas da garota, um loiro de 1,90 de altura, uma espada e escudo na mão, trajava poucas vestimentas, apenas algo que cobrisse sua cintura. - Mais um dos desafios de Hades? - Ele parecia agitado, balançava a espada de forma irregular, o escudo da mesma forma, estava coberto de sujeira e seus olhos transpiravam insegurança. - Vamos mulher, não fique ai parada, puxe sua espada! - Ele não esperou mais, desceu as pedras da margem do rio em direção  Lilith, pronto para cravar a espada em seus membros.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   21.03.16 19:37

Nenna



- Bem, nos temos o mesmo objetivo, por isso estou te ajudando. - O lugar foi ficando mais escuro porem um clarão surge no fim da visão delas. Nenna pode sentir sua companhia apressar o passo. - Não os vi, provavelmente nem thalia sabe onde eles foram parar, as coisas devem ter ficado feias pra ela usar o Genesi e separar todos vocês, agora todos os reinos do inferno sabem que vocês estão aqui, vão estar esperando um ataque direto. - O clarão deu espaço para um deserto vasto, o vento e areia pinicavam, não existia cheio ruim mas o calor era monstruoso. - E respondendo a sua pergunta, sim, você ainda está no inferno. - A moça respirou fundo e começou a correr, Nenna podia sentir os passos rápidos, por que ela tinha acelerado? A velocidade ia aumentando e diminuindo, tudo graças a altura da areia do lugar, mas ainda sim dava para se andar. Não demorou muito para a garota parar e deixar Nenna na areia quente, o clarão incomodava os olhos da mutante mas ela ainda conseguia ver perfeitamente a margem do rio. A moça encapuzada foi até o rio e pegou um monte de água, voltou e derramou na parte de Nenna, exatamente onde o monstro havia tocado. - Vai demorar um pouco pra toda maldição sair mas isso vai ajudar bastante, dizem que os rios do inferno tem grandes propriedades curativas, pelo menos, Tia Hela costumava dizer. - Um vento veio forte e tirou o capuz que cobria o rosto da pessoa que estava ajudando a mercenária, uma moça de no máximo 15 anos, com cabelos ruivos e feições semelhantes as do contratante de Nenna. - Prazer, Nenna, eu me chamo Melissa. - Melissa voltou para o rio para pegar mais um pouco de água para jogar novamente na fonte da maldição. - Bem, a maldição vai restringir seus movimentos mas não suas habilidades mutantes, nós vamos precisar pra roubar um martelo. -  

Depois de algum tempo Melissa ajudou Nenna a se levantar, a fraqueza já estava sumindo e a maldição já tinha se retraído pela metade, ainda sim era difícil andar então a Mutante estava apoiada em sua nova aliada. - Vamos tentar descobri onde estamos. - E caminharam pela margem do rio, Melissa achou que talvez pudessem encontrar uma pista. Demorou algum tempo mas depois de uma longa caminhada Nenna pode perceber as estruturas de um castelo gigantesco, muito maior que os monumentos terrenos, a sua coloração e a estrutura colada com o chão confirmavam o fato de tudo aquilo ser apenas Areia. O rio cercava o castelo pelo fosso e derivava da lateral da estrutura, o único acesso ao castelo era uma ponte também feita de areia que levava aos portões gigantes, na frente dos portões dois guardas portavam lanças. Assim que elas colocaram o pé na ponte os guardas se moveram, avançaram de forma sincronizava e pararam a 20 metros das duas garotas.  - Que suas almas alcancem a paz no Reino de Osiris. - Se elas avançassem mais perceberiam que os guardas eram jacarés humanoides, a pele escamosa era bem evidente. As portas se abriam e elas entraram, o lugar era bem iluminado e tudo que elas podiam ver era escadarias que levavam ao topo da edificação, colunas de areia que iam de baixo até as estruturas de escada e palcos, elas podiam ser o olhar de espectros que rondavam pelo castelo, mesmo que não pudessem realmente vê-los. - Não é costumeiro ver almas vivas em meio reino. - Uma voz alcançou as moças, um monte de areia foi se tornando uma pessoa. - Então, que devo a visita de vocês, humanos? - A areia ainda formava as feições daquele ser, ele tinha um aspecto humano mas claramente não era que nem elas.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   21.03.16 19:42

Basco



A mulher estava sentada no barco, basco pode ver que ela estava com um veu branco que iluminava seu corpo inteiro e algo que parecia ser uma pequena lamparina, presa na ponta canoa. Ouviu atentamente as palavras de basco, sem demonstrar nem uma feição diferente da que havia usado para recebe-lo. - Sim, os boatos correm rápido, mas creio que eu não saiba onde Thor se encontra, sou apenas uma barqueira, me chamo Tuonen tytti e sou a serva da morte. Se eu não posso responde-lo, alguém pode, se tiver coragem, siga-me. - O barco dela se moveu, como se a água estivesse puxando. Ela estalou os dedos e o barco do mutante fez o mesmo, tomou rumo de forma lenta seguindo o barco de sua nova guia.  

Algum tempo se passou e basco pode identificar de longe um clarão um pouco maior, eles foram se aproximando de uma ilha, a praia era cheia de tochas acesas e logo em seguida uma floresta densa que não parecia ter iluminação nem uma. - Bem vindo a ilha de Tuoni, Basco, aqui você pode encontrar sua resposta, mas isso tem um preço. - Eles  atracaram e a garota pulou do barco, sem se importar de molhar um pouco do véu que cobria seu corpo. - Encontre Tuoni, ela pode responder corretamente a sua questão. - A garota virou-se e adentrou a floresta, a iluminação que vinha dela logo foi se desfazendo, em poucos segundos ela tinha sumido completamente.

Basco ouviu um ruído vindo da lateral das arvores, olhos amarelados podiam ser vistos, escondidos entre as moitas que cercavam as arvores, era um barulho que lembrava ao de um leão. De lá saiu um monstruoso cachorro, com faces desfiguradas e muito magro, ainda sim parecia realmente ameaçador, seus dentes estavam cobertos de sangue e a respiração era pesada demais para parecer normal. Basco também percebeu que mais da mesma criatura surgiu, vinda pelas suas costas, como se estivessem prontos para atacar. O primeiro a se movimentar foi o que basco viu primeiro, ele veio correndo com toda velocidade pra cima do mutante, mirava abocanhar sua perna direita. Já os outros dois correram da mesma forma, eram velozes e dentes extremamente afiados.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   21.03.16 19:49

~~~~~~~~~~~~ INFORMAÇÕES EXTRAS ~~~~~~~~~~~~~~



Finalmente consegui postar! Quase não saia essa atualização ^^

Bem, como atrasei a narração vou aumentar o prazo de postagem em 5 dias, isso também em função ao feriado dessa semana!

Decidi adotar dinâmicas diferentes se baseando em suas postagens, alguns foram pro lado da ação e outras ficaram na parte mais de investigação, cavem para achar todos os detalhes e descobrir o lugar onde Thor está sendo mantida presa.

Outra coisa que também adotei nesse post foi o esquema de QUENTE E FRIO. Vai funcionar da seguinte maneira: A sequência de postagem diz quem está mais próximo ou mais longe de Thor.
Por exemplo: Nessa postagem Nanbrimdor é o que está mais QUENTE e Basco é o mais FRIO
so quero lembrar que isso pode mudar drasticamente dependendo das ações que vocês tomam durante a rodada de postagens! Pequenos detalhes podem colocar vocês em primeiro ou leva-los para ultimo com um piscar de olhos.

Lembrando que a narração vem mais cedo e todos postarem mais cedo, prometo não atrasar mais com a narração!

O limite para essa rodada é no dia 11/04
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nanbrimbor
Participativo
Participativo
avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/03/2015

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   22.03.16 20:21

Nanbrimbor havia sido teletransportado de uma zona de um inferno para outra zona de outro inferno, isso era claro visto a mudança de clima e até mesmo de “ ares”, mas ainda assim, ele sentia-se compelido a ir mais a fundo naquela história. Ele gostaria de saber o porquê deles terem exatamente caído na área de Izanami e o porquê de exatamente Thalia fazê-los percorrer diferentes regiões do inferno, seria para colher informações mais rapidamente do que em grupo? Seria pelo simples fato de que, juntos chamariam atenção demais? Ou então, talvez fosse o fato de que Nanbrimbor estaria destinado a alguma coisa maior do que a si mesmo?  Ele não saberia responder, não naquele momento, não com o pouco de informação que tinha mas ainda assim, após cair em um terreno completamente estranho, desconhecido e certamente cheio de criaturas que ele não compreendia, exatamente como a silhueta que havia se formado a sua frente que possuía grandes buracos no lugar de onde suas orbes haveriam de estar. Imediatamente arquitetando um rápido plano, Nanbrimbor decidira abordar a silhueta que havia encontrado na trilha que percorria mas seus olhos, ao percorrer todo o corpo da criatura, ansiavam por uma resposta da mesma, uma resposta que não veio.


“ Droga..algo me diz que vem problema por ai...” pensou Nanbrimbor ainda parado, estreitando os olhos para se caso a criatura esboçasse alguma reação hostil ele tivesse tempo de defender-se, no entanto a criatura abriu a boca, proferindo algo que ele poderia julgar até mesmo gutural, mas só até então Nanbrimbor pôde notar que a criatura não possuía língua, incapaz de dar qualquer informação ao homem de capuz. - Ahh..sinto muito...será que poderia então me apontar uma direção....de alguém que possa me dar informações? Indagou, esperando que a mesma pudasse respondê-lo já que suas orbes e língua, visão e paladar, ou ainda capacidade de fala lhe foram tirados ou então seria auto-infligidos?


Não demorou muito para que um forte vento percorresse todo lugar, desde as secas árvores com sua vegetação deficiente de vida até as vestes de Nanbrimbor que esvoaçaram com o vento que se aproximou de maneira súbita fazendo com que o homem erguesse uma das mãos puxando a ponta lâminada de seu capuz para encobrir-lhe a face ainda mais e proteger-lhe os olhos. Nanbrimbor suspirou pesadamente mas junto com isto, um estranho cheiro, um cheiro que ele conhecia, talvez não familiarizado com aquele lugar mas com outras ocasiões. “ Enxofre...” pensou Nanbrimbor enquanto sentia um certo incômodo pelo cheiro, no entanto, juntamente com os maus ventos e a silhueta que ali estava, uma presença surgira, falando a ciência de Nanbrimbor.


[ ??? ]- Cuidado, humano. Chamar um Deus Grego usando sufixos japoneses pode ser um sinal de desrespeito, ainda mais quando se trata de um homem que deseja roubar.   Imediatamente, Nanbrimbor virou-se para o local da voz e avistou uma mulher bela, de madura idade, seus cabelos eram negros como a noite e sua pele era lisa. Pequenos chifres brotavam do topo de sua cabeça e uma espécie de calda parecia dançar próximo da garota, movimentando-se até mesmo de maneira perigosa caso as coisas se tornassem um problema. Mas ainda assim, após contemplar a mulher, a mesma continuou. - Onde está seu comboio? Se possível, gostaria de saber onde está minha filha...Aquela voz faz sempre um grande alvoroço quando é usada. Essa deve ser a primeira vez que a Thalia resolve me visitar...


“ E deve ter um bom motivo para não fazê-lo...dado que ela é um ser bem antigo..não é? “ pensou Nanbrimbor enquanto movimentava a cabeça tentando afastar tais pensamentos. Tipicamente, Nanbrimbor tentou esboçar um breve sorriso, o seu melhor, e então negar algumas vezes com sua fronte. - Sinto muito...mãe da Thalia... Disse em tom relativamente jocoso. -  Eu não faço ideia de onde estou, onde ela está, onde todos nós estamos. Tivemos alguns problemas com Izanami...aliás...eles tiveram, eu acabei sendo engolfado em um combate contra a minha vontade.... Dizia ele agora em um tom áspero enquanto lembrava do quão problemático havia se tornado a situação com Izanami. - E então fomos enviados a lugares diferentes e cá estou eu. Izanami...mencionou uma tal de Ha-chan...palavras dela é claro...mas Ha-chan seria abreviação de qual nome...? Indagou Nanbrimbor esperando que lhe fosse revelado pela suposta “ mãe da Thalia”, o verdadeiro nome do algoz de Thor. - Algo me diz que se formos em direção a Thor...a prisioneira grega, você encontrará sua filha, será que poderia me ajudar? Creio que essa seja a maneira mais fácil de encontrar sua filha.



Nanbrimbor aguardaria uma resposta mas claramente não acreditava que fosse mãe de Thalia, ainda que a garota fosse filha de um anjo e um demônio, ele não possuía provas o suficiente de que aquele demônio a frente dele seria de fato a mãe da garota, talvez fosse um infiltrado ou então um guarda daquela região ou ainda o regente daquelas terras, haveria alguma coisa relacionada com a silhueta sem olhos e língua? Desesperado talvez para passar-lhe uma informação, para se afastar? Nanbrimbor não saberia dizer mas acreditava que a criatura poderia escutar a voz da mulher, qual seria a reação dela? Nanbrimbor permaneceria atento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lil The Firehawk

avatar

Mensagens : 14
Data de inscrição : 29/01/2016
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   25.03.16 8:10

Após os indesejados e totalmente confusos acontecimentos Lilith segue o caminho novo, ela se deparava com uma caverna, sua parada teria de esperar, ela permanecia com a sua Conference call em mãos. A nova área após a caminhada era mais linda aos olhos, não tinha uma estrutura repetitiva e olhando em volta ela nota uma coisa que procurará para seu bem; Um transmissor ECHO, haviam Vaults por aquelas áreas.



_E assim foi dito, nem mesmo o inferno esta livre.


O comentário da caçadora demonstra a sua felicidade ao apanhar aquele ECHO, certamente iria pressionar o botão para ouvir a transmissão daquele gravador mas antes mesmo de seu dedo deslisar sobre o aparelho de sua realidade ela houve a voz masculina. Era um Loiro alto, certamente um guerreiro do passado, e também esquentadinho.


_Calma ai o do saiote não quero encrenca e não sou nem um desafio desse tal Hades.


O golpe era perfeito e vinha em direção a cabeça da Ruiva, em uma esquiva ela salta para traz e ativa seu Phasewalk de uma forma pacifica sem criar a explosão de energia . A Vault desaparece com seu poder de invasibilidade, evitando assim o conflito.


-Só preciso de respostas, acredite, se eu quisesse você  estaria comendo pedras, então apenas guarde sua espada e confie em mim, se quiser me ajudar ficarei muito grata e acharei uma maneira de te compensar.


Durante a fala a Ruiva caminha se distanciando a 8 metros do loiro, ela  se senta sobre uma pedra próximo aquelas águas, ela mantem suas pernas abertas e a arma de pé segurada em sua mão direita pela placa do guarda mão e apoiada ao solo, ao lado de um de seus pés.


_Pode me dizer em que parte do inferno estou e...


Lil faz uma varredura para ver se tinha algo ou mais alguém próximo aquela área.


_Como faço para encontrar o Deus nórdico Thor...tenho assuntos a tratar com ele, acredite eu não sou daqui.


A Firehawk não queria dar informações de mais, nem sabia se o mesmo iria cooperar com ela já que a primeira impressão na maioria das vezes é a que fica. Ela apenas esperava certa compreensão para um homem que tem suas razoes desconhecidas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Neena
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 230
Data de inscrição : 30/06/2014

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   27.03.16 23:28



Editor HTML Online



 



Neena ouviu atentamente as repostas da garota, a luz que surgiu do nada incomodou Neena e ela falou baixo.



— Nunca pensei ver uma luz tão forte em um lugar como o inferno. Então quer dizer que você conhece Thalia, humm e ela nos separou propositalmente? Esta missão está cada vez mais estranha.



Neena estava muito irrita, agradecia gentileza da garota, mas sentir-se vulnerável daquela forma lhe causava uma irritação crescente, quando Neena entendeu o lugar onde estavam não acreditou. Um deserto escaldante no núcleo da terra? O que mais podia esperar daquele lugar. A garota explica aNeena que a água do inferno tem poderes curativos, mesmo morrendo de dor Neena não segura sua língua.



— Isto é inacreditável, seria mais rápido se seu entrasse no rio?



A pergunta não foi respondida, pois após algumas lavagens parte do mal estar havia deixado o corpo de Neena e ela estava se sentindo bem melhor, mas, infelizmente, ainda não podia andar. Sendo amparada por Melissa Neena observa aquele lugar feito de areia, quem seria o senhor daquelas terras? Na companhia de Melissa, Neena andou até alcançarem um lugar digno de contos das arábias, um castelo feito de areias e seus guardiões eram simpáticos demais para serem jacarés. Neena desconfiou de toda aquela amabilidade, mas não tinha escolha a não ser seguir Melissa. A mutante sabia que algo lhes observava, mas não deixou que quem as observava soubesse disto. Sem aviso um redemoinho transformou-se em um homem, ele se apresentou e sua voz lembrava areia no vidro. A pergunta dele era tão direta, que chegava doer na alma. Neena sorriu.



— Sou Neena e esta é Melissa. Pedimos perdão por estarmos invadindo suas terras, mas precisamos de um mapa, você poderia nos fornecer um?



Neena não pensou em nada melhor, não sabia exatamente o que fazia ali, mas com um mapa e sua sorte, seriam capazes de pegar a trilha que as levaria para o tal Martelo que Melissa mencionou. 




 




Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Basco Khassan
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 408
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 39
Localização : Beirut - Libano

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   08.04.16 15:06

O semblante do espectro iluminado era sereno e contrastava perfeitamente com a escuridão do lugar. O barco se aproximava do meu enquanto ela falava:
- Sim, os boatos correm rápido, mas creio que eu não saiba onde Thor se encontra, sou apenas uma barqueira, me chamo Tuonen tytti e sou a serva da morte. Se eu não posso responde-lo, alguém pode, se tiver coragem, siga-me.

Eu acenei com a cabeça positivamente. O barco de Tuonen Tytti, como se apresentou a mim, passou pelo meu barco lado a lado. Com o estalar de seus dedos, o meu barco virou a estibordo e tomou o mesmo caminho. O trajeto foi completamente em silêncio. Eu não conseguia ver nada ao meu redor e Tytti parecia ser a única fonte de luz até que....
Tochas...uma baia! Pelo menos terra firme

– Pensava eu enquanto nos aproximávamos da margem daquele lugar tenebroso e cheio de mistérios. Tuonen desce do barco à margem e em seguida eu a sigo!
- Bem vindo a ilha de Tuoni, Basco, aqui você pode encontrar sua resposta, mas isso tem um preço.

Quando se trata de magia ou o submundo...imaginei que não viria de graça!

- Encontre Tuoni, ela pode responder corretamente a sua questão.

Mas onde posso encontrá-la? Hei...onde você vai!?

Mal terminei de falar e perdi a menina de vista assim que ela adentrou a mata fechada! O lugar era tão escuro quanto as águas pelo qual naveguei. Além das tochas a única coisa que trazia um pouco de luz ao lugar era minha cimitarra! Comecei a avançar pela mata fechada tentando seguir algum rastro possivelente deixado por Tuonen. Dei uma boa caminhada mata adentro, mas nada. Será que ficaria perdido naquele lugar...para sempre!? Foi quando o primeiro som que ouvia desde a voz de Tuonen é ouvido. Um rosnado! Baforadas de vapor saiam dentre as árvores quando minha El-Nour brilhou com mais intensidade. Algo de ruim estava para acontecer! Uma matilha de cães do inferno surgia da mata. Vinham de todas as direções e um deles se destacava em ferocidade. Corria em minha direção com sangue na boca! Me desviei de seu ataque com a intenção de não ter a minha perna abocanhada! Outros dois tambem surgiam de maneira agressiva. Um deles salto até mim e cruzei minha El-Nour com sua bocarra aberta. O terceiro vinha em seguida pelas minhas costas e tentava me pegar de surpresa, porém, tomei a forma de um nevoeiro e me embrenhei pela mata. Não tinha tempo a perder e nesta forma, poderia cobrir um raio muito maior e encontrar o ser conhecido como Tuoni!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
KuroNick

avatar

Mensagens : 3
Data de inscrição : 22/03/2016

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   09.04.16 13:34

~~~~~~~~ Atualização em progresso ~~~~~~~~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   10.04.16 11:23

Lilith


A espada do guerreiro encontrou o chão de pedra com um som forte, era afiada e havia deixado marca no pedregulho, ele olhou para os lados confuso, procurando a voz que tentava convence-lo. - Es uma bruxa? Como posso ouvi-la mas não ve-la? Mostrese! - Lilith estava mais tranquila que o seu 'inimigo', tomou distância pelas pedras e foi para um nível mais baixo, sentando e portando uma de suas armas, caso algo acontecesse ela já estaria preparada. - Ninguém pode me ajudar, nem mesmo uma bruxa, estou amaldiçoado pelos deuses, passarei o resto de minha vida enfrentado seus desafios. - O mesmo não guardou a espada, permaneceu brandindo a mesma um lado para o outro, ainda procurando a voz que o cercava, já Lilith só procurava respostas. - Como assim, queres me enganar Bruxa? Obviamente estamos no Hades! - O guerreiro pareceu cansar de procurar mas não ficou desalerta, apenas olhava para os lados esperando um ataque surpresa, ainda confuso do por que não estava batalhando. - Tens a vantagem e não me atacas, até parece que falas a verdade! - O loiro ainda estava alerta mas algo nas palavras de Lilith o chamou atenção. - Como sabes este nome? Es uma companheira dela, de Thor? - O guerreiro guardou a espada, lembrando dos fatos recentes. - Ela foi meu ultimo desafio, lutamos por dias, mas ela não conseguiu me derrotar, foi só mais uma forma de Hades punir meus pecados! Thor é uma guerreira excepcional, es a dona da voz que surgiu ainda pouco? Posso sentir este reino está agitado graças a isso. - O loiro fez uma pausa, ainda procurando a bruxa que podia ficar invisível. - Sei onde Thor está, mas, não chegará lá sem enfrentar bons desafios, infelizmente não posso acompanha-la para um auxilio, chegaríamos de forma mais rápida em dupla, mas a maldição de Hades me restringe a essa caverna e ao labirinto de Dedalo. Segue nessa direção. - Ele pontou para parte de baixo da caverna, que seguia um buraco onde o rio seguia curso. - Não deves tocar no rio, o Cocito deixa tu fracas demais para a batalha, mas ainda sim deves segui-lo, onde todos os rios se encontram é onde Thor está! - Então ouve um barulho, dessa vez vindo da parte de cima da grande caverna, sons de asas de gritos de dor, dando espaço para horrendas criaturas voadoras. - HARPIAS! - ele gritou, sacando a espada. - Um novo desafio me espera, cumpra o seu e talvez nos veremos novamente, bruxa! - E então o homem correu, usando o impulso das pedras para se aproximar da altura das criaturas, por incrível que pareça ele tinha bastante força para pular tão alto. Graças a Invisibilidade de Lilith, as Harpias não podiam identifica-la visualmente.



Se Lilith seguisse em frente entraria em uma outra caverna menor, aquela que seguia junto com a corrente do rio Cocito, a Vault Hunter podia ouvir vozes vindas do rio, vozes amarguradas, trazendo um grande pesar de angustia e arrependimento, vozes daqueles que deixaram de realizar muita coisa em vida. Depois de algum tempo caminhando tudo que se podai ouvir eram as vozes e a correnteza do rio, que descia sem parar, havia bastante espaço entre a margem da caverna e rio, era mais uma decida e estava bem escuro, as pedras não eram tão firmes então a Vault Hunter deveria tomar cuidado, tanto com Armadilhas quanto para o piso que não era seu aliado. Depois de muito andar, sem saber quanto tempo, Lilith percebe que o rio se ajusta a uma estrutura grega, no piso, não haviam mas pedras para se pisar, agora era batentes de escada, com um tipo de cerâmica que parecia estar seca, mesmo com o rio logo do lado, não demorou muito para ela sair da caverna e entrar numa construção grega elevada, onde embaixo havia uma pequena redoma com 5 portas fechadas. No meio, um poço que dividia o Cocito entre as cinco portas, um filete de água seguindo para cada porta. Lilith podia pular da parte alta, pois lá em cima nada havia, sua única passagem era uma das portas. Todas as portas eram feitas de metal e cada uma portava um simbolo diferente. O primeiro era uma espada, o segundo era de chamas, o terceiro era de duas mascaras, uma triste e outra feliz, o quarto trazia um rosto com cabelos de serpente e o quinto um capacete de guerra. - Escolha rápido, ou acabará morrendo. - A voz que a cercava agora era de uma mulher, trajando poucas roupas e com um grande sorriso no rosto. - Engraçado, nunca vi o que acontece quando um Humano é contaminado pelo Cocito, isso vai ser bem interessante. - Lilith pode perceber que o rio começou a transbordar, mas ainda não tinha chegado perto dela, não havia mais escadas para subir de volta ao nível que ela tinha saído, quem era quele ser que zombava dela?

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   10.04.16 11:27

Nanbrimdor


- Izanami? Isso explica muita coisa. - A mulher pareceu se divertir com uma imagem mental do confronto entre eles a deusa do submundo. - Ajudar você? Acho que não entendeu, você não está em posição de fazer nem um tipo de exigência, não sei se percebeu mas se está aqui é por que você está em MINHAS terras. - Ela enfatizou, a coloração de seus olhos foi ficando mais intensas, aquele ser infernal não brincava, enquanto o outro ser que havia abordado Nanbrimdor permanecia calado, um pouco mais acanhado agora. - Mas veja bem, vou manter minha reputação pois parece que vamos precisar um do outro... Se eu pudesse sair do meu domínio provavelmente já teríamos nos encontrado, eu controlo o inferno, ou melhor, a parte que realmente se chama Inferno, então mesmo se eu fosse acompanha-lo, toda situação só pioraria. Carregue uma de minhas marcas, ou observador, e assim que encontrar Thalia ative minha marca e ela sera mandada imediatamente para cá. Em retorno direi onde Thor está sendo mantida refém. - A mulher cruzou os braços, e foi andando em direção a Nanbrimdor . - Esse é o melhor trato que podemos fazer, caso você recuse vou deixa-lo por conta própria, ou melhor, meus subordinados vão mostrar a saída das minhas terras... Então, o que me diz? - Ela parou bem na frente do mesmo, com um sorriso no rosto, como se já tivesse toda situação resolvida, bastava ver o que Nanbrimdor tinha a dizer de tais propostas.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   10.04.16 11:46

Nenna


Antes


Melissa riu quando Nenna cogitou pular no Nilo. - Se seu corpo tivesse sido completamente tomado pela maldição talvez fosse uma boa ideia, humanos não devem entrar em contato direto, é como uma dose letal de um remédio, se você tem demais os efeitos acabam sendo muito adversos, existem algumas lendas de homens que se banham em rios de infernos, tipo Aquiles, mas são casos específicos, o Estige é o rio da Imortalidade, já o Nilo é o da Fertilidade. -  

Agora


- Pedes um mapa? - O homem estalou o dedo e a areia se moveu, vários mapas surgiram das areias que compunham o chão envolta de Melissa e Nenna. - Aqui está, todos os mapas que posso fornecer, mapas do egito, mapas perdidos em minhas ternas, mapa do meu domínio, do meu castelo. - O homem estalou os dedos novamente e os mapas sumiram. - Se deseja um, fornecerei a você mas que tal um pequeno jogo? Afinal de contas, vocês ''invadiram'' minhas terras, mereço algo em troca. - Ele estalou os dedos novamente e a construção que eles estavam começa a mudar, grandes paredes de areia se formaram em volta das garotas, era alto demais para poder pular, tudo tremia então o equilíbrio era quase nulo. Melissa e Nenna não haviam saído do lugar mas tudo estava completamente diferente, estavam num tipo de coliseu, haviam três pilastras e duas portas do lado contrario a onde estavam. - Vençam meus lacaios e todos os mapas que mostrei são seus, nunca tive a oportunidade de ver um dos descendentes de En Sabah Nur em ação, nem meio humanos. - O homem de areia via tudo de cima, como um imperador, ou melhor, um Faraó.



Das aberturas do Coliseu de areia saíram os dois guardas, exatamente da mesma forma que elas haviam encontrado antes, portando lanças gigantes e pesadas armaduras, eles eram exatamente iguais, Melissa estava inquieta, Nenna podia perceber. - Está aqui no castelo, posso sentir. - Os olhos da moça passaram a ser azulados, seus braços começaram a ficar incandescentes e a soltar faíscas. Ela tirou o manto que usava pra se cobrir e jogou para Nenna. - Eu consigo segurar os dois, tente achar o martelo, use o manto, ele vai te deixar camuflada contra detecção magica, use da runa no bolso direito pra selar o martelo, é so colocar a runa envolta do cabo e pronto, quando conseguir saia da aqui o mais rápido possível, siga a correnteza do Nilo que irá encontrar uma saída desse reíno.  - Melissa percebeu que os jacarés gigantes vinham na direção delas duas. - Vou abrir para você passar, boa sorte... se é que você precisa de alguma. - Ela sorriu, animada com a batalha, então correu na direção dos inimigos, Melissa era incrivelmente rápida, ela passou pelo primeiro golpe apenas pulando, usando de seu punho incandescente, socou o primeiro jacaré com uma força descomunal que o jogou contra seu companheiro, os dois foram ao chão, mas não estavam derrotados, o segundo jacaré ainda estava consciente mesmo estando no chão, tentou acertar Melissa com a lança mas a menina segurou o golpe com uma das mãos. - AGORA NENNA! - Ela avisou, Nenna podia ver que o caminho até a entrada de onde os jacarés tinha saído ainda existia.  



Nenna entra em um corredor todo moldado em arquitetura egípcias, cheio de hieróglifos nas paredes que seguia caminho, já não se podia ouvir o que estava acontecendo no coliseu de areia. A mutante andou em linha reta por algum tempo até encontrar uma bifurcação. " Direita. " Ela ouviu alguém dizer, Nenna era uma mutante experiente o suficiente para perceber que aquilo foi uma voz telepática, e não era Melissa. " Rápido! Tem alguém vindo atrás de você. " Segundos depois Nenna pode ouvir uma destruição próxima, como se algo estivesse atravessando as paredes para chegar aonde ela estava, ouve um ruído, lembrava bastante um leão, então, batidas subsequentes na parede do corredor que ela estava, a parede quebrou dando espaço a uma mão humana muito grande, na mão um machado com a lamina irregular, o monstro fez mais força e quebrou outra parte da parede que parecia mais resistente, dando espaço a uma cabeça que era a mistura entre homem leão, porem totalmente irregular e grotesca.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   10.04.16 11:58

Basco



A boa habilidade do mutante, e a pouca luminosidade que sua espada oferecia, fizeram do combate algo um pouco menos difícil, basco desviou do primeiro golpe com facilidade, cortou um dos cachorros ao meio no segundo e assumiu seu poder no terceiro, os dois cachorros que restavam latiam de um lado pro outro, farejando aquele que tinha se tornando um nevoeiro por completo, aos poucos os cachorros foram se dispersando, o cheiro foi perdendo a consistência graças a forma de nevoa do mutante, isso fez com que seus inimigos caninos apenas tomassem outro rumo, ele avança pela ilha de forma silenciosa, agora que estava um pouco mais elevado ele podia ver que a ilha era maior do que se imaginava, as arvores eram altas e a única luminosidade se encontrava em seu centro, era uma grande luz que passava entre os nevoeiros que a cercavam, ainda estava longe mas era bem visível de onde basco estava. Enquanto ele percebia isso algo o puxou de forma abrupta.




Basco sentiu todas as células mutantes de seu corpo voltarem a forma humana abruptamente, algo que doía bastante, ele sentiu seu corpo sendo jogado contra um das arvores, o mutante certamente podia sentir o sangue em sua boca daquele golpe que havia levado. Um homem estava bem a sua frente, ele era igual a basco, porem com uma cicatriz no meio de seu rosto, o que podia impressionar era que até sua lamina era igual ao do mesmo. Ele não esperou basco reagir, usou da lamina brilhosa para atacar basco, primeiro tentando acerta-lo no chão, em seguida uma sequência de cortes para todos os lados, eles eram iguais, então eram de velocidades equivalentes, basco não podia entrar em modo nevoa, algo estava bloqueando seus poderes, ele tinha que descobri rápido pois dava pra se ouvir latidos não muito longe dali.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Nick Bartowski
Jogador assíduo
Jogador assíduo
avatar

Mensagens : 323
Data de inscrição : 15/11/2014
Idade : 22
Localização : Las Vegas / USA

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   10.04.16 12:02

~~~~~~~~~~~~~ Informações Extras


Uma nova rodada tem inicio!

Quero só parabenizar a todos pelas postagens, continuam num nível muito bom!

Vou diminuir o tempo de atualização pra gente dar uma adiantada na quest!

Limite de tempo para próxima postagem é no dia 20/04
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lil The Firehawk

avatar

Mensagens : 14
Data de inscrição : 29/01/2016
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   10.04.16 19:17

Lilith levanta um pouco mais a cabeça junto de suas sobrancelhas ao ver que tal guerreiro já se encontrou com Thor, finalmente uma utilidade em meio aquela jornada no submundo. 
_Fico muito agradecida por sua cooperação, infelizmente é uma pena imensa eu não poder te ajudar, espero nos encontrarmos no futuro e quem sabe eu não arranje uma maneira de acabar com a sua maldição, como você mesmo disse; sou uma bruxa hahaha.
A Siren se levanta com a sua arma mantendo-se invisível, ela segue até o buraco onde o mesmo havia apontado. Deixando a ara sobre seu ombro a ruiva passa a observar o buraco e a correnteza daquele rio. -Lugar novo, regras novas. - Bem, fico agrades...
Nesse exato momento o guerreiro desembainha sua espada e alerta Lilith sobre as Harpias, a Firehawk observa aquele homem ir pagar por seus pecados, ela nota as habilidades e o poder dele em combate e sorri de canto...


_Até mais ver.

Agora dentro do buraco a Vault Hunter segue destino, ela aperta o botão do transmissor e começa a ouvir chiados, a audição dela diz que aquilo não era de certa forma chiados e sim sons de um lugar. Seria a Vault desse inferno, sendo ou não só resta a caçadora seguir sua missão e seu destino desativando seu estado Phasewalk. 

Ao desligar o transmissor ECHO, Lilith ouve um sussurro, ela rapidamente toma sua posição de tiro, aquela caverna era menor, a moça estava ficando exausta em ver solo sobre sua cabeça, sentia a falta de um céu, sera que o inferno ainda poderia ter regiões que se pareçam normais? Com passos calmos e  carinhosos ela se deparava co o rio e aquelas vozes não eram nada mais nada menos que as Águas. -Correntezas que levam a amargura dos arrependidos, que desgraça. - Pensou alto a Firehawk. Aquele terreno apesar de ser vasto da parede da caverna até o rio era propicio, cheio de pedras escorregadias. O guerreiro disse para não tocar na água e a ruiva não pagaria para ver o resultado. com a arma de curto alcance era boa para o lugar apertado, Lil continuou segurando sua calibre 12 Conference .C, Ela se mantem atenta a tudo e todos ao seu redor.
Sem a noção do tempo que caminhou a margem daquele rio a Siren se depara com escadas e o que parecia ser uma espécie de construção grega mais elevado que as correntes molhadas do leito, naquela construção havia um decline proposital com 5 portas o rio passava pelas esmas em partes no qual uma proporção menos de água corra para se dividir entre as 5 portas. 
_Espada, chamas, mascaras, Medusa e elmo. Se eu fosse a deusa do trovão onde iria após perder uma batalha.
Aqueles eram os símbolos que estavam nas portas metálicas no fim do caminho de Lilith, a Vault se assusta quando uma voz soava do nada, um ser estava no local, de onde ela viera, e quando, mesmo com a atenção redobrada era surpreendida, os olhos da atiradora se aperta e com a arma apontada para a desconhecida a Siren caminha de costas sem perder a sua atenção, ela se dirige para a porta de Elmo após ouvir as palavras daquela criatura misteriosa: 

_Escolha rápido, ou acabará morrendo.  Engraçado, nunca vi o que acontece quando um Humano é contaminado pelo Cocito, isso vai ser bem interessante.

Sem saber o que iria vir pela frente, ela só sabia que onde o rio terminar ela iria encontrar Thor, e o guerreiro falou a verdade é claro, mas oque a incomodava era como Thor foi perder com todo o poder que tem, e, Quem era aquela que zombava da Vault Hunter, e para piorar ainda estava preocupada com o restante da equipe. teria eles encontrado Thor?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 3Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
RPG JOGOS :: Quest - Fúria dos Deuses 1: Estrada para o Inferno-
Ir para: